Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015 - 16:00 (Culinária)

XVIII FEIRA GASTRONÔMICA DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA SÃO LUCAS DESTACA ALIMENTOS SEM GLÚTEN E SEM LACTOSE

Com destaque para os alimentos sem Glúten e sem lactose, o Departamento de Nutrição da Faculdade São Lucas prepara a XVIII Feira Gastronômica que será realizada hoje (25), no estacionamento do campus universitário, às 19h, envolvendo os alunos do 5º período do curso de nutrição divididos em 05 grupos.


Imprimir página

A proposta da feira gastronômica desta edição, segundo a professora Silvane Maziero Monge, é desmistificar a polêmica de que os alimentos considerados  saudáveis não devem conter glúten nem Lactose. “Para esta feira, concluímos que o glúten e a lactose (especialmente o glúten) estão sendo vistos como vilões "os culpados de tudo". Porém, essa teoria não passa de mais um modismo, pois a ciência da nutrição é clara: não existem alimentos totalmente proibidos. O que existe de fato é a necessidade de alguma restrição devido a alguma patologia ou a algum problema momentâneo ou ainda devido a intolerância ou alergia alimentar”, destaca a professora Silvane Maziero.

Para esta XVIII Feira Gastronômica, os alunos desenvolveram produtos sem glúten e sem lactose para chamar atenção e mostrar as únicas pessoas que devem restringir estes componentes da dieta, são os indivíduos que apresentam intolerância ao glúten ou lactose. Quem quer perder peso ou busca uma alimentação mais saudável, não precisa restringi-los, mas sim consumi-los com equilíbrio, da mesma forma que todos os demais componentes e nutrientes dos alimentos.

De acordo com a professora Silvane Maziero Monge, a feira representa uma oportunidade para que os alunos realizem pesquisas e desenvolvam produtos, inéditos ou não, contribuindo para ampliar os seus conhecimentos na área da nutrição. “Todo o semestre, após a escolha do tema, é lançado um desafio para os alunos. Eles precisam apresentar um produto, que obrigatoriamente deva conter um dos alimentos estudados na disciplina de Alimentos de Origem Animal II (leite, derivados lácteos e ovos), também um alimento regional (pensando na valorização da região amazônica e na sustentabilidade), além do aproveitamento integral de algum dos ingredientes, como por exemplo, utilizar cascas, talos, sementes ou outra parte de alimento que normalmente seria descartada com o objetivo de diminuir o desperdício de alimentos.” diz a docente.

“Os novos produtos foram desenvolvidos ao longo do semestre, testados e finalizados. Obrigatoriamente cada produto possui todos os cálculos referentes à rotulagem nutricional como, por exemplo; a definição da porção alimentar, a informação nutricional convencional e a informação nutricional complementar, que tem como objetivo apresentar as vantagens do produto em relação a um produto similar convencional. Todos estes pré-requisitos são baseados conforme a legislação vigente” informou a docente Silvane Maziero Monge. “A comunidade acadêmica está convidada para prestigiar o evento e experimentar os novos produtos, que também serão comercializados”, complementou.

Fonte: Juliana Mascarenhas

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias