Segunda-Feira, 05 de Março de 2018 - 16:23 (Geral)

L
LIVRE

RONDÔNIA TRABALHA COM A POLÍTICA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NA AGRICULTURA FAMILIAR

A proposta do programa é buscar a construção coletiva de estratégias para o enfrentamento da problemática socioambiental rural, por meio de ações educativas, com vistas à adoção de práticas sustentáveis na agricultura familiar e no manejo dos territórios rurais.


Imprimir página

Dentro da Política Estadual de Educação Ambiental, que norteia as ações de incentivo e fomento aos programas socioambientais em Rondônia, a Secretaria de Estado da Educação Ambiental (Sedam) trabalha com a elaboração do Programa Estadual de Educação Ambiental na Agricultura Familiar (PEAAF), tendo como foco o descarte correto de embalagens de agrotóxicos pelos agricultores e a utilização de técnicas sustentáveis. A coordenadora de Educação Ambiental da Sedam, Maria do Rosário, explicou que as discussões foram iniciadas em 2011 com o Ministério do Meio Ambiente, culminando com uma oficina em 2015 para a formulação do programa com a participação de instituições públicas municipais, estaduais, federais, organizações não governamentais e a sociedade civil organizada.

Nos últimos dois anos (2016 e 2017) as atividades seguiram com reuniões para nivelamento das informações das atividades realizadas pelas instituições participantes para que a formulação do programa ocorra de forma coesa para atender às necessidades do público alvo. “O principal objetivo é que o programa aglutine forças e expertises para a otimização de recursos financeiros e humanos e atenda às necessidades dos agricultores familiares”, reforçou.

A proposta do programa é buscar a construção coletiva de estratégias para o enfrentamento da problemática socioambiental rural, por meio de ações educativas, com vistas à adoção de práticas sustentáveis na agricultura familiar e no manejo dos territórios rurais.

Este programa, segundo Maria do Rosário, é fruto da reivindicação dos movimentos de agricultores e agricultoras familiares realizada no Grito da Terra 2009 e outras manifestações que apontaram a fragilidade da Educação Ambiental no contexto rural. Desde então, sua elaboração e aperfeiçoamento têm sido realizados de forma contínua e participativa, por meio do diálogo com sujeitos sociais atuantes no setor. “O PEAAF é a materialização da contribuição da Política Nacional de Educação Ambiental a essa demanda socioambiental, e vem a colaborar com um conjunto de ações que os governos federal e estadual têm implementado para melhorar a qualidade de vida no campo”, detalhou a coordenadora.

Para a implementação do programa nos municípios, Maria do Rosário revelou que, além da oficina, busca-se informações sobre as ações de orientações ao produtor rural promovidas pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Entidade Autárquica de Apoio Técnico e Extensão Rural (Emater-RO), bem como, junto à Superintendência Estadual do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). “O foco é tornar o resultado dessas ações um instrumento de proteção ao meio ambiente; de contribuição ao desenvolvimento rural sustentável; de apoio à regularização ambiental das propriedades rurais, no âmbito da agricultura familiar; de fomento aos processos educacionais críticos e participativos que promovam a formação, capacitação, comunicação e mobilização social; além de promover a agroecologia e as práticas produtivas sustentáveis”, ressaltou.

Fonte: 010 - SECOM - GOV/RO

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias