Quarta-Feira, 19 de Novembro de 2014 - 21:27 (Colaboradores)

NEO-COMUNISTA ASSUME PASTA DO ESPORTE E LAZER NA PREFEITURA DE PORTO VELHO

Rafael Claros é advogado de carreira, militante agrário e tem formação nas áreas cível e criminal, segundo seguidores ligados à Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil [CTB] e do próprio partido que não quiseram revelar a identidade.


Imprimir página

Porto Velho, RONDÔNIA - Visando buscar alternativas convincentes que vão ao encontro das medidas propostas das políticas públicas traçadas pelo prefeito Mauro Nazif [PSB], o advogado neocomunista Rafael Claros [PCdoB], assumiu a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer [SEMES] em grande estilo.

Rafael Claros é advogado de carreira, militante agrário e tem formação nas áreas cível e criminal, segundo seguidores ligados à Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil [CTB] e do próprio partido que não quiseram revelar a identidade.

De acordo com essas fontes, ele pretende dar continuidade ao trabalho do antecessor na Pasta, bem como ampliar os horizontes em cima de ações mais voltadas às práticas do desporto interativo, devendo focar ‘nas reais necessidades das comunidades’ urbanas e ribeirinhas – como e o pensamento do mandatário Mauro Nazif.

- É com base nessa vivência, que a equipe à disposição dele, pretende inovar na forma de levar esporte, cultura e entretenimento à população, em atendimento às peculiaridades municipais, eles disseram.

Com base nas medidas que vem sendo implementadas pelo Palácio Tancredo Neves e que o secretário Rafael Claros, irá se comunicar com o mundo desportivo municipal e externo, adiantaram as fontes. Com isso, novas medidas tomadas, ele pretende ouvir os servidores, lideranças e empresários do setor, a fim de restabelecer uma dinâmica mais agressiva de lidar com a diversidade local.

Extraoficialmente, sabe-se, no entanto, que, ‘o novo secretário pretende, também orientar servidores e instituições no sentido de evitar que os projetos em andamento, não sofram problemas de continuidade’.

Em linhas gerais, os apelos mais prementes a serem resolvidos seria a falta de infraestrutura inovadora no âmbito da SEMES, ou seja, ‘as modalidades desportivas e suas práticas sadias precisam ser ampliadas, com dotação própria, pessoal qualificado e tecnologia inovadora a fim de se obter a plenitude das políticas públicas voltadas para o desporto municipal’.

O programa federal deixa a desejar no Estado de Rondônia e, não é diferente, nesta Capital, onde os espaços desportivos e culturais ainda ficam atrás da periferia das médias e grandes capitais do País. É que a fragilidade das condições de acolhimento institucional de atletas para patrocínio, ‘praticamente nunca existiu’ e que o governo federal, por Aldo Rabelo, ‘é ciente dessa fragilidade governamental’.

Fonte: Xico Nery

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias