Quarta-Feira, 06 de Dezembro de 2017 - 08:03 (Internacional)

L
LIVRE

MORREU JOHNNY HALLYDAY, O “ELVIS PRESLEY FRANCÊS”

A batalhar contra um cancro de pulmão há vários anos, a doença nunca travou Hallyday, que continuou a aturar até este verão apesar de sucessivas notícias sobre a degradação do seu estado de saúde.


Imprimir página

Johnny Hallyday, considerado a maior estrela de rock francês das últimas décadas e um ícone que encheu estádios de futebol ao longo do último meio século, morreu esta quarta-feira, aos 74 anos.

A batalhar contra um cancro de pulmão há vários anos, a doença nunca travou Hallyday, que continuou a aturar até este verão apesar de sucessivas notícias sobre a degradação do seu estado de saúde.

Em comunicado, o Presidente de França, Emmanuel Macron, lamentou a partida do homem que levou "uma parte da América" para o "panteão nacional” francês. Aos jornalistas, uma fonte do Eliseu disse que Macron já falou com a família do cantor mas não avançou mais pormenores sobre as circunstâncias da sua morte.

“Johnny Hallyday deixou-nos”, disse a mulher da estrela rock, Laeticia, à AFP. “Escrevo estas palavras sem acreditar nelas. Mas ainda assim, é verdade. O meu homem já não está entre nós. Deixou-nos esta noite da mesma forma que viveu, com coragem e dignidade.”

Famoso entre toda a comunidade francófona mas pouco conhecido fora dele, Hallyday era simplemente conhecido como “o nosso Johnny” entre todos os falantes de francês. “Há um bocadinho do Johnny em todos nós”, declarou Macron esta manhã.

Desde o início da sua carreira em 1960, Hallyday vendeu 100 milhões de discos e participou numa série de filmes, tendo sido reconhecido em 1997 pelo então Presidente de França, Jacques Chirác, com a medalha da Ordem Nacional da Legião de Honra.

Nascido Jean-Philippe Smet, Hallyday decidiu tornar-se cantor após ver Elvis Presley no grande ecrã em 1957, uma inspiração que nunca escondeu e que levou os seus fãs a apelidarem-no carinhosamente de “Presley francês”.

“Ele introduziu França ao rock & roll, é um dos poucos cantores [franceses] tido como um animal do palco”, escreveu há alguns anos o jornalista Philippe Le Corre. “É um músico incrível e pessoas de todas as idades gostam dele.”

Apesar do seu sucesso no mercado francófono, Hallyday nunca conquistou grande sucesso na América do Norte nem no lucrativo mercado da música anglófona. Há alguns anos, o “USA Today” classificou-o como “a maior estrela de rock de que nunca ninguém ouviu falar”.

Fonte: 012 - jornal expresso

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias