Segunda-Feira, 10 de Setembro de 2018 - 11:00 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: SETE DE SETEMBRO

A boataria e desinformação davam asas às teorias conspiratórias acirradas por grupos antagônicos que pilotam esse clima de beligerância que não se coaduna com nossa tradição.


Imprimir página

“A principal característica da campanha atual é o cheiro enxofre no ar.”– Jornalista Josias de Souza

1-7 de Setembro I

Foi um desfile pobre como tem sido nos últimos anos os desfiles da independência do Brasil. Praticamente sem caças, poucos voos rasantes, toques de corneta, exibição de tanques de última geração ou os tonitruantes tiros de canhão.

Sem verbas, na penúria, cumprindo tarefas adicionais nas ruas enfrentando bandidos em lugar de se dedicarem a adestrar a tropa e planejar ações militares, sofrem como todos de um desgoverno que se aprofunda a cada ano.

2-Sete de Setembro II

Em meio a tudo isso as Forças Armadas cumprem a missão constitucional de garantir a ordem e num momento difícil da vida nacional, adotando postura incomum de vir a público repetir à exaustão que se pautam exclusivamente pelo art 142 da Constituição Federal como pilar da missão que exercem.

Mas estão enganados os que pensam que as Forças Armadas estão apartados ou alienados da vida política nacional. Basta olhar o número de candidatos das Forças Armadas disputando cargos em todos os níveis.         

3-Sete de Setembro III

Uma nota do Exército dura e não corporativa – Bolsonaro foi tratado como deputado e não como um ex-integrante do Exército – reduziu o frisson que começava a surgir nas “redes antissociais”.

A boataria e desinformação davam asas às teorias conspiratórias acirradas por grupos antagônicos que pilotam esse clima de beligerância que não se coaduna com nossa tradição. A “tchurma” do quanto pior melhor prega o ódio, o caos, mas é preciso suturar não só o corte da facada, mas o do tecido social e acabar com a divisão do nós e eles. Somos um povo só. E o Brasil é maior que qualquer um de nós.    

4-O custo do novo Congresso

Se você ainda não decidiu sobre quem vai escolher para representa-lo na Câmara e representar Rondonia no Senado, vai aqui algo para fazê-lo pensar melhor. A previsão de gastos com o Congresso Nacional para 2019 é de R$ 10,4 bilhões, ou seja, mais de R$ 1 milhão por hora, diz o PLOA-Projeto de Lei Orçamentária Anual. Na Câmara ficarão R$ 6 bilhões e parte será usada com pessoal – 10.922 comissionados e 2.954 efetivos.

No Senado ficam R$4,3 bilhões 2.197 efetivos e 3.854 comissionados. 22,6% do gasto é com pessoal incluindo a previdência com R$ 637,9 bilhões. O PLOA dá ao Congresso a “baba” de R$ 15,4 milhões de emendas individuais que somadas às de bancada chegam a R$ 169,6 milhões. E aí? Vai entregar na mão de qualquer um?

5-Saúde e segurança

A campanha eleitoral para a presidência da república está focada por vias transversas em dois problemas comuns a todos: saúde e segurança. No Hospital Sírio Libanês o candidato Jair Bolsonaro se recupera da facada que recebeu numa rua em plena luz do dia durante evento de campanha.

Numa cadeia em Curitiba, transformada quase que num comitê eleitoral o “redivivo” dá ordens a alguém como se candidato fosse ou pudesse ser e mais: faz programa eleitoral, achincalhando a justiça e o país. É a treva! 

leoladeia@hotmail.com

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias