LENHA NA FOGUEIRA: SESC APRESENTA ESPETÁCULO 'PITORESCA' - News Rondônia A Cia. de teatro Nu Escuro, de Goiânia, Goiás, em atividade desde 1996, desenvolve estética própria e tem suas vertentes na investigação da dramaturgia, na música executada ao vivo, pelo próprio elenco, e na poética do teatro de animação.

Porto Velho,

Sexta-Feira , 03 de Junho de 2016 - 00:30 - Colaboradores


 


LENHA NA FOGUEIRA: SESC APRESENTA ESPETÁCULO 'PITORESCA'

A Cia. de teatro Nu Escuro, de Goiânia, Goiás, em atividade desde 1996, desenvolve estética própria e tem suas vertentes na investigação da dramaturgia, na música executada ao vivo, pelo próprio elenco, e na poética do teatro de animação.

ImprimirImprimir página

Chegou o mês de junho e com ele a esperança dos apreciadores dos folguedos chamados juninos, de que as festas programadas para acontecer, realmente aconteça. Uma delas em nossa cidade de Porto Velho capital do estado de Rondônia é o Arraial Flor do Maracujá que ha muito tempo não acontece no mês de junho.


A luta dos dirigentes das entidades que comandam os grupos folclóricos em Porto Velho é árdua e muitas vezes não encontra o respaldo das autoridades que tem a obrigação de auxiliá-las.


A Mostra de Quadrilhas e Bois Bumbas que acontece desde 1982, de uns anos para cá, vem sofrendo com o descaso, tanto do governo estadual como do municipal. O evento foi criado por Decreto assinado pelo governador Jorge Teixeira de Oliveira aprovado pelos deputados estaduais. Tudo foi muito bem até o ano de 2011 quando o governo deixou de apoiar financeiramente os grupos.


É isso mesmo, desde de 2011 os grupos folclóricos de Porto Velho não recebem um tostão dos cofres do governo estadual o que culminou em 2014, com a interferência do Ministério Público via procurador Everton Aguiar sugerindo que a então secretaria de cultura Eluane passasse a coordenação da festa para a Federação de Grupos Folclóricos de Rondônia – Federon tirando a responsabilidade o governo de fazer repasse em espécie aos grupos, mas, determinando que a partir de então, o governo patrocinasse a montagem de toda a estrutura do Arraial como palco, som, tendas e iluminação.


Em 2015, a prefeitura através da Funcultural apoiou os grupos com recursos para a aquisição e montagem de suas apresentações com valor que superou os 500 Mil Reais. Este ano de 2016, a direção da Funcultural reuniu os dirigentes da Federon e eu estava presente e garantiu que repassaria o mesmo valor, ou seja, 525 Mil Reais para que os grupos se aprontassem para se apresentar no Flor do Maracujá e mais, na reunião, a direção da Federon perguntou se poderia marcar e anunciar na imprensa que o Flor do Maracujá começaria no dia 22 de junho. E os dirigentes da Funcultural disseram que sim. “Podem anunciar que garantimos o repasse em tempo hábil”.


Hoje dia 3 de junho, faltando apenas 19 dias para o inicio do Flor do Maracujá caso a data de 22 de junho fosse mantida, a Prefeitura do Dr. Mauro Nazif e da Funcultural da nova presidente Gelca e dos mesmo integrantes da diretoria que participaram daquela reunião, não sabem informar se vai ou não ter o repasse para os grupos.


A falta de informação, ou melhor, a enrolação a qual são submetidos os folcloristas quando procuram saber sobre o andamento do processo, não está escrita em nenhum gibi. Sempre dizem que o processo está sendo avaliado pelos Procuradores Municipais. Essa análise já dura quase três meses e nada da PGM se manifestar. Pelo menos é isso que os dirigentes da Funcultural dizem.



Se o prefeito Mauro Nazif não tivesse garantido através da Funcultural que repassaria recursos, com certeza a abertura do Flor do Maracujá aconteceria na data marcada pela Federon. Agora não da mais, a Federon vai ter que escolher outra data para realizar nossa maior festa folclórica.


Isso mostra a falta de compromisso para com a cultura popular da nossa cidade, por parte de quem deveria apoiá-la, ou seja, a FUNCULTURAL de Porto Velho.


Grupo Evolução no Centro Educacional Maria Nazaré

Nesta sexta feira 03, o Grupo de Teatro Evolução realiza no Centro Educacional Maria de Nazaré, apresentação teatral, pelo projeto “O Teatro Vai a Escola”.

O espetáculo “Os Bichos Também Amam” será apresentando para alunos do ensino fundamental. A apresentação acontece às 11h, na quadra da escola.

O projeto O Teatro Vai à Escola, é desenvolvido pela Evolução e acontece dede o ano de 2009. Todos os anos o Grupo leva teatro para as instituições de ensino da capital com o objetivo de fomentar a cultura local e possibilitar aos estudantes, principalmente da rede pública, o acesso a essa linguagem artística, além de formar público qualificado para o teatro.

Este ano, o grupo percorre as escolas com dois espetáculos: É crime não Saber Ler, para o público adulto, e Os Bichos Também Amam, direcionados ao público infantil. O monólogo É Crime Não Saber Ler, é interpretado pelo ator Eules Lycaon, com participação de Sidnei Oliveira e Mika Cardoso, o texto é de Luiz Antônio de Araújo. Já o infantil, Os Bichos Também Amam, conta com a atuação dos atores Mika Cardoso, Gisele Stering, Eules Lycaon e Dionatan Menezes. O texto e direção são de Eules Lycaon.

SOBRE OS ESPETACULOS

OS BICHOS TAMBÉM AMAM, é um espetáculo direcionado ao público infantil e mostra a necessidade que os animais têm de relacionar-se com seres da mesma espécie. O texto narra a história de uma cachorrinha (Bolota), que apesar de ser bem cuidada e mimada, sente-se insatisfeita e solitária. Mas tudo começa a mudar no momento em que conhece um companheiro (Tóto).

As escolas interessadas em acolher o projeto podem entrar em contato pelo e-mail do grupo gte-pvhro@hotmail.com

SESC apresenta Espetáculo "PITORESCA"

O espetáculo “Pitoresca” será apresentado na tarde desta sexta feira 03, no Teatro 1 do SESC Esplanada em sessão extra às 15h. A entrada é franca e a classificação indicativa é de 12 anos.

"Pitoresca" traz a história de uma índia velha e grávida que observa a história do Brasil há mais de 400 anos, período no qual ela presenciou a formação das identidades brasileiras. O texto da peça tem como alicerce relatos de cientistas e artistas europeus, a autobiografia de um escravo africano e diários de viagens de aventureiros que passaram pelo Brasil. Neste caleidoscópio de histórias, do período entre os séculos XV XIX, estão visões do alvorecer da globalização e que norteiam às contradições do mundo moderno.

Entre os relatos e diários estão os de personagens como Pero Vaz de Caminha, Langsdorff, John Emmanuel Pohl, Gardo Baquaqua, Gobineau, Francis Castelnau, Hans Staden, Maria Graham, das iconografias e relatos elaborados por artistas e cientistas de expedições, como Rugendas, Taunay, Florence, Debret, Frans Post, Albert Eckhout e dos “Relatórios de Província” que o Governo de Goiás encaminhava ao império.

Com direção de Hélio Fróes, “Pitoresca” é o novo espetáculo da trilogia “Goyaz”, um trabalho de investigação cênica que tem como objetivo investigar de forma crítica e poética a formação do Estado de Goiás. A peça é a terceira obra da trilogia, que conta com “Plural“ (2012) e “Gato Negro“ (2013). “Goyaz” tem como proposta aprofundar as linhas de estudos e de pesquisa estética do grupo.

A Cia. de teatro Nu Escuro, de Goiânia, Goiás, em atividade desde 1996, desenvolve estética própria e tem suas vertentes na investigação da dramaturgia, na música executada ao vivo, pelo próprio elenco, e na poética do teatro de animação. No ano de 2013, a Cia Nu Escuro foi contemplada com o patrocínio Petrobras de manutenção de grupo (2014-2016) com o projeto O Iconógrafo.

Com “O Iconógrafo”, patrocinado pela Petrobras, A Cia. de teatro Nu Escuro realizou oficinas e seminários a fim de aprimorar técnicas e propostas conceituais e estéticas para a montagem de “Pitoresca”. A realização de circulação dos espetáculos “Plural” e ”Gato Negro” sugeriu uma analogia ao tema “os viajantes”. Turnê passou pelos estados de Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Rondônia, Rio Grande do Sul. Contemplado pelo projeto, intitulado ”De Dentro do Centro”, lançaram a revista Expedições Cênicas. Em 2016, a peça “Pitoresca” cumpre turnê com previsão de 40 apresentações pelo Brasil.

Espetáculo

Data: 03 junho

Hora:15h,

Local: Teatro SESC Esplanada

Informações: (69) 98111-5157 – 99287-2992

Entrada franca

Classificação indicativa 12 anos

NOTICIAS RELACIONADAS

Fonte: Zé Katraca

Comentários do Facebook

Veja Também

Publicidade

  • Http://www.Auto-doc.pt