Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017 - 20:33 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: APADRINHANDO OUTRA CAUSA - POR LEO LADEIA

Como já votaram os ministros Luís Roberto Barroso, Marco Aurélio Melo, Rosa Weber e Cármen Lúcia e se mantida a linha do STF que lembra uma carroça cheia de melancias se ajustando ao trote da mula velha, afirmo: pode acontecer de tudo. Inclusive nada.


Imprimir página

“Quando vi que a casa Legislativa de forma absolutamente ilegítima, soltou pessoas que tinham sido presas por uma corte federal, pensei: o que o povo do Brasil vai pensar disso? Pra quê juiz? Pra quê advogado? Que país é esse?” – Desembargador Paulo Espírito Santo, do TRF-2.

1-Assassinato de reputação

“A língua é o chicote do corpo!” Abrir a coluna com Zé de Nana, meu “baixer ego”, para emprestar nossa solidariedade à acadêmica Maria Berenice Alho da Costa Tourinho é ousadia. Eu e Zé não somos acadêmicos, mas conhecemos “Berê”, sua família, história, dignidade e trabalho. A reitora Berenice, a professora Berenice e a mulher “Berê” são as três, juntas ou separadas referência de vida cidadã e sua carta pública a revela por inteiro. Fique no ostracismo das redes sociais quem lhe infligiu uma dor que só conhece o atingido na honra, família e profissão. Absolvo-me do Ze de Nana com Comte: “Não sem razão, suspeitamos mais dos que ofendem que dos ofendidos”. 

2-Apadrinhando a causa I

O novo diretor da PF ao questionar se a investigação da PGR seria suficiente para provar a corrupção de Temer abriu espaço e está “apanhando mais que surdo em carnaval”. Janot diz que o delegado não conhece a legislação e a própria PF e deitou suspeita sobresua ligações com o Temer: "O doutor Segóvia precisa estudar um pouquinho direito processual penal. Nós tínhamos réus presos. Em havendo réu preso, se não sabe é preciso dar uma estudadinha, o inquérito tem que ser encerrado num prazo curto e a denúncia oferecida, senão o réu será solto. Nós tínhamos esse limitador. Ele é mesmo um pau mandado". E o pau de bater em doido está rodando.

3-Apadrinhando a causa II

O procurador Carlos Fernando Santos Lima um pilar da Lava Jato colou em Janot e desferiu três coices via Facebook com o irônico título “começou bem!”:

“1-Não cabe ao diretor geral da PF falar sobre investigações, pois não é responsável pelas (sic) elas, mas apenas chefe administrativo da instituição. 2-Não cabe à PF falar sobre denúncias realizadas pois a opinio delicti é exclusiva do Ministério Público 3-Sua opinião pessoal é totalmente desnecessária e sem relevância ainda mais quando dada em plena coletiva após a posse que lhe foi dada pelo próprio denunciado”. Maaano...

4-Apadrinhando outra causa

A OAB soltou nota para marcar posição sobre o fim do foro privilegiado: “A OAB advoga para que sejam corrigidas as distorções que transformaram esse mecanismo em um privilégio incompatível com o atual período democrático.”

O julgamento no STF está pautado para esta quinta-feira e os ministros dirão se a prerrogativa valerá apenas para crimes cometidos no mandato e relacionados com as funções do político. Como já votaram os ministros Luís Roberto Barroso, Marco Aurélio Melo, Rosa Weber e Cármen Lúcia e se mantida a linha do STF que lembra uma carroça cheia de melancias se ajustando ao trote da mula velha, afirmo: pode acontecer de tudo. Inclusive nada.

5-Lava Jato como cachoeira

Enquanto tentam barrar a Lava Jato e segurar o furo da represa com o dedo, o MP aponta o alvo e como hoje, a PF dispara para cumprir a 47ª etapa da Lava Jato.  

O ex-gerente da Transpetro – essa gente gosta de sujar as mãos no petróleo – José Antônio de Jesus, o Jesus mamava quieto 7 milhões de reais de uma empresa de engenharia, usando a influência do PT. E o Zé, como bom Mané que é, nem se ligou em disfarçar. Distribuiu o roubo a familiares, fez saques em espécie, perdeu o medo e foi preso. Agora vai chorar na cadeia, ler a Bíblia, delatar e repetir o mantra: Só Jesus na causa!.

6-Em casa que mulher manda...

O TRF-2 – Tribunal Regional Federal 2ª Região decidiu por unanimidade, prender novamente os deputados estaduais Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Melo, todos do PMDB-Rio semana passada, o TRF-2 mandou os três para o xadrez ondeficaram menos de 24 horas tempo para a Alerjderrubar a decisão por 39 votos a 19. A esculhambação se baseou numa decisão do STF ao entregar o destino do senador Aécio Neves ao Senado. Olha aonde chegamos. Isso me lembra Jair Rodrigues com samba machista e politicamente incorreto, Leão de Coleira do “Velha”.   

leoladeia@hotmail.com
Facebook Leo LadeiaII

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias