Quinta-Feira, 27 de Novembro de 2014 - 18:05 (Colaboradores)

PREFEITO NEGA NOVO PEDIDO REAJUSTE DA TARIFA DE ÔNIBUS

Na ocasião, o Sindicato patronal deveria implementar melhorias nas condições da frota e dentro das garagens, sobretudo das condições de higiene e climatização.


Imprimir página

Porto Velho\RONDÔNIA – Sem citar possíveis melhorias atribuídas ao sistema patronal de transporte de passageiros, ainda assim, as empresas tentam emplacar a todo custo um novo reajuste da tarifa, mas o prefeito Mauro Nazif [PSB], negou o pedido.

A nova tentativa feita pelas empresas, mas negada pelo prefeito, continua repercutindo em algumas centrais sindicais não atreladas ao sistema de concessões de linhas de ônibus urbanos. Segundo parte de dirigentes obreiros ouvidos por este site, ‘as empresas, a princípio, precisam rever as promessas de melhorias acordadas nas negociações avalizadas pelo TRT da 14ª Região’.

Na ocasião, o Sindicato patronal deveria implementar melhorias nas condições da frota e dentro das garagens, sobretudo das condições de higiene e climatização. Além da renovação de parte do quantitativo dos ônibus considerado em desuso, ou seja, ‘os carros velhos deveriam ser substituídos’.

Segundo alguns usuários, ‘as planilhas utilizadas pelas empresas, na tentativa de convencer o prefeito a reajustar os valores da tarifa, só mudam os cálculos, o conteúdo é o mesmo’, disseram.

Parte dos setores da população que depende de transporte para levar filhos na escola ou para ir ao trabalho, admite, contudo, que, ‘as empresas devem buscar a Justiça’. La, tudo pode ser esclarecido e o sonho de se ter uma frota renovada pode se tornar realidade.

Nos acordos anteriores entre o município e as empresas de transporte coletivo há cláusula que diz ‘a frota deve ser renovada e climatizada’. Porém, o que se vê são carros velhos, sem ambiente refrigerado, com a maioria incluída no rol dos veículos classificados como cacarecos’, denuncia o gráfico e publicitário Henrique Ferraz, 50.

Segundo ele, ‘um novo reajuste na tarifa significa o SET atender de imediato a renovação da frota, mas com os carros na rua para exibição no pátio da Prefeitura e cobrindo, de forma civilizada, a população em todos os seus destinos’.

Na nova tratativa com o prefeito, as empresas alegaram que o reajuste da tarifa deve ser concedido em função dos investimentos feitos no setor. Os custos, segundo consta na planilha apresentada pelo SET, ‘aumento nos preços de pneus, revisão e no diesel’.

Por outro lado, as empresas não apresentaram uma planilha detalhada com os investimentos atribuídos por elas ao setor dos anos 2012-13-14, o que teria obrigado o prefeito Mauro Nazif a negar um novo aumento no preço da tarifa.

A medida, após a reunião das empresas na Prefeitura do município, levou o sindicato patronal a ameaçar a entrar na Justiça para conseguir o reajuste proposto dos R$ 2,60 para R$ 3,20.

Com tamanha agressividade, segundo parte de membros do Conselho Municipal de Transportes e do Território da Cidadania, ‘as empresas só conseguiam obter vantagens tão céleres, na administração do ex-prefeito Roberto Sobrinho’, arremataram as fontes.  

Fonte: Xico Nery/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias