Terça-Feira, 16 de Janeiro de 2018 - 09:52 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: BR-319, A DESCOBERTA

O representante do IBAMA seguiu com a caravana e irá passar por Humaitá onde um conflito com garimpeiros queimou as instalações do órgão e, “in loco”, conhecerá o motivo da sua grande dor de cabeça.


Imprimir página

“Essa discussão é inicial no mundo inteiro. Estamos mapeando projetos de lei, ferramentas, com o foco não na punição, mas na prevenção.”Luciano Felício Fuck, Secretário Geral do TSE sobre o combate às Fake News nas eleições.

1-BR-319, diligência

Partiu no fim da tarde desta segunda feira outro grupo para inspecionar a BR-319 e, em especial, o meião. O trecho de 400 km resiste estupidamente a todo tipo argumento, explicações e ações de governo quando o assunto é asfaltamento.


Foto: Jota Gomes/Diário da Amazônia

Ontem, durante a recepção aos participantes ouvi do representante do Ibama esta frase: “O Ibama não é uma ONG. As nossas decisões são técnicas”. A justificativa soou como um lamento de quem se dobrou à força maior. As pressões externas das ONGs internacionais (não por acaso citadas) manietaram o órgão ambiental brasileiro

2-BR-319, a descoberta

O representante do IBAMA seguiu com a caravana e irá passar por Humaitá onde um conflito com garimpeiros queimou as instalações do órgão e, “in loco”, conhecerá o motivo da sua grande dor de cabeça. Se isso vai adiantar ou não, só o tempo dirá. Conhecer para então firmar juízo de valor é a primeira parte de um processo em que até agora só se manifesta o lado não amazônico, como se apenas este tivesse real importância. Como diz o meu analista ambiental Zé de Nana, “tem que ver tudo bem de perto. Negócio ruim e onça pintada, primeiro é preciso ver pra então correr”. 

3-BR-319, uma proposta inovadora

A exemplo de algumas estradas existentes no Brasil como a Linha Verde no litoral norte da Bahia ou Cantareira/Roseira em São Paulo, a proposta para a BR-319, envolve o conceito de “estrada parque” ou “Greenways”, tão importantes para desenvolver o turismo e a conservação e tão caras a nós ambientalistas. Os antolhos dos que não querem o asfaltamento do “meio da 319” impedem a visão moderna das hidrovias. Se alguém pensa em utilizar o trecho Porto Velho Manaus como o corredor de escoamento da soja é porque não conhece o custo menor da hidrovia do Madeira.

4-DNit e o viaduto da Campos Sales

Presente ao evento organizado pelo senador Acir Gurcasz para a saída da diligências da BR-319, o prefeito Hildon Chaves portou-se como anfitrião de Porto Velho, mas sem deixar de lado a política encetou uma conversa com o Diretor Geral do DNit e conseguiu dele a promessa de conclusão ainda no primeiro semestre da obra do viaduto da Campos Sales. O não político Hildon esta se saindo melhor que a encomenda. Em um ano com muita lábia e muito jeito conseguiu da bancada federal e dos órgãos envolvidos avanços relevantes em obras que estavam travadas e vem mais...

5-Madeirão cuspindo água

Depois de 2014, qualquer chuva maior ressuscita o fantasma da “cheia histórica” e o ribeirinho fica de cabelo em pé. A cheia deste ano aconteceu em ritmo forte e rápido, mas já há um refluxo das águas e os dados preliminares não apontam para ocorrência de nível crítico.

O desbarrancamento das margens porém continuará afetando a vida de todos. O Ramal Maravilha em Porto Velho deve perder sua estrada de acesso e bairros e localidades como Bairro Triângulo, São Carlos, Nazaré, Demarcação terão que de novo ajustar seus limites. Infelizmente é um fenômeno sem solução.

6-Saúde doente

A falta de médicos em Postos de Saúde, o deficitnos agentes de saúde e por conseqüência a dificuldade para se implantar um serviço básico de saúde eficiente começam a minar o trabalho do novo secretário. Ontem cedo, segunda feira, no Posto Hamilton Gondin, havia um cardiologista no plantão. No Ana Adelaide o número ficou reduzido em função da grande procura e a queixa sobre o funcionamento das UPAS continua. Sem água tratada, sem esgotamento sanitário e no período das chuvas não há prefeito, médico, prefeito-médico, posto de saúde, hospital, centro de triagem e o que mais se pense que resolva a demanda para tratar doenças. É saúde é o que interessa.

leoladeia@hotmail.com
Facebook Leo LadeiaII

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias