Terça-Feira, 24 de Setembro de 2013 - 19:48 (Colaboradores)

RONDONIENSES JÁ CONTAM PREJUÍZOS COM DERROTAS OU VITÓRIAS DAS PRÉ-CANDIDATURAS DE CONFÚCIO E HERMÍNIO

Nesta parte controlada pelo município e pelo Estado, a maioria dos nativos ouvida por este site, afirma que, ‘na floresta do Jaci-Paraná, extinta pela SEDAM não tem só macacos, madeireiros ladrões e fazendeiros grileiros, não!’.


Imprimir página

Ponta do Abunã, Porto Velho – Enquanto mais de dois terços dos deputados resistem a deixar o governo de Rondônia, e aliados reagirem com desconforto pessoal à possibilidade de o mandatário Confúcio Moura [PMDB], antecipar à saída de secretários com nota abaixo da média, o sonho de José Hermínio Coelho [PSDD] não pode ser sustentado apenas por parte de servidores, sindicalistas ou agentes públicos.

A suposta isenção de culpa dos dois na ‘Operação Apocalipse’ não basta. Também não basta apenas o ‘poderoso’ deputado Hermínio Coelho ouvir assessores tidos incendiários. Por conta, perdeu gratuitamente um dos braços fortes do diagrama científico da ALE-RO, o economista Sílvio Persivo. E outros de maior ou menor importância do cenário político regional.

Nesta parte controlada pelo município e pelo Estado, a maioria dos nativos ouvida por este site, afirma que, ‘na floresta do Jaci-Paraná, extinta pela SEDAM não tem só macacos, madeireiros ladrões e fazendeiros grileiros, não!’.

TRISTE FIM - O cronograma inicial do histórico de lutas encorpadas pelo ex-cobrador de ônibus feito vereador - e agora deputado - registra um segundo sonho; o de parar, um dia,  todo o sistema de transporte em Rondônia atesta parte de ex-comissionados aliados do foragido Walter Araújo [PTB]. A maioria da lida em ranchos, fazendas e serrarias locais, entre as quais, de investigados pela Polícia Federal e sitiadas pela Força Nacional de Segurança.

Para as lideranças campesinas, muitas das quais, apóiam mesmo é a busca da autonomia política e administrativa de suas cidades, ‘a briga de foice dos dois nada trará de progresso à região’. Sem ajuda do município, do Estado ou de deputados, acreditam que ‘a dupla deveriam avaliar os prejuízos com derrotas já empreendidas contra os interesses da população’.

LUTA PELA PODER - Eleitores de Jacy-Paraná, Nova Mutum, Extrema, Vista Alegre do Abunã e Nova Califórnia e outros distritos, parte deles sabe que os dois mandatários sempre estiveram debruçados apenas sobre as opções do PSD e do PMDB na sucessão rondoniense. Contudo, desconhecem os prejuízos causados aos ribeirinhos, pequenos proprietários rurais e a nativos órfãos das usinas de Jirau e Santo Antônio

Um pouco mais à frente, simpatizantes do falecido Gaúcho, em Extrema, acreditam, no entanto, que ‘os prejuízos resultantes de um eventual naufrágio de Hermínio ou de Confúcio na disputa pelo Palácio Presidente Vargas, já que dinheiro público estará em jogo e seus projetos não seriam socializados, até agora, pelos dois maiores expoentes da política tupiniquim’. Tudo isso, ‘se até as convenções um novo nome não encorpar as atenções dos movimentos populares’.    

NARCOTIZAÇÃO POPULAR - Na opinião da mídia local, ‘os podres palacianos, de secretários Confucionistas, da presidência e de assessores Coelhistas estão por vir’. Dos dois lados, a mídia publicada pelos Departamentos de Comunicação [DECOMs] do Palácio Presidente Vargas e da ALE-RO, é feita por empresas privadas pagas e está disponível em rádios, tevês, jornais e sites de notícias, enquanto a contribuintes é negada a presença do Estado em seus grotões.

- Eles esquecem que nas comunidades tradicionais, existentes desde os anos 1.500, suas terras e suas riquezas são roubadas para financiar sistemas decadentes e usurpadores dos direitos de todo’, denunciam lideranças da extinta Reserva Extrativista no Rio Jacy-Paraná.

E desabafam: ‘Lá não viviam só macacos, araras, papagaios, pacas ou urubus se alimentando de cadáveres desovados em varadouros’. Mas povos indígenas, negros e migrantes brancos chegados à região em massa depois da abertura das fronteiras agrícolas rondonienses.

RINHA DE GALO E CARTEADO – Palacianos e deputados pró e contra a dupla, ouvidas por este site, chegam a ironizar a atuação de aliados de Hermínio Coelho que ainda, supostamente, tentariam controlar algumas pastas no governo. Questionados sobre o assunto, disseram que, ‘Coelho defende, desde o início do imbróglio, o controle da máquina pública a seu favor’.

E viria lutando para que uma meia-dúzia de pastas de Governo retornasse ao comando de deputados aliados, mas a ‘Operação Termópilas’ teria melado o negócio e, sem o retorno, isso teria obrigado o mandatário Confúcio a acelerar o esforço para um enxugamento de cargos de aliados dentro da máquina pública. Isso teria levado a uma debandada Coelhista e Walterista à base do PMDB e a antecipação de demissões e mudanças antes disso.

À PÃO-DE-LÓ - Nomes como JESUALDO PIRES [prefeito de Ji-Paraná], Neodi Carlos, Luiz Cláudio, Kaká Mendonça, Euclides Maciel e outros teriam passado a circular com desenvoltura no Palácio Presidente Vargas, Emater, IDARON, SEAGRI, SEDUC, SEDAM e fazer nomeações até mesmo no segundo escalão do não menos famoso Governo da Cooperação.

Para irritação de José Hermínio Coelho, no antes e pós ‘Operação Apocalipse’, disseram as mesmas fontes nativas.

Mas não é só Hermínio o errado. As críticas atingem, na mesma proporção, o mandatário rondoniense. Na inicial, os nomes do cunhado Francisco de Assis continua a bola da vez. É dele, segundo as fontes, ‘a maior culpa dos embaraços que envolvem o Palácio Presidente Vargas’. Em linhas gerais, ‘o Judiciário deve alcançá-lo, assim como colaboradores de Hermínio desde seu mandato de vereador’.

SEPUCRAL, SIM, SENHOR! - Quanto a isso, ambos silenciam sobre a saída verdadeira desses tipos de assessores pagos com o dinheiro do contribuinte rondoniense, cujo dinheiro deveria proporcionar uma melhor estrutura ao Estado e a ALE-RO à população incauta, até hoje, distante das decisões que tomam a seu favor pelo poder público.

Por fim, nesta segunda-feira [23], à reportagem, universitários e eleitores abunandenses disseram que, Hermínio Coelho, antes petistas radical, ‘é a esperança perdida da extrema direita porto-velhense’. E que ele lidera de todo um pouco do longa-metragem estrelado por si mesmo e uns três ou quatro assessores midiáticos beiradeiros que já serviram Oswaldo Piana, José Bianco, Valdir Raupp, Ivo Cassol e que, agora, estariam fora das hostes palacianas’.

CHOQUE CULTURAL - Filhos de nativos buscando formação na Bolívia, Peru, Argentina, México, Estados Unidos, Canadá e até nos Países Baixos [Holanda, Luxemburgo e Bélgica], atestam, contudo, que, ‘Walter Araújo repetiu Bin-Laden, fez Hermínio Coelho vice-presidente da ALE-RO e este seria o vice em sua chapa ao governo nas eleições do ano que vem’.

Para eles, ‘o plenário da ALE-RO nunca suportou o peso de uma política honesta, transparente nem aceitou choques culturais’. E sim, optariam sempre pelo voto secreto, as barganhas palacianas e sabotagens de governos considerados insurreitos aos interesses desse mesmo plenário’.

Revelaram, ainda, as fontes anônimas, que, ‘tanto deputados quanto governos rondonienses sempre percorreram com muita facilidade de uma trama de espionagem e corrupção a mais bufa das comédias, supostamente, em defesa de projetos populares, sobretudo quando os microfones e holofotes pagos e abertos apontam a ALE-RO ou ao Palácio Presidente Vargas’.

XERIFE É OPINADO - Questionados se o secretário de Segurança, Defesa e Cidadania, Marcelo Bessa deve parar as investigações na Operação Apocalipse, disseram não. Segundo eles, ‘o SIM do Ministério Público pode não significar o NÃO TOTAL esperado pelo Judiciário Estadual, Federal e ao Conselho Nacional de Justiça’.

A decisão MPE não é de toda abrangente que torne deputados, vereadores, traficantes ou bailarinas imunes a um possível desdobramento da Apocalipse à lavagem de dinheiro e a outros crimes tipificados no Código Penal. Nesse caso, diz um concludente de Direito Internacional, ‘os braços da PF podem alcançar bens móveis, imóveis, contas CC5 ou mesmo a terceira geração de parentes dos investigados até mesmo paraísos fiscais a partir do Nordeste e sul do País’.

E como Rondônia estaria 100% equipada, ‘podem investigar lavagem de dinheiro, novos subpreços em licitações, pagamentos a mídia, viagens, diárias, banquetes à francesa, combustíveis e supostas cessões aos aliados em pacotes de bondades’, ironizaram.

WALTER ESTÁ ENTRE TODOS - Por fim, exigiram de Confúcio Moura e José Hermínio Coelho a entrega à sociedade rondoniense do ex-deputado evangélico foragido, Walter Araújo. E citaram como um dos supostos locais que freqüentaria o Parque Circuito na Capital Porto Velho. Informados, citaram o caso de Bin-Laden que optou por um refugio ao lado de um quartel general no Paquistão, sem despertar suspeitas outras.

XICO NERY é Produtor Executivo, de Rádio, Jornal, TV, Repórter Fotográfico e CONTATO de Agências de Notícias nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos.

Fonte: Xico Nery

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias