Quarta-Feira, 20 de Setembro de 2017 - 15:00 (Política)

L
LIVRE

MÁ FÉ - DENÚNCIA ARQUIVADA É UTILIZADA PARA DIFAMAR FAMÍLIA DE DEPUTADO JESUÍNO BOABAID

Após tomar conhecimento, o promotor chegou ao entendimento de que não havia sequer possibilidade de iniciar uma investigação, pois a denúncia chegou de forma apócrifa sem apresentar qualquer fato ou indicio de prova, que desse materialidade ao caso.


Imprimir página

O promotor de Justiça Geraldo Henrique Ramos Guimarães do Ministério Público do Estado de Rondônia, arquivou uma denúncia protocolada na casa envolvendo o nome do deputado estadual Jesuíno Boabaid (PMN), do chefe da Casa Civil, Emerson Castro (PMDB), e do policial civil, Jesus Silva Boabaid.

Após tomar conhecimento, o promotor chegou ao entendimento de que não havia sequer possibilidade de iniciar uma investigação, pois a denúncia chegou de forma apócrifa sem apresentar qualquer fato ou indicio de prova, que desse materialidade ao caso.

"Não há como iniciar investigações apenas com suposições apontadas pelo denunciante (a), que sequer se identificou para uma possível busca desse órgão ministerial por mais informações", afirmou o promotor em seu entendimento sobre o caso.

A denúncia afirmava que o agente de polícia civil, Jesus teria utilizado seu irmão, Jesuíno para através do Chefe da Casa Civil interceder no chamamento do concurso público para o cargo de delegado de Polícia Civil no qual ele foi aprovado e estava na lista de espera.

De acordo com o promotor, a simples convocação de Jesus em um concurso ao qual ele foi aprovado não configura em nenhuma irregularidade, uma vez que existe um número deficitário enorme de profissionais de segurança pública no estado.

"Há um déficit no estado de Rondônia de 279 delegados e 2287 agentes de polícia, fora os demais cargos, razão pela qual, a simples nomeação de um candidato, em tese apto, e na lista de aprovados de maneira idônea, não caracteriza improbidade administrativa ou qualquer ilegalidade", afirmou o Geraldo Guimarães.

O agente de polícia se manifestou sobre o caso através de sua página pessoal em uma rede social, onde esclareceu que antes mesmo de seu irmão pensar em entrar para política ele já se dedicava aos estudos na busca de uma vida melhor, sendo que passou em três concorridos concursos públicos, além de terminar a faculdade de direito e ser aprovado no concurso para delegado da Polícia Civil, tudo isso antes de seu irmão assumir uma cadeira no legislativo rondoniense.

"Se hoje estou na eminência de ser convocado para o Curso de Formação ao Cargo de Delegado de Polícia Civil não é por conchavos ou influência de um parlamentar, mas por obediência a um Edital, por competência de uma Instituição séria compostas por pessoas probas, sérias e comprometidas com a Lei e a Ordem. Infelizmente, pessoas que não lograram êxito, hoje estão embarcando num ataque feroz por puro egoísmo e maldade", disse Jesus.

Já o deputado Jesuíno Bobaid, disse que desde o momento em que tomou conhecimento da denúncia tinha a certeza que a Justiça rapidamente seria feita; para ele essa acusação foi um absurdo praticado contra ele por pessoas interessadas em destruir sua reputação e de sua família de qualquer forma, mesmo sem provas  ou qualquer suspeita, apenas a raiva, arrogância de pessoas que não toleram alguém da sua origem chegar à uma posição de representatividade pública.

Publicado na última semana em alguns veículos como se fosse um fato novo a denúncia já está arquivada desde o dia 12 de julho de 2017. Sem materialidade ou indicio, o caso não segue mais na pauta da apuração ministerial há algum tempo.

Fonte: 010 - assessoria

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias