Sexta-Feira, 19 de Agosto de 2016 - 08:38 (Colaboradores)

L
LIVRE

SOPRO - Por Max Diniz Cruzeiro

O sopro é um evento de contração dos pulmões e expansão de fluxo gasoso da direção mais profunda da boca para a parte externa, em que um jato de ar é arremessado por sobre o ambiente a propagar o hálito do sujeito.


Imprimir página

O sopro é um evento de contração dos pulmões e expansão de fluxo gasoso da direção mais profunda da boca para a parte externa, em que um jato de ar é arremessado por sobre o ambiente a propagar o hálito do sujeito.

Geralmente associado como um movimento refrescante que apresenta alívio sobre a parte pela qual o jato de ar está sendo arremessado, o sopro é muito utilizado para diminuição da dor localizada sobre algum membro do corpo.

Também utilizado como forma de manifestação de rivalidade (França), quando alguém mira num rival e pelas narinas solta o ar como quem inflamasse o adversário ou oponente em uma disputa por uma mulher de que se tenha apresso ou admiração.

É uma forma de manifestação sadia, quando uma pessoa homenageada lança o ar projetado de seus pulmões por sobre uma vela que se situa geralmente ao centro do bolo.

Pode ser encarado como diversão, quando utilizado como artifício de fazer bolhas de sabão a fim de que os objetos possam flutuar na atmosfera colorindo a imaginação de quem quer aproveitar momentos de admiração e controle do ambiente.

Elemento auxiliar para secagem de muitos utensílios, como por exemplo: tinta guache, cola líquida, esmalte, e utilizado como forma de resfriamento, principalmente para desaquecer pratos de crianças para evitar a queimadura das regiões mais sensíveis da boca pelo excesso de aquecimento dos alimentos.

O sopro também pode ser observado como forma de preenchimento, principalmente quando utilizado para represar ar em balões e alguns equipamentos infláveis como boias, câmaras de ar e bolas.

É considerado também expressão de vida, quando alguém perde os sentidos, e outra pessoa ao injetar ar pela boca de outra faz por meio do sopro os primeiros socorros.

Em alguns cultos religiosos é considerado profanação, quando o objeto fogo é sagrado, e uma pessoa irrompe um sopro num candeeiro ou vela, a fim de apagar a chama, sendo o método indicado para apagar a chama, as mãos levemente umedecidas ou utilizar de um tampão que apague o fogo por meio da pressão do objeto sobre a chama comprimindo o pavio por sobre a parafina líquida a fim de sufocar o fogo ao preservar a pureza da atividade consagrada.

O sopro pode servir de exercício para o controle ritmo do movimento respiratório, bem como em atividades esportivas servir como momento anterior de uma ação como ato de controle para exercício da atividade futura, como forma de concentração para um novo procedimento que exija coordenação da atividade sensorial.

Também utilizado como forma de emissão de sinais audíveis, configurado na forma de assovio, ou através da utilização de instrumentação no qual venha utilizar este mecanismo como forma auxiliar de projetar sons audíveis em fricção com tais instrumentos.

Pode ser sintetizado para a expressão vocálica a fim de imitar a fala humana, visto em aves e também em pessoas que têm deficiência auditiva, que mesmo apesar da limitação são capazes de pronunciar através do sopro palavras e frases inteiras.

 

Sinal utilizado para chamar a atenção quando se está fora do foco de visão e próximo do corpo de quem quer que seja percebido (lateral da pessoa).

Utilizado como meio de defesa, advertência ou atenção (chamamento), principalmente quando incorporado de forma amplificada na forma de apito colabora para se fazer guarda e sinalização de trânsito.

O ato de soprar é chamado de assopro. E quando muito intenso incomoda as pessoas que estão próximas. Também é um dos principais meios de contaminação de outros indivíduos de vírus e bactérias quando não há contato físico entre duas pessoas, principalmente para gripes e viroses.

Utilizado também como código de combinação entre parceiros em carteados a fim de definir a estratégia de ação a ser adotada em relação a dupla rival como garantia de vencer um duelo ou partida.

O sopro também pode ser utilizado como método de expulsar resíduos em plataformas planas como mesas, a fim de remoção de poeiras, farelos de pão ou outros resíduos sólidos.

Outra forma de aplicação para o sopro é a eliminação de palhas finas em alimentos, como no caso da limpeza do arroz antes de ser levado para cozinhar.

O sopro pode ser utilizado como forma de aliviar dor por ingestão de alimentos picantes, a fim de diminuir tensão e fissura provocada pelo condimento, como por exemplo, pimenta, que provoca uma certa dose de ardor na região lingual e nos lábios de um indivíduo.

O sopro pode ser sintetizado como forma de canalizar libido do ser amado, ao projetar suavemente correntes de ar sobre a pele do ser amado a fim de provocar um estado de delírio libidinal ao ativar a sensibilidade dos pelos pelo corpo. Combinado com elementos de diferentes densidades de temperatura pode provocar variações na pele intensificando ainda mais o “carinho” exercido através das emanações de ar em que o sopro desencadeia sobre a superfície do corpo da pessoa acariciada.

Ajuda a aliviar a aflição quando a temperatura está bastante elevada, ou bastante baixa, este último principalmente quando serve de auxílio para o aquecimento das mãos. Também é um ótimo auxílio para zonas em que existam inflamação cutânea, provocando alívio quando o indivíduo passar por uma situação de ardor e tensão em decorrência de lesão.

Uma pessoa bem treinada pode provocar cócegas em outra através do sopro.

Fonte: Max Diniz Cruzeiro

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias