Quarta-Feira, 08 de Novembro de 2017 - 21:03 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: PF SOB NOVA DIREÇÃO - POR LEO LADEIA

O delegado Fernando Segóvia, ex-superintendente da PF no Maranhão é o novo chefe da Polícia Federal em substituição ao delegado Leandro Daiello que comandou a PF na Lava Jato.


Imprimir página

"Estamos vivendo um imenso retrocesso daquilo que [se] esperava ser um profundo processo de transformação do País. As delações fizeram o País se olhar no espelho. Como não gostou do que viu, o resultado tem sido colaboradores presos e delatados soltos" – Wesley Batista da JBS.

1-Fogo no sofá

Está pintando um movimento na grande mídia para acabar com os “rasga-togas” do STF: o fim da TV Justiça. Sem TV os ministros iriam para os autos sem gastar o alemão do Paradise, o francês do Marais ou o latim das sacristias do interior. É como o caso do marido que flagrou a esposa em pleno idílio no sofá da sala e optou por abafar o caso e cremar sem exéquias a única prova, o sofá. Pela moral, decoro, etc, etc., que se “queime” a TV Justiça, a prova das vergonhas togadas.

2-PF sob nova direção

O delegado Fernando Segóvia, ex-superintendente da PF no Maranhão é o novo chefe da Polícia Federal em substituição ao delegado Leandro Daiello que comandou a PF na Lava Jato. 

Não é segredo que Segóvia, o novo chefe, é ligado a Sarney e seu grupo que queria “estancar a sangria” e a partir daí ilações são livres. A múmia está de volta e Torquato Jardim perdeu mais uma. Pelo andar da mula veia, basta um empurrãozinho e “adiós muchacho”.

3-Lava Jato

Para quem acha que a Lava Jato é apenas uma operação policial tocada pela PF, aguarde os próximos capítulos. A Lava Jato é mais que isso e a PF é bem mais que uma polícia é referencia internacional. Ainda que haja eventual diminuição no ritmo investigatório e na produção da Lava Jato, a força tarefa que inclui MPF, PF, outros órgãos de controle e boa parte do judiciário, não vai arrefecer. O que já foi produzido irá continuar gerando filhotes, sentenças e novas investigações. A batata de muitos está assando e a cultura do roubo institucional está mudando. Dá-lhe Moro!

4-Miller, o bode de bicheira

O ex-procurador Marcelo Miller virou bode de bicheira depois que descobriram o que ele fez para seus novos patrões da JBS quando ainda era procurador federal.

E-mails eram roteiros para os Joesley e Ricardo Saud. Um dos listados é o "segundo roteiro de reunião" foi enviado um dia após a gravação do áudio entre Temer e Joesley, com as perguntas que seriam feitas ao MPF para a delação. Nele o BNDES é descrito como "última caixa-preta da República", e cita "fundos, Temer, Aécio, Dilma, Cunha, Mantega e Lula". Miller está feio na foto. Com amigos, OAB e bandidos.

5-Uma reforma reformadora

O governador Confúcio Moura enviou uma proposta à ALE para promover alterações na estrutura do governo. Gosto disso. Gosto da preocupação do governador com o tamanho do estado.

Tenho, porém comigo que toda reforma deve ser precificada, mas nesta o resultado parece futebol de compadre: 0x0. Estica aqui, encolhe ali, troca o nome, põe seis dum lado, meia dúzia do outro e no final 1x1. Fui ver de novo e deu 2x2. Eu sei que sou meio burrão sim, mas a conta tá difícil...                                             

6-Pôs a mãe no meio

O Senado acaba de aprovar a MP que reformula as regras do FIES. As novas regras valerão para contratos fechados a partir de 2018. Novidades: a taxa de juros real será zero diferente da atual 6,5% a.a.

O pagamento começa de imediato, mas a parcela será proporcional a sua renda e valor do curso e se o estudante não conseguir emprego pagará uma parcela igual à que vinha pagando. Caso o estudante não tenha emprego, a parcela será proporcional ao que ele pagava durante o curso (taxa operacional do banco, seguro de vida e uma co-participação).

leoladeia@hotmail.com
Facebook Leo LadeiaII

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias