LENHA NA FOGUEIRA: PALCO GIRATÓRIO - News Rondônia No próximo dia 4 de setembro, O Sistema Fecomércio por meio do Sesc inicia a 9ª Edição do Festival Palco Giratório.

Porto Velho,

Quarta-Feira , 31 de Agosto de 2016 - 07:38 - Colaboradores


 


LENHA NA FOGUEIRA: PALCO GIRATÓRIO

No próximo dia 4 de setembro, O Sistema Fecomércio por meio do Sesc inicia a 9ª Edição do Festival Palco Giratório.

ImprimirImprimir página

A coordenadora Municipal de Mulheres, convida a comunidade e a imprensa de Porto Velho, para participar da comemoração aos 10 anos da Lei Maria da Penha. O evento será realizado no dia 31 de agosto, a partir das 14 horas, na própria coordenadoria. Endereço, rua Antônio Lourenço P. Lima (antiga Venezuela), nº 2.360 – bairro Embratel. Será oferecido atendimento para as mulheres, palestras, brincadeiras para crianças e um coffee break.


Enquanto isso, os programas dos candidatos a prefeito que estão sendo apresentados no horário político este ano, estão uma '‘merda’'. Ninguém diz nada que se aproveite.


O negócio é dizer que Moro em Porto Velho há tantos anos, me formei e vim trabalhar aqui, nasci e me criei aqui. Não nasci, mas, me criei aqui...


É muita falta de criatividade, ou será de patrocínio. Com a proibição das empresas fazer doação em dinheiro aos candidatos, o negócio engriquilhou. O interessante é que tem candidato que diz que não fez nada, porque o outro deixou o município enterrado até o pescoço.


O outro vem e diz que deixou o caixa da prefeitura abarrotado de dinheiro e que o que aconteceu foi que não souberam utilizar os recursos. Enquanto isso os novatos vem com aquela conversa de “cerca Lourenço”, dizendo que irão solucionar tudo quanto é problema que aparecer pela frente.


A Justiça eleitoral deveria exigir que os candidatos e suas coligações, registrassem em cartório e na própria Justiça Eleitoral seus Programas para os quatro anos de governo caso sejam eleitos. Depois a Justiça passaria a fiscalizar ou acompanhar o cumprimento das promessas ou projetos registrados.


Agora mesmo, tem candidato convidando os segmentos culturais para reunião. Isso é bom! Agora que não fique apenas nas reuniões eleitoreiras. Que se apresentem os Projetos Cultuais a serem desenvolvidos durante o mandato caso o candidato seja eleito.


Por outro lado, os entes culturais, devem comparecer às reuniões e apresentarem o que acham que deve ser colocado em prática caso o candidato seja eleito.


Juntem-se carnavalescos, folcloristas, grupos de teatro, artistas plásticos, artesãos, músicos, compositores, pintores, grupos de dança, enfim todos que de uma maneira ou de outra atuem na cultura.


Os candidatos precisam saber o que queremos. Eles não sabem o que é preciso para ser colocar um boi bumbá, uma quadrilha, uma escola de samba, um bloco de carnaval, uma peça de teatro, um espetáculo musical.


Quem sabe onde o sapato aperta, é quem o calça. Então as reuniões com os candidatos devem sim acontecer. Precisamos dizer o que queremos para o segmento cultural.


O que se vê, são os candidatos falarem apenas em saúde, educação e segurança. Ninguém fala em cultura, esporte e lazer. Se o governo apoiar os movimentos culturais estará contribuindo para a diminuição da violência, pois a juventude estará envolvida numa apresentação musical, teatral, ensaiando a dança da quadrilha ou do boi bumbá, estará aprendendo percussão na bateria de uma escola de samba, aprenderá a confeccionar fantasias e alegorias e a tocar um instrumento musical.


O investimento em esporte diminui as despesas com a saúde. Pois é como diz o dito, popular: “Esporte é saúde”. A cidade precisa de mais espaço para a prática de lazer precisa de praças bem cuidadas.


Precisamos nos orgulhar da cidade em que vivemos e para isso, é preciso que o prefeito faça sua parte no que diz respeito a saneamento básico, mobilidade urbana coisa que em Porto Velho não tem, mas, pode ter! Tudo depende do seu voto. E viva a cultura popular!


Festival Palco Giratório inicia no dia quatro

Reconhecido como o maior espetáculo de circulação de artes cênicas do Brasil. O festival acontecerá durante 22 dias, no Teatro 1 Sesc Esplanada, Parque da Cidade, Teatro Banzeiros e outros pontos de Rondônia como: Mostra em Ji-Paraná, apresentações especiais em escolas, hospitais e a circulação Estadual do espetáculo Flor de Macambira nos municípios de Ariquemes, Nova Mamoré, Presidente Médici e Vilhena, nas unidades do Sesc Rondônia.

Participarão do circuito nacional 20 companhias, somando 728 apresentações artísticas e mais de 1,3 mil horas de oficinas teatrais. Em Rondônia o evento acontecerá no período de 4 a 25 de setembro com uma programação selecionada para o público infantil e adulto. O espetáculo de abertura do Festival vem de Minas Gerais, “Manotas Musicais” do Grupo Trampulim. A apresentação acontecerá a partir das 19h, no Parque da Cidade ao lado do Porto Velho Shopping.

Além das apresentações em Porto Velho, o Palco Giratório será desenvolvido em Ji-Paraná em formato de Mostra. Acontecerá do dia 11 a 17 de setembro, sempre às 20h, no Teatro Dominguinhos. O município receberá os espetáculos: A casatória com a difunta, da CIA. Pão Doce de Teatro (RN), O Rato do Pivete CIA. de Arte (PR), Benedita CIA. Cino (BA), Perdidos na Floresta do grupo: 

Além das apresentações, o evento conta ainda com atividades paralelas para o público, como: o Pensamento Giratório – espaço aberto para reflexão e discussão sobre o trabalho e pesquisa dos grupos itinerantes do Distrito Federal, Teatro de Açúcar, O grupo Pândega de Teatro de São Paulo e CIA Les Trois Cles do Rio de janeiro. As oficinas e Intercâmbios: onde acontecem encontros de grupos locais com os grupos integrantes do circuito para troca de idéias e experiências. Intervenção urbana, “Experimentos Gramíneos”, que acontecerá na av. 7 de setembro e Jatuarana, nos dias 21 e 22 de setembro, às 17h. Outro ponto culminante do Festival serão as apresentações especiais que acontecerão para pacientes do hospital Cosme Damião, Hospital do câncer, na escola pública Dr. Tancredo de Almeida Neves e Pingo de Gente.

O Palco Giratório é um evento realizado pelo Sesc consolidado no cenário cultural brasileiro há 19 anos. Sendo um importante projeto de difusão e intercâmbio das Artes Cênicas, intensifica a formação de platéias a partir da circulação de espetáculos dos mais variados gêneros, em todos os estados brasileiros, nas capitais e no interior.

NOTICIAS RELACIONADAS

Fonte: Zé Katraca

Comentários do Facebook

Veja Também

Publicidade

  • Http://www.Auto-doc.pt