ROUBO DE MADEIRA ILEGAL NÃO É COMBATIDO PELA SEDAM E IBAMA NO JAMARI - News Rondônia O vai-e-vem é intenso e só faz aumentar a mobilização de caminhões e tratores nas áreas supostamente fiscalizadas.

Porto Velho,

Terça-Feira , 21 de Abril de 2015 - 23:41 - Colaboradores


 


ROUBO DE MADEIRA ILEGAL NÃO É COMBATIDO PELA SEDAM E IBAMA NO JAMARI

O vai-e-vem é intenso e só faz aumentar a mobilização de caminhões e tratores nas áreas supostamente fiscalizadas.

ImprimirImprimir página

Vila Samuel, CANDEIAS – A suposta leniência por parte da Coordenadoria de Fiscalização [COPAM] da Secretaria do Desenvolvimento Ambiental [SEDAM] e a discutível repressão do IBAMA [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis] só fortalece o avanço do roubo e o comércio de madeira ilegal no Vale do Jamari e região.

Em Samuel, é constante a presença de toreiros e madeireiros transportando madeira em carretas com destino ao sul do País e à região Sudeste’. O vai-e-vem é intenso e só faz aumentar a mobilização de caminhões e tratores nas áreas supostamente fiscalizadas.

Além do roubo de madeira, infesta a região de Vila Nova Samuel e Triunfo, no município de Candeias do Jamari, ‘a presença de servidores e assentados envolvidos na transação do produto sem certificação’. Há casos de veículos oficiais flagrados na operação de desmate e transporte, porém, ‘os ilegais nunca são alcançados pelas autoridades’.

Um caminhão da secretaria Municipal de Educação [SEMED], além de vir sendo usado em operações não autorizadas em mudanças, ‘o veículo é sempre visto transportando madeiras’. Além disso, revelam agricultores, ‘em Triunfo há denúncias de que parte da frota da prefeitura já foi ou pretende-se ser usada nesse tipo de movimentação ilegal.

Ao menos, um servidor lotado na SEMED já foi denunciado ao prefeito da cidade, mas nenhuma providência teria sido tomada a respeito pelas autoridades locais.

Em ações paralelas ao transporte de madeira de origem não comprovada, pelo menos parte de um total de 16 baterias supostamente furtadas da frota de ônibus escolares da SEMED poderia ser encontrada em caminhões toreiros, afirma as fontes rurículas das regiões mais afetadas.

Por outro lado, a madeira que sai das fundiárias das linhas demarcadas em projetos de assentamentos, com destaque para a Linha 45 e suas sub-linhas e travessões, são transportadas na calada das noites em comboios de carretas e caçambas. A maioria destrói pontes e pinguelas face o tráfego pesado sobre as mesmas.

A população não vê outra saída, senão de uma tomada de atitude mais radical por parte das autoridades. Segundo habitantes locais, ‘o prefeito Francisco Sobreira de Soares, O CARECA, tem conhecimento da situação, mas ainda não delegou nenhuma ação repressiva no sentido de coibir a extração, o tráfego e o comércio ilegal dentro do município e suas cercanias.

Na Câmara, o vereador Bejim, do Partido Verde [PV] acusou frontalmente os madeireiros e toreiros. ‘como os responsáveis diretos por parte da devastação da floresta e pela destruição de pontes e estradas vicinais’. E lamentou, na ocasião, que, ‘tenho amigos madeireiros envolvidos na ação’. Mas, segundo ele, ‘cabe a SEDAM e ao IBAMA a repressão à extração ilegal’.

Para que haja fiscalização, ao menos por parte dão Batalhão Ambiental [BPA-Rondônia], ’é necessário que a prefeitura instale um posto fiscal nas entradas e saídas de acesso a Vila Nova Samuel e no distrito de Triunfo’, conjuntamente, com a SEDAM e IBAMA, atestam servidores da Secretaria Municipal de Finanças e vereadores ouvidos na base aliada do prefeito CARECA.  

- Na ausência de fiscalização, a carga deveria ser transportada associada ao  Documento de Origem Florestal (DOF) e, geralmente, ‘consta inúmeras irregularidades’; ainda assim, ‘poucas vezes chegam a ser apreendidas na barreira da Polícia Rodoviária Federal’.

NOTICIAS RELACIONADAS

Fonte: Xico Nery/NewsRondonia

Comentários do Facebook

Veja Também

Publicidade

  • Http://www.Auto-doc.pt