Segunda-Feira, 20 de Maio de 2013 - 10:49 (Colaboradores)

VOCÊ SABE POR ONDE ANDA O EX-MINISTRO NELSON JOBIM? POR DANIEL MARTINS

Vamos continuar mostrando para você, por onde anda cada um dos ex-ministros do primeiro ano do governo Dilma Rousseff. E Hoje vamos falar do ex-ministro da defesa Nelson Jobim.


Imprimir página

Já falamos do primeiro ministro que caiu, que foi Antônio Palocci da Casa Civil e do segundo que foi o atual senador pelo Amazonas, Alfredo Nascimento, que era ministro dos transportes.

Jobim foi o terceiro ministro a cair, mas com uma grande diferença, foi o que enfrentou tudo e todos e claro, que quando ele começou a falar, sabia que cairia e que isso não ia demorar muito, dois ministros já tinham caído e eles estavam envolvidos no esquema de corrupção, Dilma Rousseff defendeu até a morte o Palocci, já a base-aliada blindava Palocci para ele não falar no Senado e nem na Câmara. 

Dilma logo no começo também defendeu Nascimento, mas viu que a coisa estava ficando feia e largou ele de mão e deu aos lobos. Já no caso de Jobim, ela quem pediu a cabeça dele e é claro que ele deu de bandeja, mas deixou seus comentário e suas farpas. A queda de Nelson Jobim (PMDB) do Ministério da Defesa, ocorreu no dia 4 de agosto, após desavenças com Dilma e declarações de que havia votado em José Serra (PSDB) na eleições presidenciais. Foi substituído por Celso Amorim.

A situação piorou após Jobim dizer, à revista "Piauí" a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) é "fraquinha" e que Gleisi Hoffmann (Casa Civil) "sequer conhece Brasília".

Antes, Jobim também causou constrangimento ao Planalto, na solenidade de homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Na ocasião, disse ser preciso tolerar a convivência com "idiotas", que "escrevem para o esquecimento". Ele explicou que se referia a jornalistas, mas petistas entenderam como recado ao governo.

Leia trecho da entrevista de Jobim à 'Piauí'

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, gerou nova polêmica ao criticar, em entrevista à revista "Piauí", suas colegas de governo.

Segundo ele, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) é "muito fraquinha" e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) "nem sequer conhece Brasília".

Em entrevista na tarde desta quinta-feira para explicar as críticas, Jobim disse que suas declarações foram tiradas do contexto.

Leia abaixo trecho da reportagem da revista:

"Ao fim da cerimônia, à uma da tarde, Jobim foi para o gabinete do senador Fernando Collor, onde ficou por mais de uma hora conversando sobre a questão da liberação dos documentos sigilosos, projeto do qual o ex-presidente discorda. No amplo gabinete de Collor, enquanto o chefe falava com o senador de Alagoas, seus assessores recordavam episódios do tempo de caserna. Seu assessor parlamentar, o coronel Gonçalves, explicava porque, no meio militar, é mais difícil haver corrupção. "O cara que rouba é desprezado pelos outros", sustentou. E contou o seguinte caso da sua época de cavalaria.

(....)
Jobim deixou a sala de Collor e foi para o Ministério, onde almoçou rapidamente. Enquanto comia uma salada, comentou a discussão da liberação de documentos sigilosos do Estado. "É muita trapalhada, a Ideli é muito fraquinha e Gleisi nem sequer conhece Brasília", falou, referindo-se à ministra das Relações Institucionais e à da Casa Civil.

Disse que o Collor não criaria empecilhos, mas que estava chateado porque, enquanto ele discutia o projeto, foi atropelado por um pedido de urgência na votação, feito pelo senador Romero Jucá, da base governista. "Ele se sentiu desrespeitado, não havia razão para o pedido de urgência", afirmou Jobim. Na conversa, Collor lhe contou que faria um discurso contra o projeto e Jobim lhe pediu que não o fizesse, no que foi atendido. "Eu disse a ele que havia muito espaço para negociação e que, se ele fizesse o discurso atacando o governo, estreitaria essa possibilidade." Perguntado sobre por que havia tantas idas e vindas no governo na relação com o Congresso, Jobim não teve dúvidas: "Falta um Genoíno para ir lá negociar."

Meu amigo e minha amiga, Jobim é o único que não está mamando no governo diretamente, digo, com salários lá em cima e outros benefícios que os outros que caíram estão tendo, Nelson Jobim desapareceu, escafedeu-se. Tentamos contato com a ele para mais informações, mas a sua assessoria não retornou nossos telefonemas.


Por Daniel MartinsBlog do Daniel

Fonte: Daniel Martins

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias