Quinta-Feira, 23 de Outubro de 2014 - 16:37 (Eleições 2014)

MP, OAB, PARTIDOS E COMUNIDADE ACOMPANHAM TESTE DE CONFIANÇA DAS URNAS EM VOTAÇÃO PARALELA

A razão desse processo é provar que a urna eletrônica reflete o ideal democrático. “É nessa ocasião que toda a sociedade pode verificar que a urna eletrônica é segura, que espelha o legítimo voto que é lançado pelo eleitor”


Imprimir página

No próximo domingo (26), dia da eleição, acontece a Votação Paralela. Evento de grande importância para a democracia. Oportunidade de verificação do funcionamento das urnas sob condições normais de uso.

O processo de votação paralela é regulamentado pela Resolução do TSE n. 23397/2013. Uma Comissão composta por um Juiz de Direito e quatro servidores da Justiça Eleitoral organizam e conduzem os trabalhos. O Ministério Público Eleitoral, partidos, coligações e OAB são convidados a indicar representantes para acompanhar os trabalhos, que acontecem em cada Estado no mesmo dia e horário da votação oficial.

O Tribunal Superior Eleitoral contrata uma empresa especializada em auditoria para fiscalizar todas as fases dos trabalhos da votação paralela.  Para as eleições de 2014, a empresa responsável é o Grupo Maciel Auditoria, Consultoria, Perícia e Assessoria. Ao final dos trabalhos, a empresa encaminhará ao Tribunal Superior Eleitoral, relatório conclusivo da fiscalização realizada na votação paralela.

A razão desse processo é provar que a urna eletrônica reflete o ideal democrático. “É nessa ocasião que toda a sociedade pode verificar que a urna eletrônica é segura, que espelha o legítimo voto que é lançado pelo eleitor”, registrou o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, Desembargador Péricles Moreira Chagas.

A Votação Paralela

A votação paralela é uma sistemática simples de verificação do correto funcionamento da urna eletrônica. O procedimento da Votação Paralela consiste, basicamente, na inserção de votos em duas urnas de seções sorteadas às 9h do dia anterior à eleição, uma da capital e outra do interior, com votos preenchidos previamente por representantes da sociedade.

As cédulas deverão ser preenchidas com os números correspondentes a candidatos registrados, a votos nulos e a votos de legenda, bem como deverão existir cédulas com votos em branco.

No encerramento, o resultado obtido em cada uma das urnas eletrônicas é comparado com o resultado obtido no sistema de apoio/verificação, que também é alimentado com os mesmos votos.

Em Rondônia, todo processo, que está sob a coordenação do Juiz Amauri Lemes, ocorrerá na sede provisória do TRE (Complexo Rio Madeira - CPA - Av. Farquar, n. 2986 Pedrinhas, Porto Velho – RO). Todas as etapas estão abertas ao público em geral.

 

 

Fonte: ascom/tre-ro

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias