Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 - 23:56 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: BABA-OVO OU RELIGIÃO? - POR LEO LADEIA

Petista de trezentos anos, o paulista de Ribeirão Preto prestou uma singela homenagem aos irmãos Viana – Jorge e Tião – que comandam o Acre desde 1999, ano em que ele chegou ao estado: adicionou os sobrenomes Viana de seus mentores e Silva do quase Deus, Lula ao seu nome civil.


Imprimir página

"Resultado da cruza da falta de ética com inépcia, a roubalheira e o empregocídio engravidaram a democracia brasileira de um desastre. Por sorte, ainda há tempo para um aborto político." – Josias de Souza, jornalista, sobre a pesquisa do Ibope com Lula e Bolsonaro em primeiro lugar.

1-Tirando da reta I

No mesmo dia em que nós vimos o infame bate-boca entre dois ministros do STF, Gilmar Mendes e Luis Roberto Barroso, a presidente da Corte tomou uma medida moralizadora: vai tirar o bode da sala até a catinga passar. 

Para evitar mais desgastes a presidente não pautou julgamentos em novembro que incluam o tema “Lava Jato” ou que influenciem as eleições. Processos criminais e com políticos – é tudo que rola – nem a pau Juvenal. Os semideuses do STF estarão de férias no Olimpo. Pena que o Youtubeinsista em manter vídeos como esse aqui. Clica aí e reveja a cena.

2-Tirando da reta II

Ao permitir que o afastamento do probo Aécio Neves fosse revertido pelo Senado, o STF pôs fogo na própria caldeira e incendiou o país. Previsível, portanto que chegassem ao plenário onde onze fogueiras crepitamad eternum. 

Para levar fogo e paixão a níveis de convivência razoáveis, ainda que em desacordo com a expectativa geral que quer Lava Jato, a presidente montou uma agenda que vai de direitos de quilombolas ao uso de amianto. Foro privilegiado e acordos de delação que podem transferir processos do STF para instâncias inferiores passam longe. Hora de tirarda reta.

3-Julgamentos maduros

Como dizem os próprios juízes, há julgamentos maduros esperando somente a votação haja vista que são temas discutidos em diversas instâncias e até julgados anteriormente como a prisão após trânsito em julgado na segunda instância. Outro caso é o do foro privilegiado com quatro dos onze votos já proclamados. Há outros tantos e há um agravante: duas correntes de pensamento estão instaladas uma na primeira turma e outra na segunda. Uma tem forte influência do ministro Gilmar, outra tem influência do ministro Barroso. Os dois são protagonistas do barraco. Aí, sai de baixo!

4-Garimpo: atividade bandida?

Garimpeiros em Humaitá incendiaram os prédios do Ibama e ICMBios depois que as suas balsas foram queimadas por fiscais dos citados órgãos. Lamento as ações praticadas pelos dois lados e reafirmo que o extrativismo não é crime, mas sim atividade que depende de regulamentação e de fiscalização. 

O garimpo pode incentivar a economia, gerar trabalho, renda e tributos, mas o que se vê é a prática de criar dificuldades e vender facilidades. Sem lei e entranhado com a corrupção, o garimpo de ouro continuará sendo combatido pelo estado em lugar de ser regulamentado e fiscalizado. Garimpeiro não é marginal que empreende, mas sim o empreendedor marginalizado.

5-PF na área

De Vilhena em Rondônia a Cruzeiro do Sul no Acre são 1843 km de estrada com problemas que envolvem construção, manutenção e conservação. Seguramente um tubo para o dinheiro público cair no bolso dos espertos. O nome da operação tem tudo a ver: “Buracos”. E o maior buraco não está no asfalto, mas nas contas. A operação é da PF, MPF, CGU, TCU e Receita Federal, o crime é do DNit, DER Acre, construtoras e no buraco estão o prefeito de Rio Branco Marcus Alexandre, a esposa Gicélia Viana Aguiar e Jackson Marinheiro dentre outros e nas mãos da PF estão 23 mandados de condução coercitiva  e 26 de busca, nas cidades de Rio Branco, Porto Velho, Pimenta Bueno, Ji-Paraná, Cuiabá e até Araraquara. A buraqueira é grande: R$ 700 milhões.

6-Baba-ovo ou religião?

Há coisas que me deixam boquiaberto. O nome do prefeito de Rio Branco, ex diretor do DER acre é Marcus Alexandre Médici Aguiar. 

Petista de trezentos anos, o paulista de Ribeirão Preto prestou uma singela homenagem aos irmãos Viana – Jorge e Tião – que comandam o Acre desde 1999, ano em que ele chegou ao estado: adicionou os sobrenomes Viana de seus mentores e Silva do quase Deus, Lula ao seu nome civil. Sua esposa também sofreu o “aculturamento político” Gicélia é hoje a Gicélia Viana da Silva Melo Aguiar. Petismo ou florestania? Freud explica. Ou não. Vixi...

leoladeia@hotmail.com
Facebook Leo LadeiaII

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias