Sexta-Feira, 26 de Junho de 2015 - 09:37 (Colaboradores)

PRECONCEITO, POR JÚNIOR CAHULLA

Preconceito é uma coisa inconcebível, pois quem passa por isso sofre muito e por mais leve que seja deixa marcas profundas.


Imprimir página

O preconceito é definido por alguns como sendo algo manifestado em geral na forma,  de uma atitude "discriminatória", mais esse tipo de definição é algo tão maior que ainda acontece em pleno século XXI. Preconceito é uma coisa inconcebível,  pois quem passa por isso sofre muito e por mais leve que seja deixa marcas profundas.

O preconceito acontece em diversos lugares e sem distinção alguma. Ele acontece dentro das escolas, das faculdades, bares, shoppings e quem discrimina ou é preconceituoso faz isso de formas pejorativas.

Eu não queria falar neste texto mas, infelizmente, um texto como esse me envolve muito, pois passei por uma situação na quarta-feira, onde um cidadão me abordou do nada e perguntou:

Esse tipo de preconceito relatados por mim nessas perguntas é uma forma velada, escondida,  de ser preconceituoso sem escancarar as verdadeiras intenções de uma pessoa preconceituosa.

Existem leis no direito brasileiro  e uma das principais  é a lei que trata de racismo (7.716/89).

Embora essa lei seja mais difundida no meio social por ser tratar de uma forma mais aguda de preconceito, existem outras leis que protegem não só a raça  negra, mais também outras formas de preconceitos que punem qualquer forma discriminatória.

O Brasil que se diz uma das nações mais libertas de qualquer pudor ou o que quer que seja, ainda esta preso a essa idéia de pré-conceituar alguém pela roupa que a pessoa está vestida ou pela forma de se comportar perante alguém. Como exemplos eu poderia citar vários aqui, mais o principal deles é a homofobia.

Ontem, o programa Super Pop colocou duas modelos, uma gordinha e uma magra nas ruas para fazer uma pesquisa simples,  e adivinha a reação das pessoas? Enquanto a modelo mais magra conseguiu abordar 4 pessoas para a  pesquisa a gordinha ficou um bom tempo para conseguir atenção de uma única pessoa.

Por favor, depois o povo brasileiro diz que não tem  preconceito com nada, e essa história das modelos também serve para ilustrar bem a palavra "preconceito" que muitas pessoas usariam como "bullying" para disfarçar o verdadeiro vocabulário chamado "preconceito."             

Fonte: Junior Cahulla

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias