Terça-Feira, 22 de Julho de 2014 - 15:43 (Espaço do Internauta)

O PEDESTRE É MAIS IMPORTANTE QUE OS VEÍCULOS AUTOMOTIVOS!

Relato de eventos históricos em ordem cronológica, da época em que Porto Velho era uma província aos dias atuais.


Imprimir página

A Prefeitura de Porto Velho programou uma série de melhoramentos na acessibilidade as calçadas e passeios das ruas em toda cidade, com padrões segundo as características novas e antigas de seus bairros para que todos tenham acesso, com segurança e conforto.

Dentre as ações propostas está a restauração e novas construções de calçadas que ganharão pisos feitos em cerâmica, formando desenhos circulares com linha de trajetos para deficientes visuais. Pisos estes considerados seguros, por não serem escorregadios, de fácil manutenção e conservação.

Além de partes táteis que terão para o auxílio à deficientes visuais todos serão construídos com rampas apropriadas ao uso destes e daquelas pessoas com mobilidade reduzida, cadeirantes, idosos e etc.

Estas construções ocorrerão de forma continuada segundo comentários da atual administração. Assim as farão, de acordo com um cronograma e planejamento de obras setoriais para toda cidade, onde estão previstos perfeita padronização das calçadas com as rampas comentadas, seguidas de sinalizações recomendadas por profissionais habilitados, verdadeiramente formados em Comunicações Visuais e aplicações táteis, adequadas aos seus meios e bairros.

O planejamento sobre estas implantações foi previsto mediante estudos realizados por especialistas das áreas de Arquitetura, Urbanismo, Comunicação Visual, Medicina e Segurança, ligados às respectivas Secretarias de Obras, Trânsito e Segurança da Prefeitura, com análises preliminares que as viabilizaram para implantações com o uso de verbas públicas e particulares, dos munícipes. Todos os projetos aprovados foram encaminhados para liberações legais por parte da Câmara Municipal a qual após análises e votações gerou liberações juntamente com o projeto (objeto) de Lei que obrigará os munícipes proprietários a realizarem tais obras conjuntamente com a secretaria de Obras e Urbanismo do município.

Fizeram ainda, parte destas comissões, as secretárias, Jurídica e da Fazenda Públicas, bem como dos especialistas colaboradores, conhecedores destas dificuldades, os idosos e outras pessoas de baixa mobilidade, necessitados por essas importantes correções. Aproveitaram para estas concretizações os melhores desenhos premiados no concurso, “Nossas Belas Calçadas”, promovido pela Prefeitura, evento este com ampla participação das escolas e munícipes interessados em deixar a cidade mais bonita e segura.

Concluíram que com um ambiente de acessibilidade melhor atender-se-á, diferentemente, uma variedade de necessidades dos usuários. Tornará possível maior autonomia e independência, pois a capacidade dos usuários em usufruírem estes novos ambientes facilitará sua circulação sem que se tenha necessidade constante da ajuda de outros. Os caminhos e passagens serão facilitados, bem seguros tornarão e, se bem sinalizados nos bairros e centro de nossa estimada cidade mais confortáveis ficarão.

Tudo isto que acabo de escrever e leram “não é verdade”. Para que isto possa ocorrer de verdade temos que em primeiro lugar corrigir os vícios hoje marcantes em nosso município. Tem que se eliminar o desrespeito praticado por aqueles que administram e cuidam de sua segurança e, de todos os usuários mal educados que precisam de correções com as devidas punições, aplicáveis segundo o grau de suas infrações.

Continuo dizendo que “Porto Velho permanece na contramão de direção e sobre as calçadas” e, que até agora nada fizeram para tais correções. Não se pode propor organização quando a própria estrutura é desorganizada. Não basta ser a cidade mais ou menos arborizada ou com alguns gramadinhos, cheia de radares, etc., se os mesmos erros e defeitos permanecem, já que nada resolvem em termo de obras viárias e segurança para uma vida segura e saudável. O que a população precisa é de segurança, temos o direito de caminhar com liberdade e saúde em nossas calçadas. Devem entender que é isto que estamos pleiteando, se não tomarem providencias certamente nunca serão vistos como aqueles que um dia fizeram a diferença e resolveram sobre nossas calçadas e o intranquilo trânsito, e certamente continuarão como estão ignorantes em suas ações comuns e administrativas.

Os acidentes com lesões os traumas e a insegurança continuarão, permanecerão na mídia nacional por insistirem em oferecer a população irregularidades. Estas condições continuam provocando danos irreparáveis aos jovens e quem não diria a nós idosos e muitos especiais, e por que não dizer aos pequeninos, suas mamães e outros desatentos. De qualquer forma continuarão ocorrendo danos sempre que houver a facilidade para a má construção, sinalização e conservação das vias de circulações para pedestres somadas à má educação.

Temos que permitir que esta parcela da população, idosos e os com mobilidade reduzida, em suas frequentes caminhadas usufruam das vias para pedestres com segurança, assim, por saber disto acreditamos que esta adminsitração oferecerá a todos ótimas calçadas adequadamente projetadas e construídas por quem conhece.

Precisamos de profissionais ligados às áreas de Arquitetura, Urbanismo e Comunicação Visual para o correto tratamento e planejamento destes assuntos. A acessibilidade tem sido uma preocupação constante de muitos órgãos publicos e Porto Velho deve mostrar a todos, principalmente a sua população seu interesse em oferecer instalações apropriadas para o seu uso diário. Obras e serviços de adequações de espaços urbanos são necessários para a inclusão correta de todos munícipes e seus visitantes aos meios de circulações.

A administração pública tem por obrigação incluir de maneira consistente estes itens de adequações e correções para que venha superar com sabedoria as violências cometidas por muitos anos pelos usuários do trânsito, assim começaremos a respeitar realmente todos idosos, crianças, especiais (cegos e cadeirantes) entre outros especiais em nossa comunidade.

Nas imagens seguintes vocês poderão conferir tudo o que foi supostamente planejado para que todos tenham um perfeito acesso às vias de circulações públicas com facilidades e boas acomodações.

As calçadas que vocês acabam de apreciar não estão localizadas no município, isto não é Porto Velho. Vocês poderão apreciá-las em partes, com olhar de espanto logo abaixo. Calçadas estas que foram ao longo dos anos planejadas e construídas pela própria população, para a acomodação de veículos, entulhos, etc., e permanecem mal feitas, perigosas, desorganizadas e horrorosas como nunca. Estas sim foram construídas em todo o município ao modo de cada um, e, por não ter a administração pública um bom planejamento para o tratamento destas carências, elaborando, Leis apropriadas, certamente, assim permanecerão por um longo período; sem soluções, até que se crie coragem, esta ou outra administração descomprometida, para a realização de tais correções.

Bom que se entenda, mesmo sendo a “atual administração talvez uma das melhores que esta cidade já possa ter tido” desde a sua fundação, quando ainda província, continua em sua jornada, despreparada para entender sobre isto. Por ser precária a cultura de algumas secretarias, não compreenderão o conteúdo desta e outras reclamações que falam sobre a real necessidade do bom atendimento para sua população e visitantes em termos de ter a cidade vias de circulações apropriadas (calçadas, passeios e ruas), livres de obstáculos e seguras. Essa população, especialmente aquela constituída, por crianças; pessoas idosas e outras de baixa mobilidade, mais os que podemos chamar seres vivos humanos normais podem deixar por combinações de desvantagens, de ter as dificuldades por ora vistas a partir do momento em que houver a compreensão clara por parte de todos os munícipes e sua administração pública. Isto se notará quando deixarem os munícipes de serem imprudentes e essa administração negligente.

As secretarias deixarem de ser coniventes com os erros, e passarem a ter sabedoria para o tratamento destes assuntos, cuidando com maior carinho de seu trânsito e das vias de circulação de pedestres, superando desta forma a violência que hoje nos norteiam. Acreditamos que todos olharão melhor a partir desta crônica para as situações do trânsito e a da precária segurança dos pedestres. Despertará, quem sabe, na Administração Pública o interesse para aplicações de políticas sólidas, que sejam apropriadas a essas necessidades, com isto atenderão, por serem competentes, os procedimentos em atendimento aos anseios e direitos coletivos, evitando prejuízos para sua população. Podem estar certos “Senhores Administradores Públicos” que agradeceremos por isto.

Fonte: Luís Eduardo de Oliveira

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias