Sexta-Feira, 12 de Junho de 2015 - 11:16 (Saude)

VAI NAMORAR HOJE? QUARTO DE MOTEL PODE ESCONDER PERIGOS À SAÚDE; SAIBA QUAIS

Segundo o especialista, por meio de quarto mal esterilizado é possível contrair doenças como escabiose, mais conhecida como sarna, chato (um tipo de coceira genital), além de HPV e DSTs.


Imprimir página

Você já parou para pensar que o quarto de motel pode representar alguns riscos para a sua saúde?  Na hora em que o clima esquenta, muitas pessoas deixam os cuidados com a higiene de lado e querem se divertir. Para te ajudar a se prevenir contra possíveis infecções, o R7 conversou com o médico infectologista Ralcyon Teixeira que deu dicas de prevenção. Segundo o especialista, por meio de quarto mal esterilizado é possível contrair doenças como escabiose, mais conhecida como sarna, chato (um tipo de coceira genital), além de HPV e DSTs.

Controle remoto

Apesar de parecer inofensivo, o controle remoto é um dos objetos que carregam muitos germes e bactérias, e podem causar diarreia. A principal contaminação é via oral, ao colocar a mão na boca, ou ao comer.

— Nem pensamos no controle quando falamos de motel, mas ele é manuseado por muitas pessoas. O ideal é sempre lavar as mãos, ou usar álcool em gel, para tentar matar os germes. Apesar de ter bactérias e germes, doenças sexualmente transmissíveis não podem ser transmitidas pelo controle

Banheira

Apesar de aparentemente a banheira parecer limpa,  se ela não estiver esterilizada adequadamente pode transmitir doenças, como o HPV (papiloma vírus humano) devido ao contato com a superfície infectada. Segundo o médico, a pessoa também pode ser contaminada por diarreia, caso beba a água contaminada.

— O vírus do HPV pode sobreviver até sete dias no ambiente.

O médico também ressalta que a pessoa deve ficar atenta a marcas de ferrugem e manchas na banheira, pois podem ser sinais de que a banheira foi mal esterilizada

Para ele, uma boa sugestão é encher a banheira com água quente, esvaziar e encher novamente para o uso.

— A água quente mata as bactérias. Quanto menos bactérias, menor os riscos de infecção. O único problema é se a bactéria estiver na borda da banheira, porque a pessoa contaminada pode ter sentado na beirada.

Segundo Teixeira, a água quente não é suficiente para matar todas as bactérias, “ela apenas diminui o risco de contaminação”

Piscina

A piscina, assim como a banheira, merece uma atenção especial. A olho nu, fica difícil saber se ela está higienizada, mas a cor da água pode ajudar na percepção da limpeza, além da utilização do cloro.

— O cloro certamente mata alguns germes que podem ter ficado na água, mas, se o clima esquentar e houver penetração dentro da piscina, é essencial o uso de preservativo, porque a água não mata os germes

Vaso Sanitário

Pode ser um dos principais vilões do motel. Se não estiver limpo, pode transmitir HPV pelo contato com a superfície contaminada. De acordo com o médico, é essencial que, após a limpeza, o estabelecimento coloque o lacre de higienização. Para o médico, isso mostra que é possível confiar no motel.

— Não é o mais comum jeito de contaminação, mas caso o vaso não esteja limpo, se o contato acontecer, é possível se contaminar com o HPV. Teixeira indica que o usuário forre o vaso antes de usar, para evitar a contaminação

Chuveiro

Para o infectologista, as DSTs não podem ser contraídas pelo contato com o chão do box. De acordo com o médico, os vírus e bactérias de doenças sexuais não duram muito tempo. Teixeira adverte que, dentro do chuveiro, o ideal é tomar banho de chinelo, para não se contaminar com fungos que podem ficar no chão

Toalhas, Lençóis e Cobertores

Qualquer sinal de mancha indica que não houve a higienização ideal para que outra pessoa usasse. É importante que sejam brancos para que o usuário veja a limpeza do local. O médico afirma que é muito difícil acontecer a contaminação de DSTs, mas o contato com a pele é perigoso, porque, assim como nos outros objetos, pode causar escabiose ou sarna, que pode causar coceira e erupções em partes do corpo, e alergias

O infectologista Ralcyon Teixeira ressalta que, apesar dos problemas relacionados à pele, as DSTs dificilmente são transmitidas por contato com objetos não esterilizados.

— O ideal é sempre se proteger com preservativos, porque esse é o principal fator de transmissão de doenças

 

Fonte: R7

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias