Sexta-Feira, 10 de Agosto de 2018 - 14:12 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: O PODER POR TRÁS DAS GRADES

A lógica se inverteu e a prisão se tornou o ambiente mais seguro para o poder político paralelo com a prática da corrupção, o crime de colarinho branco ou o crime comum.


Imprimir página

FRASE DO DIA:

“Oito debatedores inundaram o estúdio da TV Bandeirantes com ideias que não deram água para alcançar a canela” – Jornalista Josias de Souza

1-Debate Band

Foi dentro do previsto e teve de tudo. Até mesmo um ou outro alinhavo de proposta de governo saiu tímida, quase uma ideia mal engendrada soprada por um assessor na última hora.

Mais experientes em debates Alckmin e Ciro pontuaram bons momentos e uma surpresa: Bolsonaro só perdeu o prumo uma vez (foi provocação do Ciro Gomes). Marina manteve os chavões da campanha passada e esperei em vão bem mais dos desconfortáveis Álvaro Dias e Meireles. O resto foi maluquice e cantilena. Boa Band.

2-Debate alternativo

De vez em sempre o PT entra numas alternativas e nada. Foi assim com o governo paralelo, as caravanas de ônibus pelo país, as embaixadas em países sem peso político e econômico no mundo e hoje, mantendo o nome de um candidato invisível no processo eleitoral duro e atípico.

O costume alternativo gerou um “debate via internet” com nomes tidos - só por parte do PT - como vices do invisível. Um fracasso. De um lado o tradicional debate da Band. Do outro o debate para 139 petistas e bem longe dali numa cela da PF em Curitiba, um ser invisível a caminho do ostracismo político.

3-O poder por trás das grades

“O Brasil não é para amadores”, disse há muito tempo Tom Jobim. A frase permanece atualíssima. A facção criminosa “CV” surgiu na prisão e, segundo consta, da influência de presos políticos que se aproximaram de presos comuns dando-lhes escolaridade e ajudando-os em demandas jurídicas. Era o ovo da serpente.

Outras facções surgiram e mais organizadas, com estrutura invejável comandando o crime de dentro da cadeia. A lógica se inverteu e a prisão se tornou o ambiente mais seguro para o poder político paralelo com a prática da corrupção, o crime de colarinho branco ou o crime comum.

4-Toma que o filho é teu

A greve de ônibus continua nesta sexta feira em Porto Velho, De um lado o sindicato de nome esquisito culpa a empresa que se diz um consórcio e assim foge da pecha de monopólio. O consórcio devolve a culpa.

A justiça do Trabalho silencia, a Prefeitura se mantém “en garde!” e se fazendo de gato morto para outro sindicato – o dos taxistas – que opera o ilegal táxi-lotação e o povo só no papel de cachimbo. Lá vem o golpe!

5-Pegou mal

A repercussão por toda a sociedade, inclusive entre alguns integrantes da mais alta corte de justiça do país, sobre o auto reajuste nos próprios salários pelos ministros do STF um fez um estrago no já desgastado Poder. Pegou muito mal.

E agora o quase erro, pois ainda precisa ser aprovado pelo Executivo e Legislativo, pode receber um remendo: integrantes da corte contataram a direção do Congresso sugerindo a revisão da Lei da Magistratura que extinguisse os penduricalhos pagos a juízes e a aprovação do reajuste menor do que solicitado. Ocorre que no Congresso a ideia é pegar carona na pedida do Judiciário sem discussões ou debates. Na moita. No maior breu.

leoladeia@hotmail.com

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias