Segunda-Feira, 02 de Dezembro de 2019 - 16:35 (Educação)

L
LIVRE

PORTO VELHO AMPLIOU APENAS 1,5% SUAS DESPESAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO EM 2018, DIZ LEVANTAMENTO

O levantamento foi feito pela Frente Nacional de Prefeitos.


Imprimir página

Por Wanglézio Braga
Da redação do News Rondônia

Foi divulgado hoje (02) um importante levantamento que revelou o quanto as cidades da região norte ampliaram suas despesas com a Educação em 2018. Segundo o documento, dos 16 municípios analisados, cinco tiveram retração no gasto na área, sendo três capitais. A capital de Rondônia ficou num cenário pouco favorável, perdendo para Rio Branco (AC), Tocantins (TO) e Manaus (AM).  A capital que é administrada pelo tucano, Hildon Chaves (PSDB) conseguiu elevar apenas 1,5% as suas despesas na educação.

O levantamento foi feito pela Frente Nacional de Prefeitos. Os dados utilizam como base números da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentando uma análise do comportamento dos principais itens da receita e despesa municipal, tais como ISS, IPTU, ICMS, FPM, despesas com pessoal, investimento, dívida, saúde, educação e outros.

Segundo o anuário Multi Cidades – Finanças dos Municípios do Brasil, das capitais, além de Rio Branco (AC) 18,3%, outras três registraram ampliação na despesa com educação em 2018: Palmas (TO), de 5,6% e Manaus (AM), de 3,9%. Por outro lado, Belém (PA) teve a maior queda entre as cidades selecionadas: 11,3%, caindo de R$ 501,8 milhões em 2017 para R$ 445 milhões em 2018. Macapá (AP) e Boa Vista (RR) tiveram redução de 3,5% e 0,6%, respectivamente.

Araguaína (TO) apresentou a maior alta das cidades avaliadas: 19,2%, passando de R$ 127,7 milhões em 2017 para R$ 152,2 milhões aplicados em 2018. Destaques também para a capital acreana, com alta de 18,3% – ampliando de R$ 144,6 milhões para R$ 171,1 milhões, no período analisado e Cruzeiro do Sul, com 14,8% e Marabá (PA), com 12,1%.

O estudo da FNP aponta também as maiores despesas por aluno entre os municípios selecionados do Norte. São elas: Araguaína (TO), com R$ 7.880,17; Boa Vista (RR), com R$ 7.707,55; Palmas (TO), com R$ 6.976,01; Rio Branco (AC), com R$ 6.914,21; e Belém (PA), com R$ 6.773,62 por estudante. 

“O gasto médio por aluno matriculado na rede municipal cresceu 3,7% em 2018, passando de R$ 6.829,10, em 2017, para R$ 7.079,12. Esse desempenho se deu por conta do movimento de relativa estabilização no número de matrículas nas unidades de ensino geridas pelas prefeituras, cuja alta foi de apenas 1.388 estudantes em todo o país. Assim, o gasto por aluno refletiu a mesma performance da despesa com educação. Entretanto, apesar da elevação, o custo por matriculado ainda permanece ligeiramente inferior ao de 2015, de R$ 7.090,31, quando atingiu o maior patamar da série histórica”, explicou o anuário da Multi Cidades. 

Fonte: News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias