Sexta-Feira, 15 de Janeiro de 2016 - 09:11 (Colaboradores)

L
LIVRE

UMA AVENTURA NO BUSÃO DO 40 - NÃO RECOMENDADO PARA HIPERTENSOS

Um calor infernal, veículo quase sem nenhuma condição de trafegabilidade, sujo, mas com funcionários educados e as vezes até se desculpando "pelo transtorno."


Imprimir página

Precisamente as 9h00 da manhã eu cheguei na parada da Raimundo Cantuária com Rua Alba. Ainda não sabia qual ônibus ia pegar e me encostei no poste ao lado da parada para poder ficar na sombra, quatro pessoas esperavam um mesmo ônibus e perguntei qual era: Ulisses via Tancredo Neves! Segundo elas, já esperavam a mais de meia hora, e as 9h45 as quatro senhoras decidiram "rachar" um táxi, caso contrário não chegariam a tempo em seus empregos, no Porto Velho Shopping. Elas me convidaram a ir junto, mas educadamente eu respondi que não tinha pressa.

As 10h05 o bendito ônibus chega. Antes de entrar eu fiz uma foto, e quando entrei o motora perguntou: Gostou do ônibus, heim? Dei sorte logo de início, já que ônibus era um dos 7 que são novos de verdade.

Desci em frente ao Hospital de Base disposto a pegar um tal de Grande Circular B, ou Interbairros, mas depois de 40 minutos peguei um Hospital de Base Via Aeroporto, ônibus com placa de Santos e uma verdadeira carroça. Desci na 7 de Setembro e esperei outro ônibus que fosse no mesmo sentido do HB. De volta a parada do HB esperei o São Francisco e novamente tive que desistir porque o tempo de espera já estava ultrapassando o meu limite de tempo e peguei um Jardim Santana via Tancredo. O motorista me reconheceu e falou comigo e ainda fez um comentário: "Tomara que o ônibus não quebre com você aqui dentro porque ontem ele quebrou." E fomos embora para a Leste sem nenhum problema.

As 15 horas eu retornei minha aventura nos ônibus que fazem as linhas da Zona Sul, e como me falaram que as piores são Norte Sul e Cidade Nova e eu sou adepto de aventuras radicais, fui pra sete de setembro esperar uma dessas carniças. Sem falar no tempo de espera, peguei o Cidade Nova e fui até a Jatuarana e lá eu desci e esperei um Norte Sul voltando ao centro. Um calor infernal, veículo quase sem nenhuma condição de trafegabilidade, sujo, mas com funcionários educados e as vezes até se desculpando "pelo transtorno." 

Sou hipertenso e comecei a sentir que a pressão estava subindo, a cabeça começou a doer, me senti um pouco tonto... um péssimo sinal. Desci na Nações Unidas pensando em me jogar naqueles bancos da primeira parada... Ledo engano, vejam o que eu encontrei:

Eu vou voltar a fazer essa aventura e sugiro que os nossos gestores, secretários, secretários adjuntos, vereadores, pré-candidatos, guachebas, puxa-sacos, comissionados, comprados, vendidos, enfim, façam o mesmo. Mas não vão esperar pelo único articulado que faz apenas duas viagens por dia, já que nele tem ar condicionado bom e segundo me falaram, uma internet também boa, mas como disse, ele só faz duas viagens por dia; Uma de manhã e outra ao meio dia.

Saiam dos seus gabinetes e vão sofrer o que os nossos usuários sofrem e depois vocês podem ir pra rede social contar suas experiências.

Fonte: Carlos Caldeira

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias