Segunda-Feira, 24 de Outubro de 2016 - 11:57 (Eleições 2016)

L
LIVRE

LÉO MORAES PERDE TEMPO NO RÁDIO E TV POR MENTIR EM SEUS PROGRAMAS ELEITORAIS

No desespero, candidato do PTB divulga mentiras e faz montagem de imagens contra Hildon


Imprimir página

A justiça eleitoral pôs um freio na estratégia do desespero adotada pelo candidato do PTB, Léo Moraes e retirou-lhe tempo do horário eleitoral gratuito no radio e na TV como punição por mentir e fazer montagens de vídeos para atacar o candidato vitorioso no primeiro turno, dr Hildon Chaves, do PSDB. Nos últimos programas eleitorais, o candidato petebista abandonou a linha propositiva e passou quase que unicamente a tentar desqualificar o candidato tucano.

No final da tarde deste domingo, em duas decisões (nºs 1014 e 1015) o juiz Acir Teixeira, condenou Léo Moraes por mentir aos eleitores ao divulgar no horário eleitoral um programa no qual dizia que o partido do dr Hildon, o PSDB, “é contra políticas públicas de incentivo ao esporte e cultura. Os tucanos também querem acabar com o bolsa família e a privatizar as empresas públicas para gerar desemprego”.

Num outro programa, a equipe de marketing de Léo Moraes editou um trecho de vídeo de uma apresentação que os candidatos fizeram na Fiero, pinçando tópicos fora do contexto de declarações do candidato, numa manobra vetada pela legislação eleitoral.

O juiz Acir Teixeira considerou que as mentiras de Léo Moraes, “poderia criar estados anímicos de terrorismo em relação aos beneficiários do referido programa”. No outro, o magistrado reconheceu que o vídeo é material editado, com montagens e trucagens tiradas no debate na Fiero, com potencial de distorcer os fatos.

A liderança do dr Hildon Chaves na corrida eleitoral, comprovada com a vitória no primeiro turno e a grande diferença entre os dois, medidas pelo Ibope, na qual dr Hildon aparece quase vinte pontos percentuais à frente de Léo Moraes, disparou o sinal vermelho e a equipe entrou em desespero. O programa eleitoral, que é o meio para divulgação de propostas, passou a ser utilizado como ferramenta para atacar e disseminar mentiras contra o candidato tucano, estratégia agressiva que começa a ser contida pela justiça eleitoral.

 

 

 

Fonte: Valbran Junior/Assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias