TERÇA-FEIRA, 18/06/2024

RS precisa fazer estudos de riscos antes de projetos de novas obras

Para especialistas, reconstrução deve levar em conta eventos extremos

Por Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil - 20

Publicado em 

RS precisa fazer estudos de riscos antes de projetos de novas obras
Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

A reconstrução do Rio Grande do Sul, que sofre sérios danos em consequência das fortes chuvas que atingem o estado desde o fim de abril, terá que ser feita com base nas projeções para o futuro climático. Construções antigas que desabaram ou foram arrastadas pela quantidade e intensidade das águas, como diversas pontes e estradas, não atendiam ao nível de resiliência necessários, na atualidade, diante das mudanças climáticas que provocam os eventos extremos. Especialistas argumentam que, agora, as obras de reconstrução precisam levar em consideração a tendência de eventos extremos, cada vez mais frequentes. Aí se inclui os estudos de engenharia para definir o planejamento urbano das cidades.

Para o professor de Recursos Hídricos da Coppe/UFRJ Paulo Canedo, as soluções que serão dadas para tornar as cidades mais resistentes vão depender de local para local. “Por exemplo, tem pontes que foram levadas e devem ser reconstruídas. Determinadas pontes já estavam mal alocadas, já estavam baixas ou com alicerces em zona de risco. Não se trata de refazê-las tais quais estavam há pouco dias. Elas têm que ser refeitas pensando que eu população, eu governo, fiz errado há 20 anos atrás, e agora não vou refazer com o mesmo erro. Vou corrigir. Outra coisa, é que muitas vezes a pressa em fazer desenvolvimento econômico e social leva a medidas que não tornam resiliente a região para o problema de inundação. Com muita facilidade o ser humano invade terras que pertencem às águas para o seu uso”, explicou à Agência Brasil.

“Se sabemos que erramos, está na hora de doravante começar a corrigir e tomar novas atitudes, portanto, respeitar as áreas não apropriadas para intensificar moradias ou estrada. As construções devem ser evitadas para não repetirmos o mesmo erro”, reforça Canedo.

Na visão do especialista, a tragédia de agora mostrou as diferenças entre as chuvas que caem desde abril com as de 1941, quando o estado sofreu outra inundação intensa.

“A chuva [agora] foi extraordinariamente grande. Se comparar com a década de 40, o progresso no Rio Grande do Sul era muito menor, a quantidade de habitantes era muito menor, portanto, a impermeabilização do solo era muito menor. O que significa dizer que uma mesma chuva caindo hoje já daria danos de inundação muito maiores”, disse, acrescentando que “na etapa de reconstrução se deve ter em mente a ocupação do solo e a capacidade de sua impermeabilização para impedir danos causados pelas enxurradas”.

O engenheiro civil especialista em desastres e professor da Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Leandro Torres di Gregório defende a importância de se fazer estudos antes da formulação de projetos de construção. Para ele, é preciso ter uma avaliação preliminar de perigo de destruição, justamente para verificar a capacidade de suportar eventos extremos.

Segundo o professor Gregório, como nesse caso a inundação é a principal ameaça, se faz um estudo que mostra como ficam em diferentes cenários de chuva, os reflexos em termos de inundações.

“Esse é um primeiro ponto. O estudo do perigo visa entender como a ameaça se distribui no território e qual a magnitude. No caso de inundação, qual a altura da lâmina d’água ou coisas assim. Na medida que se tem o estudo, se começa a montar diferentes cenários de obras que possam amenizar as inundações. Depois do estudo do perigo, se começa a montar obras de engenharia ainda em fase de planejamento e se simula como seria com o novo cenário de inundações para ver quais as áreas que deixaram se ser inundadas, ou as que tiveram inundação reduzida. Assim vai se compondo uma série de medidas com a finalidade de mitigar o efeito das inundações”, explicou.

O especialista destacou que nenhuma solução de engenharia atende todo e qualquer caso, e sempre existe o que se chama de risco residual. “Sempre existem cenários para os quais aquela obra não é suficiente, e nesse caso, tem que completar com medidas de desocupação emergencial, monitoramento e alerta”, disse.

Conforme o professor da Escola Politécnica da UFRJ, esse é o exemplo da obra dos diques no Guaíba que não resistiram às enchentes, além das bombas que estavam instaladas em locais que foram alagados e por isso não funcionaram para a redução do nível das águas. De acordo com o professor, no caso dos diques um fator que contribuiu para o não funcionamento previsto foi a falta de manutenção. “No fim das contas não é só um problema de ter a obra de engenharia, tem que ter também a manutenção adequada, porque em uma obra como esta daí se a manutenção falhar, aquele componente não desempenha o papel que deveria ter”, avaliou.

Outra medida apontada pelo professor é a remoção de moradores de áreas onde as inundações são recorrentes. “Há situações em que a realocação permanente pode ser necessária. Isso acontece, normalmente, em situações de frequência muito alta de inundações, onde a pessoa mora em um lugar que a qualquer momento pode ter um problema”.

Cidade esponja

Os projetos de “cidade esponja” têm se espalhado pelo mundo como forma de construir áreas com capacidade de absorver a água em casos de inundação. A ação dos reservatórios retarda a vazão da água e evita sobrecarregar os alagamentos nas ruas. Em Nova York e em cidades da Holanda já existem projetos desse tipo, que funcionam com base nas bacias hidrográficas da região.

“Ele [reservatório] segura a água do lote e joga no sistema público no momento posterior em que ela cai. É um reservatório de detenção que visa desencontrar os momentos de pico de vazão. É uma solução que ajuda na medida em que a água que cai ali na cidade não vai imediatamente para as galerias. Têm um retardo. Pode ser em piscinões ou em áreas muito maiores que podem funcionar como parques”, esclareceu.

Segundo Gregório, esse tipo de projeto pode dar bom resultado no Rio Grande do Sul. “Quando a gente fala de inundação, não é um problema apenas de uma cidade. É uma abordagem da bacia inteira. Tanto que existem os comitês de bacia hidrográfica que têm essa missão de acompanhar e propor soluções em uma escala de bacia hidrográfica. Tem que pensar no todo”, ressaltou.

“O conceito de “cidade esponja” não tem que ser aplicado em uma cidade só, mas a todas que compõem a bacia. Nesse caso, é o governo do estado que é o agente integrador. Quando um recurso hídrico cruza mais de um município a governança é do estado. Se cruza mais de um estado, já tem atuação do governo federal. O papel do estado é muito importante para reunir os atores necessários e fazer o planejamento integrado da bacia para um não prejudicar o outro na hora de executar as obras”, apontou.

Publicidade
Publicidade
ELEIÇÕES
Publicidade
Publicidade
ELEIÇÕES

NEWS QUE VOCÊ VAI QUERER LER

Em encontro com Lula, diretor-geral da PF faz balanço das ações de combate aos crimes na Amazônia

Em apenas um ano de governo, ações inutilizaram mais de 750 dragas do garimpo ilegal de ouro.
L

Dia Mundial do Orgulho Autista: Celebrando a diversidade e conscientização

Objetivo é mudar a percepção social e valorizar as diferenças
L
UNINASSAU celebra sucesso na aprovação de acadêmicos na OAB

UNINASSAU celebra sucesso na aprovação de acadêmicos na OAB

UNINASSAU celebra sucesso na aprovação de acadêmicos na OAB.
L
UNINASSAU promove visita de acadêmicos ao Hospital Santa Marcelina

UNINASSAU promove visita de acadêmicos ao Hospital Santa Marcelina

O local é referência no estado devido ao atendimento aos pacientes com amputações de membros.
L
Deputada Federal Cristiane Lopes

Deputada Federal Cristiane Lopes Investe 3,3 Milhões no Projeto PCD + Mães Atípicas em Parceria com IFRO

A parlamentar tem a pauta das famílias atípicas como prioridade e pontua ser muito justo oferecer a essas famílias serviços de proteção, acompanhamento psicológico e terapêutico, com atenção integral à saúde, informação e formação.
L
Publicidade

DESTAQUES NEWS

#TudoPodE | Entrevista Sabrina Barros, proprietária da Finnas Academia

Na quarta-feira, dia 18, às 18h, o PodCast Tudo PodE trará Fábio Camelo entrevistando Sabrina Barros.
L

Rondônia têm o 3° maior número de estações de recarga para veículos elétricos do Norte

Esse número acompanha a adesão de carros eletrificados em todo o território nacional, segundo dados divulgados na semana passada.
L

Rondônia em 3° lugar no ranking dos estados com maior volume de crédito em relação ao PIB

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (17) em uma plataforma social e teve base informações do Banco Central e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
L

#ComunidadeNews | Entrevista Dr. Clever Custodio, pré-candidato a vereador de Porto Velho

Nesta terça-feira, dia 18, às 16h35, o programa Comunidade News, apresentado por Carlos Oliveira.
L

Comissão avalia PL que autoriza o acionamento da força policial para retirar invasores independente de ordem judicial

No início do mês, o Governo Federal, por meio da Força Nacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) fez a desintrusão na Terra Indígena Karipuna (TIKA), entre Porto Velho e Nova Mamoré.
L
Publicidade

EMPREGOS E CONCURSOS

Inscrições no concurso UNIR 2024 encerram nesta quinta-feira, dia 20

São ofertadas 74 vagas para servidores técnico-administrativos nos níveis médio e superior.
L

Grande rede de restaurantes espera por candidatos à vaga de atendimento até esta quinta-feira (20)

As vagas são para primeiro emprego ou pessoas sem experiência
L

Sine Municipal de Porto Velho anuncia 104 vagas de trabalho

Vagas têm diferentes pré-requisitos que devem ser observados
L
VAGAS DE EMPREGO: confira as vagas ofertadas pelo Sine Municipal Porto Velho

VAGAS DE EMPREGO: confira as vagas ofertadas pelo Sine Municipal Porto Velho

Os atendimentos presenciais serão realizados das 07h30 às 13h30 para os que não possuem acesso à internet.
L

Concurso TRF 1ª Região: Oportunidade de carreira no Tribunal Regional Federal

Edital Oferece Vagas Imediatas e Cadastro de Reserva para Analista e Técnico Judiciário
L
Publicidade

POLÍTICA

Deputado Cássio Gois investe em agricultura familiar e entrega tendas para feira municipal de Ministro Andreazza

Deputado Cássio Gois investe em agricultura familiar e entrega tendas para feira municipal de Ministro Andreazza

Na última sexta-feira (14), o deputado estadual Cássio Gois (PSD) visitou o município de Ministro Andreazza, e em parceria com o Parlamento local e o Executivo municipal, ele busca fortalecer a agricultura familiar da região.
L

Cinco parlamentares de Rondônia concorrem a prêmio de apoio à indústria: Confira os nomes

A categoria especial, Apoio à Indústria, será oferecida pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).
L
Câmara de Vereadores e Portal da Transparência

Câmara de Vereadores e Portal da Transparência: Garantia de acesso à informação

Confira o Portal da Transparência!
L

Sesau explica estratégias para reduzir filas cirúrgicas após indicação de Cláudia de Jesus

Secretaria descarta mutirão de cirurgias e aposta em novas medidas para melhorar o atendimento.
L
Publicidade

POLÍCIA

TRÁFICO: Dono e gerente de boca de fumo são presos preparando drogas na zona leste

Após entrada na residência, os suspeitos foram flagrados preparando as drogas para distribuir nas bocas de fumo menores.
10

RECAPTURADO: BPTAR prende foragido com pistola furtada e munições na zona sul

Na pesquisa nominal, foi verificado que o suspeito estava com dois mandados de prisão em aberto.
10

ASSISTA: Vídeo mostra homem levando menina de 12 anos para abusar na vala

A Polícia Civil, com apoio da PM, conseguiu identificar e fazer a prisão do suspeito, que estava no bairro Agenor de Carvalho, e confessou ter cometido o crime.
16
PF deflagra a Operação Vigilantia para apurar tráfico de drogas em RO

PF deflagra a Operação Vigilantia para apurar tráfico de drogas em RO

Na ação, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e quatro de busca e apreensão em Ji-Paraná
10
Em Porto Velho, PRF apreende mais de 23 kg de cocaína sendo transportada por dois peruanos

Em Porto Velho, PRF apreende mais de 23 kg de cocaína sendo transportada por dois peruanos

A droga teria como destino final a cidade de Porto Velho.
10
Publicidade

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO – AGO: ROTARY CLUB DE PORTO VELHO MADEIRA MAMORÉ

Rua Rui Barbosa nº 933 – bairro Arigolandia – Porto Velho-RO
L

Requerimento da Licença Ambiental: DERONDONIA FARMACEUTICA LTDA

LICENÇA AMBIENTAL SIMPLIFICADA (LAS)
L
Maioria do STF torna irmãos Brazão réus pelo assassinato de Marielle

Maioria do STF torna irmãos Brazão réus pelo assassinato de Marielle

Não há prazo para julgamento da ação penal
L
Moraes vota para tornar irmãos Brazão réus pela morte de Marielle

Moraes vota para tornar irmãos Brazão réus pela morte de Marielle

Quatro ministros da Primeira Turma do Supremo ainda vão votar
L
RS e BNDES negociam parceria estratégica sobre desastres ambientais

RS e BNDES negociam parceria estratégica sobre desastres ambientais

Para governador, tragédia expõe resiliência do estado
L
Tailândia vai reconhecer casamento entre pessoas do mesmo sexo

Tailândia vai reconhecer casamento entre pessoas do mesmo sexo

Será 1º país do Sudeste Asiático a adotar medida
L
Mercado Público de Porto Alegre reabre com 53 lojas

Mercado Público de Porto Alegre reabre com 53 lojas

Espaço estava fechado desde 3 de maio, após enchente recorde
L
Chuvas: Rio Grande do Sul prepara equipes para resgates em 4 regiões

Chuvas: Rio Grande do Sul prepara equipes para resgates em 4 regiões

Defesa Civil emitiu alerta para eventos extremos até a tarde de quarta
L
PGR defende no STF tornar réus acusados do assassinato de Marielle

PGR defende no STF tornar réus acusados do assassinato de Marielle

Suprema Corte julga hoje o recebimento da denúncia
L
Investigados rejeitam no STF acusações sobre assassinato de Marielle

Investigados rejeitam no STF acusações sobre assassinato de Marielle

Defesas criticam delação de Ronnie Lessa, réu confesso do assassinato
L