Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019 - 10:37 (Cultura)

L
LIVRE

RECREIO DE IEMANJÁ REALIZA MARCHA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

A caminhada começou às 16 horas, com os integrantes do Movimento Negro e Religiões de Matrizes Africanas em Porto Velho.


Imprimir página

Como parte da programação do III Novembro Afro que está acontecendo em Porto Velho desde o dia 7 deste mês, o Terreiro de Santa Bárbara realizou no último domingo 17, a 1ª Marcha da Consciência Negra -  Recreio de Iemanjá.

A caminhada começou às 16 horas, com os integrantes do Movimento Negro e Religiões de Matrizes Africanas em Porto Velho, caminhando pelas ruas do bairro Vila Tupi culminando com a chegada ao Terreiro de Santa Bárbara, onde foram erguidas algumas tendas onde foi montada a "Feira de Artesanato" com produtos produzidos por mulheres.

Várias atividades culturais aconteceram até quase a meia noite, com apresentações de cantoras, cantores, músicos, poetas e performances teatrais entre outras atividades. "Nosso terreiro há muito tempo não realizava qualquer atividade cultural, a não ser as relativas à religião, por isso, resolvemos incluir essa Marcha na programação oficial do Novembro Afro", disse Hiago responsável pelas atividades atuais do Terreiro em virtude da ausência seu Tio Alberto – Beto.

O Terreiro de Santa Bárbara é o mais antigo Terreiro de Umbanda de Rondônia foi criado pela maranhense de Codó  Esperança Rita da Silva quando Porto Velho município, acabara de nascer. Alguns historiadores cravam que o Terreiro foi criado em 1913, porém, a maioria registra como sendo de 1917. Mãe Esperança Rita era filha de Iansã que no sincretismo afro-católico é representado por Santa Bárbara e praticante do Terecó.

Por muitos anos o Terreiro funcionou a rua Joaquim Nabuco esquina com a rua Bolívia e após a morte de Mãe Esperança seu herdeiro o Santo Albertino o levou para a Vila Tupi onde permanece até hoje. Hiago lembra que as festividades religiosas começam no próximo dia 26, com o levantamento do Mastro. "Dia 4 de dezembro dia de Santa Bárbara acontece a procissão e logo em seguida os Tambores ecoam pela Vila. A festa só termina no dia 20 de janeiro quando arriamos o Mastro", lembra Hiago.

Fonte: 015 - Silvio Santos/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias