Sexta-Feira, 23 de Setembro de 2016 - 09:34 (Colaboradores)

L
LIVRE

SUSSURRAR - Por Max Diniz Cruzeiro

Sussurrar é o ato de pronunciar som audível em baixa vibração, com o intuito de estabelecer contato com algo ou alguém que esteja muito próximo de si.


Imprimir página

Sussurrar é o ato de pronunciar som audível em baixa vibração, com o intuito de estabelecer contato com algo ou alguém que esteja muito próximo de si.

É uma forma de expressão que induz a um encantamento cenestésico, no qual o indivíduo se utiliza de uma sensopercepção a induzir diversas representações da mente ampliando a capacidade de geração da imagem como base de uma configuração de consciência para um indivíduo.

É comum aos enamorados utilizar deste artificio ao interligar boca e ouvido no pronunciamento de palavras que possuem sentido semântico-erógena capaz de guiar como modelo o imaginário do indivíduo para que o enlace lógico possa afetar a libido do indivíduo apaixonado.

O sussurrar também pode ser demonstração de não afetação do ambiente, quando se deseja comunicar sem que o ruído se espalha por sobre o eixo ambiental.

Quando não se deseja acordar alguém, que por precaução deseja-se que o repouso do outro seja continuado, a utilização do sussurro é uma das formas encontradas para transmitir a um terceiro conteúdo que seja importante disseminar.

O sussurro está numa frequência branda abaixo do eixo da comunicação conhecido como fala, e acima de um eixo de comunicação ainda mais restrito conhecido como cochicho.

No sussurro se estabelece uma comunicação moderada, sem que haja um sentido de alarde, que deseja causar restrição na propagação sonora, e ao mesmo tempo denotar equilíbrio no ato de comunicar.

Por ser branda apresenta quase sempre docilidade no ato de comunicação, por isto denota um certo encantamento devido a frequência e a modulação sonora indicar leveza e paz de espírito.

O sussurro já foi muito utilizado nos tempos mais remotos como forma de transmitir instruções necessárias para a emboscada tanto na guerra como também para caças.

Em famílias que possuem crianças pequenas o ato de pronunciar mamanhês (linguagem mítica formada por pais para comunicação com seus filhos na busca de entendimento) é comum o pronunciamento de palavras dentro de uma frequência que aparenta com o sussurro.

Presente nas brincadeiras infantis, em que instruções devam ser repassadas para os parceiros de uma jornada lúdica é de se esperar o seu uso. Um exemplo de brincadeira deste nível é o TELEFONE SEM FIO, onde os participantes contam um enredo e repassam a informação por via de sussurro a fim de que no final de uma fila de indivíduos possa se saber o nível da distorção provocada pelo advento da transmissão da comunicação.

O sussurrar também pode ser observado quando um indivíduo agressor não deseja ser transparente perante a sociedade, e parte para uma agressão velada, em que somente a vítima de constrangimento é perceptível à canalização do som.

Em tribunais, disputas, leilões e negociações, quando não se deseja revelar o tipo de estratégia a ser adotada para uma tomada de decisão para os passos seguintes também o uso do sussurro é observado como medida de contenção do entendimento para um resguardo material.

Por uma questão de educação quando pessoas estão muito próximas o sussurro é uma demonstração de não imposição de uma “verdade” em que se deseja que não seja interpreta como algo coercitivo, e assim, se deseja transmitir e esperar que a transferência de conteúdo haja mais tranquilamente sobre a pessoa receptora.

O sussurro também é uma forma de tranquilizar o ambiente, quando não se deseja alarmar outras pessoas para um perigo eminente numa demonstração absoluta de calma e transparência.

Para que o sussurro tenha sucesso é necessário um ato anterior de respiração, a fim de que a frequência de transmissão possa ser ao máximo prolongada e evitar que a fluência e a dicção da transmissão causem rouquidão no indivíduo emissor da mensagem audível.

O sussurro também está presente em demonstrações de Fé, onde o indivíduo encontra através de processos de docilidade uma forma sensata de pronunciar uma súplica, necessidade ou desejo em relação ao seu Criador.

As mãos as vezes são utilizadas para a canalização do som, a fim de que a direção da informação fique nítida apenas para o indivíduo ao qual se deseja transmitir em ato de comunicação.

Sussurrar pode ser interpretado como um ato de privação em relação a um terceiro, e conforme for a regra social elevar potencialmente a propensão do conflito.

Muitas orações e rezas são organizadas a partir de sussurros onde o crente acredita ser a forma ideal para canalizar Deus em sinal de humildade diante do Criador.

O ato de sussurrar ajuda o sujeito a reestabelecer o seu sistema parassimpático. E assim fazer com que o organismo venha a se desacelerar e a controlar a pulsação dos batimentos cardíacos e a organizar o seu ciclo circadiano.

Pessoas que muito se acostumam com a frequência do sussurro podem a vir a manifestar com mais frequência pensamentos dentro desta vibração de ocorrência. Da mesma forma quando indivíduos se acostumam com ruídos de equipamentos, estes ruídos podem condicionar a psique do indivíduo a infiltrar pensamentos deslocando o sussurro como uma forma de reconhecimento do sinal de transmissão.

Fonte: Max Diniz Cruzeiro

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias