Sexta-Feira, 20 de Outubro de 2017 - 15:21 (Economia)

L
LIVRE

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA MANIFESTA APOIO PARA QUE RONDÔNIA CONSOLIDE PARCERIA COM A COREIA DO SUL

Para o ministro, os interesses mútuos permitirão ao MCTIC criar condições para fortalecer essa parceria bi-lateral.


Imprimir página

Uma delegação de empresários sul-coreanos que está em interessada na cooperação comercial  com o estado de Rondônia, se  reuniu nessa quinta-feira (19), em Brasília, com ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação  e Comunicações (MCTIC),  Gilberto kassab, o vice-governador, Daniel Pereira, os senadores Raupp e Gurgacz, a deputada federal Marinha Raupp e prefeitos de Rondônia.

Para o ministro, os interesses mútuos permitirão ao MCTIC criar condições para fortalecer essa parceria bi-lateral. “Vamos preparar um grupo de trabalho pra tentar, com esse apoio, aumentar a chance de viabilizar esse importante projeto para Rondônia”, disse Kassab.

De acordo com o vice-governador,  a ideia de promover esta reunião com os sul-coreanos no Ministério da Ciência e Tecnologia,  nasceu há 90 dias, quando ele,  junto com o superintendente da Suder, Basílio Oliveira, visitaram a Coréia do Sul, no intuito de fazer aproximações  comerciais com o país asiático. Daniel afirmou que, a ideia inicial era usar a expertise sul-coreana para o modelo de cidades inteligentes (programa do MCTIC), e que, ao invés de fazer um projeto piloto de uma cidade, ele sugeriu ao ministro,  fazer a experiência no  Estado.

“Viemos aqui apresentar o projeto ao ministro Kassab, de forma que ele possa nos ajudar a debelar  a grave crise de insegurança que nós vivemos no Brasil”, explicou Daniel Pereira. Para ele, o uso de ferramentas tecnológicas é um bom caminho para ajudar a resolver o problema da segurança pública. “O Brasil conhece bem a tecnologia coreana, uma tecnologia conhecida e respeitada, e  nós construímos com eles uma interface importante”, explicou.

A segurança na fronteira com a Bolívia é preocupante,  enfatizou  Daniel Pereira. Para ele, a extensa faixa de fronteira de 1400 km, coloca em risco a população não só de Rondônia, mas de todo o Brasil. “Para armas e drogas chegarem  no centro do país, têm que passar por um vasto território desprotegido,  e a gente sabe que é humanamente impossível  controlar isso apenas com a presença física. É necessário o uso de tecnologias”, disse.

Segundo o vice-governador, o estado está implantando o programa Rondônia Mais Segura, e a intenção é levar a tecnologia sul-coreana para auxiliar. “O Rondônia Mais Segura tem  medidas que visam o impacto direto com a segurança, que é iluminação pública, vídeo monitoramento e internet. É algo que, se eu consigo levar para a população, é possível obter resultados fantásticos na área de segurança pública”, explicou.

O vice-governador destacou ainda, que a intenção é levar  a tecnologia sul-coreana para Rondônia e construir uma parceria forte.  “Eles tem recursos,  têm tecnologia, e acima de tudo é um pessoal muito sério naquilo em que faz. Já desenvolveram com a gente algumas parcerias de pesquisas , e estamos promovendo  o encontro deles com as nossas instituições de ensino, como  a Unir e  o Instituto Federal de Rondônia “, concluiu.

Fonte: 010 - SECOM/GOV-RO

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias