Segunda-Feira, 13 de Novembro de 2017 - 16:49 (Cidades)

L
LIVRE

RONDÔNIA MAIS SEGURA: AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE AÇÕES SOBRE SEGURANÇA PÚBLICA EM PIMENTA BUENO

A juíza da vara criminal da comarca, Roberta Cristina afirmou que a quantidade de pessoas sem residência fixa é incompatível com o tamanho da cidade.


Imprimir página

A quantidade de andarilhos pelas ruas de Pimenta Bueno, comprovadamente, sem residência fixa, preocupa a população, e foi um dos temas debatidos durante audiência pública sobre segurança realizada na sexta-feira (11). Medidas para contornar a situação já foram tomadas no sentido de amenizar o problema, depois resolver de maneira definitiva.

A juíza da vara criminal da comarca, Roberta Cristina afirmou que a quantidade de pessoas sem residência fixa é incompatível com o tamanho da cidade. Ela atribui o fenômeno ao fato de Pimenta Bueno ser área de fronteira e que se transforma em rota de fuga para criminosos, muitos dos quais, integrantes do crime organizado.

A magistrada alerta: ainda que essas pessoas não se enquadrem como eventuais traficantes e sejam somente usuários, isso não diminui a gravidade do problema, tendo em vista que o usuário de droga é capaz de matar quando tem dificuldade de conseguir a droga para o consumo.

O secretário de Segurança, Lioberto Caetano, durante palestra, comentou de forma convergente a intervenção da juíza. Ele apresentou o mapa considerado causa raiz dos índices de criminalidade, não só em Rondônia como em todo o país. “Isso precisa ser resolvido com serviço de inteligência e o emprego de tecnologia como já estamos trabalhando”.

De acordo com dados da ONU, apresentados por Caetano, 71% de todos os crimes que ocorrem no Brasil têm origem no tráfico de cocaína. O crime organizado contra ele mesmo é que produz as vítimas fatais, na disputa de poder. Por se localizar na região de fronteira, Rondônia e demais Estados da região amazônica são os mais afetados.

Países como Colômbia, Peru e Venezuela, juntos, produzem 92 % de toda cocaína consumida no planeta. O Brasil é o segundo maior consumidor do produto perdendo apenas para o os Estados Unidos, que lidera o ranking.  No Brasil, São Paulo é o maior consumidor, seguido por Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Portanto, ressaltou Caetano, “se enfrentarmos o tráfico de cocaína nas fronteiras que compreende a Amazônia Legal, estaremos diminuindo os índices de criminalidade no sudeste, e demais Estados da federação. É o que chamamos de enfrentamento”.

Através do Programa Rondônia Mais Segura, lançado pelo governo em setembro, todas as medidas já estão sendo tomadas para melhorar os indicadores de criminalidade não só em Pimenta, como em outros 21 municípios considerados mais violentos, de acordo com informações da Gerência de Estratégia e Inteligência da Sesdec (GEI).

Em Pimenta Bueno; o videomonitaramento é uma ação importante, em fase de implantação; o aumento do efetivo policial é outra medida que está na pauta.

Para o secretário, é necessário o engajamento de toda a população nas prepactuações encaminhadas pela equipe do Programa Mais Segura: com a prefeitura; câmara de vereadores; e demais segmentos da sociedade civil.

O promotor de Justiça de Pimenta Bueno, Willer Araújo Barbosa, foi enfático ao afirmar que segurança pública não se resume em ações de polícia. Ele elencou alguns  fatores que podem contribuir de maneira decisiva para o enfrentamento ao crime organizado.

Políticas Públicas na área social; urbanização de vias nas periferias, para garantir acesso das polícias e dos bombeiros; iluminação pública; e a garantia do acesso à cultura e o lazer para a juventude.

Todas as ações elencadas pelo promotor Willer fazem parte do Programa Rondônia Mais Segura apresentado a prefeita Juliana Roque, um dia antes.

Juliana Roque elogiou a iniciativa do governo e agradeceu a visita da equipe do Programa Rondônia Mais Segura, à cidade. O programa tem como característica principal, ouvir o município e estabelecer o diálogo.

“É a primeira vez na historia que Pimenta Bueno recebe uma equipe de governo para ouvir os anseios da sociedade”, disse a prefeita, ao se referir a reunião com a equipe do Programa Rondônia Mais Segura.

O secretário de educação, Valdo Alves, se colocou a disposição da Sesdec e do município para ajudar a conduzir as pretensões do governo de Rondônia em relação ao novo conceito de segurança pública implantado, como quer o governador Confúcio Moura.

A audiência é um esforço do Executivo Estadual com iniciativa dos deputados Cleiton Roque (PSB), e Só Na Benção (PMDB), ambos da região de Pimenta Bueno. Contou com a participação do secretário de segurança pública, Lioberto Caetano, secretário de Educação, Valdo Alves; representantes do poder Judiciário, Ministério Público. A prefeita do município, Juliana Roque (PSB); o subcomandante  geral da PMRO coronel Clairton, delegado geral adjunto de Polícia Civil, Antônio Carlo do Reis;  vereadores, também participaram.

 

.

Fonte: secom/gov-ro

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias