Sexta-Feira, 18 de Outubro de 2019 - 08:02 (Polícia)

L
LIVRE

CASO JÉSSICA: JULGAMENTO DO EX-NAMORADO ACUSADO DE HOMICÍDIO SERÁ NA PRÓXIMA SEMANA EM CEREJEIRAS

Ele havia sido absolvido em julgamento realizado no ano passado, mas o Tribunal de Justiça do Estado anulou a sentença atendendo recurso do Ministério Público.


Imprimir página

Acontece na quarta-feira 23 o novo julgamento de Ismael José da Silva, acusado de ter assassinado a ex-namorada Jéssica Moreira Hernandes em abril de 2017.

Ele havia sido absolvido em julgamento realizado no ano passado, mas o Tribunal de Justiça do Estado anulou a sentença atendendo recurso do Ministério Público. A sessão do Tribunal do Júri que vai mais uma vez decidir sobre o caso acontecerá em Cerejeiras, comarca onde o crime aconteceu.

O homicídio causou grande repercussão não só em Cerejeiras, como em todo o Estado. Jéssica foi morta porque não teria “passado” por um teste de fidelidade promovido pelo acusado e por um primo dele, Diego de Sá Parente, que foi condenado no julgamento do ano passado. Naquela ocasião os jurados entenderam que Ismael não teria participado do assassinato, condenando-o apenas por ocultação de cadáver. O MP recorreu, assim como o próprio réu, e em abril deste ano o TJ anulou o julgamento dele, mantendo porém a condenação do outro envolvido.

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) anulou a decisão do júri popular que absolveu Ismael José da Silva do crime de homicídio qualificado. A apelação foi julgada na última quarta-feira (24). Ismael é acusado de matar a então namorada, Jéssica Moreira Hernandes, de 17 anos, em um suposto teste de fidelidade, em Cerejeiras (RO). Ismael passará por um novo julgamento, mas ainda não tem data marcada.

Na apelação, o MP-RO argumentou que a decisão que absolveu Ismael do crime de homicídio “foi manifestamente contrária à prova dos autos” e pediu anulação da decisão. O órgão ainda solicitou que a pena de Diego fosse reformada, atribuindo 1/4 da pena para cada uma das agravantes reconhecidas. Já a defesa de Ismael também entrou com recurso, pedindo um novo julgamento em relação ao crime de ocultação de cadáver. Os advogados sustentaram que não há provas da participação de Ismael nesse crime.

O crime

Jéssica Moreira Hernandes, então de 17 anos, foi encontrada morta no dia 24 de abril de 2017. Ela ficou desaparecida por quatro dias, após sair de casa de bicicleta. Em depoimento Diego alegou que o primo, Ismael, era um namorado extremamente ciumento e estava desconfiado que Jéssica o traía, e o chamou para fazerem um teste de fidelidade com a garota.

Diego atraiu Jéssica para o local onde ela seria morta, alegando ter provas que o outro a estava traindo. Durante a conversa dos dois aconteceu o suposto teste, quando Jéssica teria confirmado que havia traído o namorado. Com isso, Ismael que ouvia escondido, teria esfaqueado a namorada. Na versão de Diego, Ismael matou e escondeu o corpo da garota. Ele somente ajudou a embalar o corpo, limpar o sangue da casa e se livrar da bicicleta e de roupas sujas de sangue, pois havia sido ameaçado. Já Ismael afirmou que trabalhava no momento do crime e que não existiu o teste de fidelidade.

Fonte: 015 - Extra de Rondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias