Quinta-Feira, 22 de Fevereiro de 2018 - 19:04 (Geral)

L
LIVRE

SISTEMAS DE MONITORAMENTO PREVEEM CHUVAS ACIMA DA MÉDIA NA BACIA DO MADEIRA

O estudo foi apresentado na tarde desta quarta-feira, 21, durante a videoconferência da Sala de Crise do Madeira.


Imprimir página

De acordo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) a previsão para os próximos dias é de chuva acima da média na bacia do Rio Madeira. O estudo foi apresentado na tarde desta quarta-feira, 21, durante a videoconferência da Sala de Crise do Madeira.

Participaram da reunião representantes de órgãos de defesa e monitoramento da Agência Nnacional de Águas (ANA), Cemaden, Ministério do Meio Ambiente (MMA), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Energia Sustentável do Brasil – empresa responsável pela Usina Hidrelétrica de Jirau –, UHE de Santo Antônio, governos de Rondônia e Acre, por meio do Instituto de Mudanças Climáticas (IMC) e Defesa Civil, entre outras instituições.

Com o intuito de prevenir danos na BR-364, em caso de uma subida repentina do Madeira, o coletivo remarcou o próximo encontro para a próxima sexta-feira, 23. Na ocasião, gestores e pesquisadores vão revisar os dados, que apresentam o volume expressivo de chuva, e traçar medidas de atuação.

“Solicitamos que o alerta seja dado quando água estiver a 30 centímetros de atingir a estrada. Ficou acordado que, em caso de inundação da rodovia, seremos avisados cinco dias antes, para que possamos colocar o plano de contingência em ação”, salientou a diretora técnica do IMC, Vera Reis.

A trafegabilidade na BR-364 entre Acre e Rondônia continua estável. Nesta quarta-feira o Rio Madeira registrou a cota de 21,36 metros, no Abunã – um centímetro a menos que no dia anterior.

Em janeiro, o governo acreano cobrou da União e das usinas hidrelétricas ações emergenciais diante de um transbordamento do manancial na BR-364 e isolamento do restante do país. A ANA comprometeu a criar a Sala de Situação do Rio Madeira e a Energia Sustentável do Brasil (ESBR) – empresa que administra a Hidrelétrica de Jirau – se comprometeu regular a vazão das águas das comportas de forma a evitar uma inundação da pista. Jirau garantiu ainda que irá iniciar as obras de elevação dos trechos de vulnerabilidade da BR-364, tão logo o projeto seja aprovado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit).

Fonte: 012 - agencia.ac

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias