Quinta-Feira, 27 de Julho de 2017 - 15:33 (Agronegocios)

L
LIVRE

PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DIVERSIFICA AGRICULTURA FAMILIAR EM RONDÔNIA E TERÁ ADIÇÃO DE R$ 9 MILHÕES

produzir mais de um produto para a venda, por isso proporciona para que plante novas culturas e diversifique sua produção, auferindo uma renda complementar. De acordo com a secretária, essa tendência vem se confirmando ano a ano na execução do programa, conforme o número de produtores que vão aderindo ao PAA e o aumento da variedade dos produtos ofertados.


Imprimir página

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), coordenado pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, tem sido um mecanismo importante para a diversificação das culturas na agricultura familiar em Rondônia. A observação foi feita pela secretária-adjunta da Agricultura, Mary Braganhol, ao afirmar que o produtor é estimulado a produzir mais de um produto para a venda, por isso proporciona para que plante novas culturas e diversifique sua produção, auferindo uma renda complementar.

De acordo com a secretária, essa tendência vem se confirmando ano a ano na execução do programa, conforme o número de produtores que vão aderindo ao PAA e o aumento da variedade dos produtos ofertados.  Ela também afirma que o programa vai receber recursos ainda neste semestre, na ordem de R$9 milhões, para serem investidos na compra de produtos para o período que vai de agosto de 2017 a junho de 2018, vindo a beneficiar a um número mínimo de 1.385 produtores familiares.

Com essa nova remessa de recursos, os investimentos do PAA em Rondônia vão superar os R$50 milhões nos últimos cinco anos, atingindo, intercaladamente, a mais de 8.500 famílias de agricultores familiares cadastrados. A aquisição e a distribuição dos alimentos superam as 1,7 mil toneladas no período.

A Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) operacionaliza o PAA em Rondônia desde 2011 e, de lá até então, o número de agricultores familiares cadastrados aumenta a cada ano. São fornecedores de feijão, arroz, banana, farinha, leite, castanha, ovos, hortaliças e peixes, entre outros produtos, que são vendidos diretamente e repassados em doação a entidades assistenciais, escolas, creches, lar de idosos, hospitais e demais entidades que trabalham com pessoas em situação de risco nutricional.

Atualmente, cada produtor pode comercializar a uma cota de até R$6.500 reais/ano em produtos variados.   Isso possibilita a complementação financeira e faz com que a família amplie seus horizontes, como o produtor Almiro Caldeira, de Alto Alegre dos Parecis, no sudoeste do Estado, que mantém um dos filhos na faculdade com a renda extra que aufere no PAA. A família de Almiro cuida de 16 hectares com plantação de feijão, café, hortaliças e agora está trabalhando para inaugurar uma agroindústria de processamento de cana, que já produz 600 kg mensais de melado e rapadura, que também são vendidos ao PAA para incorporação à merenda escolar.

Além de diversificar a produção e aumentar a renda das famílias, o PAA propicia para que populações carentes tenham acesso a uma alimentação sadia. Dirigentes de entidades assistenciais em Porto Velho também elogiaram a dinâmica das doações de alimentos na capital ao receberem cerca de doze toneladas de feijão no mês de junho. “Com essas doações ficou mais fácil cuidar das pessoas que nos procuram”, declarou a dirigente do Centro de Referência de Assistência Social – CRASS Zona Sul, Maria do Carmo, entidade que atende a cerca de 200 pessoas idosas.

A execução do programa conta com a parceria da Emater-RO, que fiscaliza a compra e a distribuição dos alimentos às instituições cadastradas nos conselhos de assistência social dos municípios participantes. Conta ainda com a participação das prefeituras que fizeram adesão ao PAA. Durante a última vistoria e monitoramento do PAA em Rondônia, os técnicos da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), conferiram procedimentos, visitaram produtores e elogiaram a gestão do programa no Estado.

Fonte: 010 - secom/gov-br

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias