Quarta-Feira, 20 de Setembro de 2017 - 18:47 (Artigos)

L
LIVRE

SAIBA POR QUE VOCÊ ABANDONA SUA DIETA - Por Flavio Melo Ribeiro

No abandono das dietas existe um ciclo vicioso bastante comum: Primeiro a pessoa se vê acima do peso e insatisfeita com seu corpo.


Imprimir página

Então resolve iniciar a dieta e utiliza esse sentimento de insatisfação como fator motivacional. Mas logos nas três primeiras semanas passa por diversas dificuldades para manter o que se prometeu, ora por ter elegido uma meta de emagrecimento fora das suas condições, ora por ter escolhido uma dieta que lhe exige muito tempo para prepara-la, ou mesmo por ter um habito alimentar que a faz descumprir o que está prescrito, e por esses, e outros motivos acaba desistindo. Ao voltar a forma antiga de alimentação vive um sentimento de frustração muito forte, fica triste e por não querer viver a tristeza, busca o prazer através da comida. Percebe-se comendo mais do que devia e sem controle, fica então com raiva de si e come mais ainda. Com o passar das semanas este movimento tende a equilibrar e a pessoa faz nova crítica do seu corpo, fica insatisfeita, promete que dessa vez conseguirá fazer dieta e emagrecerá. E assim fica nesse ciclo vicioso e tem como resultado um pouco mais de peso.

Qual o problema principal? Não é nem a dificuldade de preparo dos alimentos, nem seu hábito antigo, pois isto é possível de contornar e controlar. O maior problema que vejo é o desequilíbrio psicológico, tanto na falta de atenção, quanto no descontrole da ansiedade. Esses são dois fatores fundamentais para que a dieta dê os resultados esperados, mas geralmente não são levados em consideração. Tanto que é comum depois da segunda semana a pessoa iniciar as refeições pensando em outras atividades do seu dia e consequentemente ingere os alimentos sem se dar conta da quantidade e da maneira com que mastiga, ou melhor, do quão pouco mastiga. É sabido que a saciação também está ligada a quantidade de vezes que se mastigam os alimentos ingeridos. Mas para que isto ocorra é necessário a pessoa estar atenta ao ato de comer. Prestar atenção no que está colocando na boca, saborear os alimentos, distinguir seu aroma e gosto, mastigar muitas vezes para extrair todo o sabor e aí sim ingerir. Faça isso diariamente até adquirir o hábito e notará que diminuirá a quantidade de alimento que passará a ingerir. Com o tempo mudará parte dos alimentos, pois será mais exigente na qualidade.

Quanto a ansiedade, este será o tema do próximo artigo, pois uma vez controlada, tende a cortar esse ciclo vicioso. Aguarde o próximo artigo.

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro

CRP12/00449

Fonte: 010 - Flavio Melo Ribeiro

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias