Segunda-Feira, 09 de Outubro de 2017 - 16:58 (Agricultura)

L
LIVRE

SOJA - Por João Antonio Pagliosa

O grão de soja, entre todas as fontes vegetais alimentares, é o que apresenta o mais alto teor de proteínas (em torno de 40%), algo como o dobro do teor proteico do feijão, outra importante planta das leguminosas, para a dieta dos brasileiros.


Imprimir página

Recentemente visitei a propriedade rural de um companheiro de turma da UFRRJ, um produtor de sementes de soja, no município de Cascavel, oeste paranaense, onde ele cultiva cerca de 200 alqueires, ou aproximadamente 500 hectares.

O agrônomo Carlos Alberto lida com lavoura há mais de quarenta anos, e me testemunhou que sempre teve safras cheias. Então, lhe perguntei: E você, tem sido grato a Deus, por tantas bençãos?

Ele respondeu: Sim, João, eu sempre agradeço a Deus por tudo! Que bom! Sermos gratos é sábio! Bem, a soja é uma extraordinária leguminosa, e tem enriquecido muitas pessoas e nações, com ênfase para os últimos sessenta anos de atividade rurícola.

O grão de soja, entre todas as fontes vegetais alimentares, é o que apresenta o mais alto teor de proteínas (em torno de 40%), algo como o dobro do teor proteico do feijão, outra importante planta das leguminosas, para a dieta dos brasileiros.

Mas as leguminosas são deficientes em aminoácidos sulfurados (metionina e cistina), razão porque rações ou dietas a base de milho e soja necessitam ser suplementadas com metionina sintética.

As Proteínas são feitas de um grande número de combinações de aminoácidos, e oito deles precisam ser providos pela dieta porque nosso corpo não é capaz de sintetiza-los, razão porque são denominados aminoácidos essenciais: lisina, metionina, valina, triptofano, treonina, leucina, isoleucina e fenilalanina.

A soja é deficiente em metionina e os cereais são deficientes em lisina. Então, soja e milho formam uma combinação nutritiva ideal para uma alimentação saudável. Basta suplementar aminoácido sintético.

Nos últimos 20 anos, o crescimento anual da produção de soja em nosso país foi de 3,5 milhões de toneladas, ou seja, um incremento de 13,4% a cada ano, uma coisa inédita em todo o mundo e que permitiu tornar o Brasil o maior exportador de soja em grão do planeta.

Vinte anos atrás nossa produção era de 26 milhões de toneladas de soja. Neste ano, superamos a barreira de 100 milhões de toneladas de soja em grão. Um feito histórico!

Parabéns produtores rurais, vocês merecem ser aplaudidos de pé!

Fonte: 010 - João Antonio Pagliosa/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias