Sabado, 25 de Novembro de 2017 - 10:35 (Meio Ambiente e Ecologia)

L
LIVRE

SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL APRESENTA RESULTADO DOS MAPEAMENTOS DE ÁREAS DE RISCO EM RONDÔNIA

Na capital Porto Velho foram identificados 36 áreas de alto risco, que somam cerca de 4.300 imóveis e 17 mil pessoas, que podem ser atingidas por inundações. Em março de 2014, registramos inundação na região que chegou a 19,73m.


Imprimir página

Brasília - Os dados que serão divulgados na segunda-feira (27/11) pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), são resultado da Ação Emergencial para Reconhecimento de Áreas de Alto e Muito Alto Risco a Movimentos de Massas e Enchentes, que percorreu 35 municípios de Rondônia. O trabalho foi realizado pelos pesquisadores da Residência de Porto Velho.

Área de risco identificada durante trabalho de campo

Na capital Porto Velho foram identificados 36 áreas de alto risco, que somam cerca de 4.300 imóveis e 17 mil pessoas, que podem ser atingidas por inundações. Em março de 2014, registramos inundação na região que chegou a 19,73m.

A setorização de riscos geológicos tem por finalidade a identificar, classificar, delimitar e a caracterização de áreas ou setores de risco sujeitos a movimentos de massa – enchentes, deslizamentos e enxurradas.

A iniciativa faz parte do Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais, que atua em quatro eixos, prevenção, mapeamento, monitoramento e resposta,coordenado pela Casa Civil da Presidência da República com participação dos Ministérios da Integração Nacional, de Minas e Energia, das Cidades, de Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicação e da Defesa.

Desde 2011, o Serviço Geológico do Brasil atua no eixo da prevenção, mapeando áreas de risco em 1.270 municípios com potencialidade de risco aos processos de deslizamento, enxurradas, inundações e erosões.

Os mapas resultantes deste trabalho emergencial são disponibilizados às Defesas Civis de cada município e os dados finais irão alimentar o banco nacional de dados do CEMADEN (Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), ligado ao Ministério de Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicação, órgão responsável pelos alertas de ocorrências de eventos climáticos de maior magnitude que possam colocar em risco vidas humanas, e do CENAD (Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres), ligado ao Ministério da Integração Nacional, que como algumas de suas atribuições inclui o monitoramento, a previsão, prevenção, preparação, mitigação e a resposta aos desastres, além de difundir os alertas nos estados e municípios.

Evento

 

Data: Segunda-feira, 27 de Novembro às 9h

Local: Sindicato das Indústrias de Construção Civil, Rua José Camacho, 2574, Liberdade, Porto Velho

Fonte: Maíza M. Ribeiro Martarole/CPRM - Serviço Geológic

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias