Segunda-Feira, 11 de Junho de 2018 - 17:58 (Geral)

L
LIVRE

NOTA DE PESAR: MORRE AOS 95 ANOS SOLDADO DA BORRACHA CONHECIDO COMO TIO DECO

Tio Deco deixa uma herança de amizades, sobretudo, uma saga de estórias que permanecerão nas lembranças daqueles que o conheceram.


Imprimir página

Antônio Soares Mendes Filho, legítimo seringueiro dos velhos tempos da extração da borracha na Amazônia faleceu na madrugada de hoje às 2 horas da manhã em Porto Velho/RO, aos 95 anos de idade o antigo soldado da borracha conhecido como tio Deco deixa uma herança de amizades, sobretudo, uma saga de estórias que permanecerão nas lembranças daqueles que o conheceram.

Filho legítimo de Nordestinos que cruzaram o país ainda no 1º Ciclo da Borracha, tio Deco nascera e crescera nas regiões da exploração da borracha, (seringal Três Casas), atuou no Esforço de Guerra brasileiro nos anos de 1940. Natural da região das terras amazonenses, este seringueiro batalhou e lutou na produção de borracha nos seringais – Três Casas comarca de Humaitá, Santa Catarina no baixo rio Madeira, nas florestas das terras do lago Cuniã, também em São Lourenço nas paragens das localidades do Palmeiral e Jirau, onde há cerca de oito anos foi construída uma das Usinas do rio Madeira.

Este soldado da borracha fora herói do seu tempo, enfrentara a sorte de todas as agruras da Amazônia daquela ocasião, doenças como malária, febre amarela  e beribéri figuraram com dezenas de mortes numa região inóspita, todavia, tio Deco sobrevivera, escapara das inúmeras armadilhas daqueles fins, trabalhando em terras repletas de índios tinha ele um olho voltado para a flecha do silvícola, e o outro inclinado na direção do chão, onde longos caminhos dentro dos  seringais eram infestados de serpentes venenosas.

Décadas depois, o antigo seringueiro vinha a ser por muito tempo operário, contribuiu com suas mãos entre as milhares que ajudaram a criar as primeiras rodovias no estado de Rondônia, garimpou sonhos atuando como força motriz nos arriscadíssimos garimpos de minérios de propriedade da mineradora Jacundá.

Do livro da vida, tio Deco preenchera quase todas as páginas, a última quem sabe seria receber em vida o tão sonhado direito ao reconhecimento econômico por ser um soldado da borracha e ter participado da esteira da Segunda Guerra Mundial.

Neste momento acontece o velório de tio Deco, sito à Rua Rio de Janeiro nº2240, bairro Areal- Porto Velho, seu enterro está previsto para acontecer às 10 horas da de manhã, do dia 12 de junho no cemitério dos Inocentes.

Tio Deco presente! Sendo parte da história da Amazônia e parte da história do seu povo!

Fonte: 010 - ASSESSORIA - SINSBOR

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias