RONDÔNIA: FICHADO COM INVESTIMENTO ‘ZERO’ EM SANEAMENTO BÁSICO - News Rondônia Numa pesquisa por amostra de domicílio encomenda pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) para saber o que os governantes investiram do dinheiro do – PAC expôs o Estado ao ridículo.

Porto Velho,

Terça-Feira , 17 de Novembro de 2015 - 11:50 - Colaboradores


 


RONDÔNIA: FICHADO COM INVESTIMENTO ‘ZERO’ EM SANEAMENTO BÁSICO

Numa pesquisa por amostra de domicílio encomenda pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) para saber o que os governantes investiram do dinheiro do – PAC expôs o Estado ao ridículo.

ImprimirImprimir página

Por Emerson Barbosa
Imagens: Raimundo Brito

Nem mesmo que o governo de Rondônia tivesse feito uso da verba R$ 700 milhões, do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC-1) do governo federal repassado para ser investido em saneamento básico, nos anos de (2009-2013) e anunciado pelo governo de Confúcio Moura em 2014 numa treplica do que já havia sido levado a público, na gestão do ex-governador Ivo Cassol que deixou o cargo há mais de cinco anos, o Estado chegaria a (2030) ano que o poder executivo federal projetou para o cumprimento das metas referentes ao saneamento básico das capitais brasileiras em dia.

Numa pesquisa por amostra de domicílio encomenda pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) para saber o que os governantes investiram do dinheiro do – PAC  expôs o Estado ao ridículo. No Norte brasileiro, Rondônia tem competido com municípios do gigantesco Estado do Pará, onde fica Ananindeua uma cidade com característica de país da África.

A capital Porto Velho foi fichada como a cidade mais ‘judiada’ quando o assunto é saneamento básico, diga-se de passagem: água tratada e sistema de esgoto que leva a qualidade de vida.  Na pesquisa apenas 77% da população conta com água tratada e 2% com sistema de esgoto e isso para uma cidade com população pertinho dos 500 mil habitantes. É ou não é para chorar?

O bairro Jardim Eldorado na zona sul de Porto Velho é um exemplo da má vontade pública. Em 2015 as obras de esgoto tiveram início pela rua açaí a principal da região, mas logo em seguida e com 20% do trabalho em andamento foram embargadas pela justiça que detectou ‘fraude na licitação’da empresa contratada pela prefeitura.  Aos moradores restou arcar com os prejuízos.

Para uma cidade que há pouco recebeu uma quantia exorbitante se comparada ao que foi investido nas obras das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau no Rio Madeira, Porto Velho é vítima da própria ‘prole’, de pessoas que foram postas no poder para fazer e levar bem estar à população, mas preferiam encontrar maneiras isoladas de se beneficiar exclusivamente.

Ao povo resta encontrar na fé de dias melhores e no voto nas próximas eleições acertar as contas com cada representante, se é que não desejam continuar com os mesmos. As cidades que apresentam os piores índices de saneamento básico, segundo o Trata Brasil, estão localizadas nas regiões Norte, no  Nordeste e Sul e contam administração estadual.

Fonte: NEWSRONDONIA

Comentários do Facebook

Veja Também

Publicidade

  • Http://www.Auto-doc.pt