Quinta-Feira, 31 de Março de 2016 - 17:35 (Dica de Leitura)

L
LIVRE

SEIS VEZES EM QUE BRINCADEIRAS DE 1º DE ABRIL VIRARAM TERRÍVEIS DESASTRES

Nos EUA, o número de ocorrências desse tipo de massacre infelizmente cresceu bastante nos últimos anos.


Imprimir página

 

1. Tiroteio na escola

Nos EUA, o número de ocorrências desse tipo de massacre infelizmente cresceu bastante nos últimos anos. Pensando em brincar com isso, Angela Timmons mandou uma mensagem no celular da filha, em 1º de abril de 2014, falando que a faculdade em que ela trabalha estava sendo alvo de um tiroteio.

Temendo que não pudesse ligar para a mãe, a menina resolveu procurar diretamente as autoridades policiais. Em apenas alguns minutos, a Virginia College, na cidade de Spartanburg County, estava cercada de viaturas. Angela acabou presa por perturbação da paz, com agravante de ser em uma instituição de ensino.

2. Prazo apertado

Glenn Howlett estava em férias quando recebeu um recado de seus colegas do escritório avisando que um importante relatório precisava ser entregue o quanto antes. A data inicial estava prevista para depois que Howlett voltasse a trabalhar, por isso ele resolveu encurtar a viagem e terminar o material a tempo.

Só que o estresse causado pelo nervosismo fez com que Howlett passasse muito mal, tivesse palpitações e acabasse no hospital. No período internado, ele resolveu processar a empresa. Agora, na cidade de London, no Canadá, existe até uma lei proibindo que mentiras sejam inventadas no ambiente de trabalho.

3. Crise política

Em 1986, um oficial da inteligência israelense usou a data para inventar que Nabih Berri, então líder de um movimento xiita, tinha sido gravemente ferido em uma tentativa de assassinato. A brincadeira de péssimo gosto foi interpretada com seriedade e divulgada durante a manhã inteira através de rádio.

A tensão no Oriente Médio cresceu por conta desse fato, e o ministro da Defesa de Israel da época, Yitzhak Rabin, precisou colocar panos quentes, explicar a situação e garantir que o oficial fanfarrão seria julgado na corte marcial do país.

4. Titanic criando mais estragos

A história do Titanic causou uma nova tragédia, dessa vez em East Sussex, na Inglaterra. Tudo porque, em 2001, um radialista inventou que era possível ver uma réplica do navio se a pessoa subisse no topo do penhasco em Beachy Head.

Muitos ouvintes acreditaram, tanto que teve gente que dirigiu quase 70 km para tentar vislumbrar a embarcação. A guarda costeira informou que as falésias da região ficaram tomadas de pessoas, tanto que, por conta do peso, acabou criando uma rachadura que fez o penhasco despencar dias depois.

5. Invasão alienígena

Em 2010, o jornal Al Ghad publicou, no dia 1º de abril, que uma nave alienígena havia pousado nos arredores da cidade de Jafr, na Jordânia. O que era para ser apenas uma pegadinha quase se tornou uma catástrofe, já que o prefeito acreditou na história e ordenou a evacuação imediata de Jafr com ajuda das forças armadas.

6. Pegadinha mortal

Lin Senhao, um ex-estudante de Medicina, quis pregar uma peça em seu colega de quarto colocando dimetilnitrosamina em seu reservatório de água. Acontece que esse composto químico é extremamente tóxico e causou a morte acidental do rapaz.

O estudante alegou que tudo era para ser uma brincadeira. Ele chegou a diagnosticar o colega de quarto no dia seguinte à pegadinha e foi visitá-lo no hospital nos dias seguintes, antes de o coitado ter uma falência múltipla de órgãos. Senhao foi condenado à morte, tendo perdido, recentemente, a apelação contra essa sentença

Fonte: tecmundo

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias