Sexta-Feira, 26 de Fevereiro de 2016 - 14:31 (Colaboradores)

L
LIVRE

MORADORES DO NACIONAL LAMENTAM OBRA DA PREFEITURA INACABADA

Em 2014, o igarapé que corta boa parte de Porto Velho não suportou a pressão das águas das chuvas e se rompeu. Durante esse tempo os moradores alegam que apenas obras paliativas foram realizadas pela prefeitura.


Imprimir página

Em porto velho, o rompimento do bueiro na Estrada do Belmonte há dois anos tem transformado a vida dos moradores do bairro nacional num transtorno. Agora com o período chuvoso, eles temem que o que sobrou desabe de uma vez, acarretando ainda mais o problema.

Uma placa posta pela Defesa Civil deixa evidente o perigo que é trafegar na estrada do Belmonte. “É impossível à passagem de dois carros juntos. Eu mesmo me acidentei aqui caindo no bueiro”, lamenta o construtor Carlos Bernardes.

Em 2014, o igarapé que corta boa parte de Porto Velho não suportou a pressão das águas das chuvas e se rompeu. Durante esse tempo os moradores alegam que apenas obras paliativas foram realizadas pela prefeitura.


imagem: G1 (2014)

“Eles (Prefeitura) vem fazendo ‘gambiarra’, iludindo a população. E todas as vezes que a Secretaria Municipal de Obras (Semob) aparece, à obra fica pior”, lembra o professor de artes marciais, José Torres que mora numa casa próxima ao bueiro.

A vida dos moradores do bairro Nacional já não era fácil e com o rompimento do bueiro o transformou só piorou. Eles alegam que há oito meses a Secretaria de Obras trouxe para cá essas grandes tubulações, com a promessa de retomar a construção.

“Acho que há uns seis meses trouxeram para tubulações e estacionaram logo ali bem próximo ao terreno do vizinho. O que aconteceu é que as tubulações se transformaram em esconderijos para marginais, moradia para o mosquito da Dengue e serve ainda para o consumo de drogas”, denuncia o morador.

E o que foi anunciado como uma construção ‘paliativa’ quase um ano depois permanece sem resultado. Indignados com o problema que não tem fim os moradores do bairro Nacional desabafam. “Infelizmente a obra não aconteceu e a ‘gente’ fica na eminencia de ‘implorar’ ao poder público (Prefeitura) á execução dos trabalhos”, acrescenta o servidor público Cleuber Pereira.

Naquela época sem um acesso, os moradores foram obrigados a ficar sitiados dentro do próprio bairro. As pressas à prefeitura precisou agir. A saída encontrada foi pela avenida farquar. Ainda assim o problema permanece. “E essa situação é bom que fique bem claro para as autoridades e as pessoas que conhecem o bairro. Aqui só mora gente boa. O Nacional concentra uma das maiores populações de Porto Velho. Além de passar por aqui o ICMS arrecado pelo Estado. O abuso se caracteriza com a construção que continua dessa maneira”, lamenta o morador.

Mesmo com o perigo que é evidente, o tráfego de veículos de pequeno e grande porte é intenso. É que a estrada do Belmonte leva as principais petrolíferas, que abastecem o Estado de Rondônia. Outra denuncia dos moradores são os frequentes acidentes, com o estreitamento da via.

Em contato com o secretário municipal de obras, Gilson Nassif, ele informou que a estrada do Belmonte é de responsabilidade do executivo estadual, más a sua manutenção cabe à prefeitura. O chefe da pasta ainda justificou a demora e declarou que a obra deve ser retomada dentro de 40 dias.

Imagens: Raimundo Brito

Fonte: NEWSRONDONIA

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias