Segunda-Feira, 10 de Fevereiro de 2014 - 12:38 (Colaboradores)

O QUE PODE ESTAR OCULTO NOS DISCURSOS IRRITANTEMENTE TRANQUILOS DE CONFÚCIO...

...Enquanto Valdir Raupp tenta emplacar o ex-Cassolista Mário Português


Imprimir página

Guajará-Mirim, RONDÔNIA – Apesar de ter sob a cartola parte dos comissionados e dentro do seu próprio partido, outra menos visível, o mandatário Confúcio Moura, além do controle sobre o zig-zag da mídia, ele não sabe o que está oculto nos discursos do senador Valdir Raupp, tido e havido bi-presidente dos peemedebistas rondonienses.

O médico e atual inquilino palaciano, contudo, não se deu conta de que está envolto a um processo de narcotização midiático pago com o dinheiro do contribuinte. Ele não sabe que ‘assessores o empurram para um novo fundo do poço de uma candidatura apenas chapa-branca’ – e que pode não emplacar, como ocorreu com José Bianco, Cahulla e Roberto Sobrinho, em 2010.

LENIÊNCIA ATÉ NAS DECISÕES DE ESTADO - Com discursos agressivos e em alguns momentos passivos, Confúcio não sabe, igualmente, ‘se ainda é a bola a vez’. É que Valdir Raupp apoiou, no passado, José Bianco à sua própria sucessão. Agora, é acusado por peemedebistas palacianos de ter se unido a Cassol através dos filhos’, provavelmente, já casados.

É de se estranhar, no entanto, que, o mandatário rondoniense – desde que assumiu – tem adotado meias atitudes. Nesses casos, ‘não se trata de improviso’, acreditam opositores do Bar do Canduri ouvidos por este site de notícias.

QUEIXADA X A RAPOSINHA DE ARIQUEMES - Sobre a ida de Português ao PMDB, a tiracolo dos Raupp, ele se fecha em copa e tem adotado ‘o silêncio de quem já foi agente da inteligência da melhor e mais bem paga Polícia Militar do Brasil, a do Distrito Federal. Nesse diapasão, ‘só tem feito marolinhas e não o banzeiro que aliados e seguidores palacianos esperam’, dizem outros.

IMITA SÍSUFO, CONDENADO A MESMA COISA - Criticado por causa de escândalos em seu Governo, alguns protagonizados por aliados de última hora, o mandatário rondoniense já foi acusado de não conversar com sindicalistas, servidores da Saúde, Educação, Segurança e empresários que o apoiaram. Sobre, tem sobrecarregado o super-Secretário Lúcio Mosquine, Procuradores da PGE e a Casa Civil para jogar no ralo do descaso acordos e leis promulgadas pelos deputados.

- Como no caso das leis promulgadas pela Assembléia Legislativa a favor da EMATER, dos Bombeiros, do porte de arma a agentes penitenciários e mais, recentemente, a lei que reabre os garimpos a partir da nulidade do Decreto 5.197, de 29 de Julho de 1991, do ex-governador Oswaldo Piana, só agora ressuscitado pela geógrafa Nanci Maria Rodrigues da Silva, titular da SEDAM.

- Para contrariar supostos opositores ligados ao deputado Hermínio Coelho, ele joga balde de água fria nas sanções que recusa e empurra o pepino para o Supremo Tribunal Federal, se queixam ex-aliados da ex-Secretária da Educação, baseados nesta parte da Amazônia Nacional.

ÁGUA MOLE ... - Dentro da política que adotou desde o início de seu governo, o mandatário é acusado de não reagir aos planos do senador Valdir Raupp, todos com visibilidade ampla de que ‘o PMDB dos Raupp não quer a reeleição dele’; e que optou pela do endinheirado Mário Português, ex-aliado confesso de Ivo Cassol [do PP de Paulo Maluf].

Entre o silêncio e a covardia de um governante que deveria ‘bater o pezinho e não tomar para si, nem para o povo, meias atitudes’, o mandatário rondoniense, segundo fontes fidedignas, ‘o pé de Ipê que deveria plantar e não o fez, foi o primeiro sinal de que o Palácio Presidente Vargas seria abalado pelo fogo amigo’. Aliás, os peemedebistas têm sido penalizados ao longo da história por acordos não cumpridos.

MERCADOR - Por fim, ao não reagir para defender a própria reeleição, o inquilino palaciano do PMDB, tem se demonstrado um aloprado por, supostamente, se achar ‘intocável motivado pela falsa sensação de que, dessa vez, não precisará dos próprios aliados naturais’, acredita a acadêmica Francisca da Silva, 52. Segundo ela, ‘na eleição passada, ele ganhou, mas não levou porque não fez a mesa da Assembléia’.

GANHA SEM OS RAUPP - Para aliados comissionados do Escritório Municipal da SEDAM e de parte da Coordenadoria da SEDUC, em Guajará-Mirim, ‘Confucio é um homem zen, um mandatário excessivamente paciente e não ligaria para o ruído do relógio da eleição preconizada pelos Raupp com nomes de fora e que teriam contas para acertar com o juízo nacional’.

- Pode se dizer que é um jogador, mas não um gandula que só faz buscar a bola que os outros chutam, muitas vezes, à esmo, e que pode parecer que não estar atento ao marcador do placar no final do tempo regulamentar’, ironizam no Bar do Canduri alguns universitários do Campus-UNIR local.

Para outros, nessa briga de Valdir Raupp para tentar emplacar Mário Português ‘como candidato de consenso dentro do PMDB’, numa provável terceira via, todos que foram ouvidos nos quatros cantos desta parte da fronteira bi-nacional [Brasil-Bolívia], acham que ‘Confúcio é mesmo irritantemente um despreocupado com os rumos da política e da economia rondonienses’, arremataram.

XICO NERY é Produtor Executivo de Rádio, Jornal, TV, Repórter Fotográfico e CONTATO de Agências de Notícias nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos.

Fonte: XICO NERY

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias

Http://www.Auto-doc.pt