Quinta-Feira, 01 de Maio de 2014 - 10:36 (Colaboradores)

PIONEIRO NA LUTA PELO FORTALECIMENTO DA PESCA NO ESTADO LUTA PELA PRORROGAÇÃO DO PRIMEIRO DEFESO

A crise gerada por causa da cheia do rio Madeira a partir dos Alpes andinos, também é motivo de preocupação da direção do Sindicato dos Pescadores Profissionais de Rondônia [SINSPERO], apoiadores e parceiros na prefeitura da Capital e no Congresso Nacional.


Imprimir página

CALAMA/Porto Velho - Além de alagamentos ao largo do centro histórico da Capital, a cheia do Rio Madeira causou prejuízos incalculáveis às atividades econômicas tradicionais da região. As áreas atingidas vão desde os assentamentos do INCRA, e ultrapassam o limite com a cidade de Humaitá, no sul do Amazonas.

QUEM PAGA A CONTA? - Das atividades tradicionais de sobrevivência secular, antes das hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, sobretudo na agricultura familiar e da pesca no âmbito dos distritos, ‘os prejuízos ainda são contados de forma simplista pelas autoridades’, denunciam pescadores às centrais de trabalhadores.

A crise gerada por causa da cheia do rio Madeira a partir dos Alpes andinos, também é motivo de preocupação da direção do Sindicato dos Pescadores Profissionais de Rondônia [SINSPERO], apoiadores e parceiros na prefeitura da Capital e no Congresso Nacional.

De acordo com líder dos pescadores, ‘rogamos por solidariedade a toda categoria das áreas atingidas pelas cheias ao longo da calha do Rio Madeira e seus afluentes’. Segundo Canuto, ‘a parcela extra é prevista em lei, sendo concedida em casos excepcionais’. No caso atual, ‘os pescadores ribeirinhos fazem jus ao benefício’.

A defesa da medida liderada pelo líder dos pescadores obteve amparo legal, tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado, poderá sensibilizar a presidente Dilma Rousseff [PT], a atender o pleito com a possibilidade de prorrogação enquanto dure o período da cheia nos rios que banham o município de Porto Velho.

TUDO PELO SEGUNDO DEFESO - Em que pese, na inicial, a presidente Dilma ter assumido apenas a prorrogação por um tempo mínimo [30 dias], o presidente do SINSPERO, Walter Canuto, reafirmou o compromisso de mover ‘céu e terra junto às bancadas da Amazônia e do Nordeste, com ampliação da luta que trava em favor dos pescadores, para que todos obtenham o segundo defeso’.

- Isso é possível, acredita Canuto.

SUBVENÇÕES NO DIESEL E ICMS AJUDAM - A luta encampada pelo SINSPERO não é de hoje em prol dos pescadores rondonienses. Segundo os documentos encaminhados à bancada federal, ‘Canuto é pescador desde jovem e já se vão mais de cinco décadas que seguimos firmes nesse propósito’. Segundo ele, ‘devemos obter incentivos à pesca, como a subvenção do óleo diesel, redução do ICMS estadual e outros benefícios’.

XICO NERY é Produtor Executivo de Rádio, Jornal, Repórter Fotográfico e CONTATO  de Agências de Notícias nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos. 

Fonte: XICO NERY

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias

Http://www.Auto-doc.pt