Terça-Feira, 19 de Setembro de 2017 - 11:49 (Colaboradores)

L
LIVRE

LENHA NA FOGUEIRA: ÉTICA É O NOME DADO AO RAMO DA FILOSOFIA DEDICADO AOS ASSUNTOS MORAIS

A palavra ética é derivada do grego, e significa aquilo que pertence ao caráter.


Imprimir página

O povo cobra ética dos políticos, médicos, advogados, jornalistas enfim, de tudo quanto é ser humano, não interessa sua profissão ou condição social.

A ética no jornalismo tenho a impressão que é a mais difícil para ser cumprida pelo profissional seja o cronista, colunista social, esportivo, cultural e policial.

Certa vez, quando estava fazendo jornalismo, o professor passou um trabalho oral sobre “A ética no jornalismo”.

Na minha vez, disse apenas uma frase: “A ética no jornalismo é a ÉTICA do patrão”. É isso mesmo, não adianta o jornalista ser de extrema esquerda, de extrema direita ou de centro, ele tem que seguir a Ética da empresa, que por vez, segue a ética do seu dono. - “O Patrão”. Que segue a ética do mercado, quer dizer, ou manera nos ataques ao governo ou fica sem poder contar com o aporte financeiro depositado todo mês.

Não deixa que seus repórteres denuncie com veemência certa empresa, para não perder seu patrocínio, e por aí vai.

Quantas vezes ouvimos que faltou ética médica em determinado procedimento. Quantos médicos respondem processo por falta de ética, a mesma coisa acontece com advogados.

Apesar de dizermos que Ética é o mesmo que Falta de Caráter, existe uma diferença acentuada entre as duas palavras. Falta de Caráter é muito mais que falta de ética. Falta de caráter é o suprassumo da bandalheira, da safadeza.

No Brasil de hoje, apesar da Lava Jato, o que se pratica politicamente falando, é a falta de caráter. O pior, é, que, mesmo com todas as evidências de que os mesmos fizeram gato e sapato com o dinheiro público, eles continuam postando nas mídias, que são inocentes, que não fizeram isso ou aquilo e que o dinheiro da campanha, foi todo registrado conforme a Lei.

Aí está comprovada a falta de Caráter. Os caras além de usurparem o dinheiro público ainda insistem em dizer que são inocentes. É pior que falta de Caráter é a verdadeira “CARA DE PAU”

E como é, que nós Vascaínos, estamos querendo, que o jogador JÔ do Corinthians assuma perante toda a nação brasileira que o gol que deu a vitória ao seu time, feito por ele, foi COM O BRAÇO.

Primeiro que ele pode estar ficando velho, burro não, pois, se ele diz que realmente ele usou o braço para empurrar a bola pra dentro do gol do Vasco, com certeza, hoje ele estaria todo quebrado, de tanta “porrada” que a Fiel iria lhe dar.

Sou vascaíno e não concordo com a validação pelo juiz do gol feito pelo Jô no último domingo. Todo mundo viu que foi com o braço, só quem não viu foi o Juiz que chamam de vigia.

Será que aquele juiz que é pago por nós torcedores, para vigiar se a bola entra ou não entra no gol, em caso de dúvida, realmente faltou com a ética ou com o caráter? Ao afirmar que não viu se o Jô usar o braço para conduzir a abola pra dentro do gol!

Foi falta de ética de quem? Do Juiz de Linha (o vigia) ou do jogador Jô, ou até mesmo da emissora que estava transmitindo o jogo, que deixou de mostrar o ângulo do outro lado do campo?

A falta de ética foi e é da emissora que estava transmitindo o jogo, pois só mostrou imagem de um lado do estádio. Se mostrasse a do outro lado, veríamos (essa é minha opinião), que o Juiz Vigia não tinha condições de anular o gol, pois entre ele, a bola e o braço do Jô tinha o famoso PAU DA ÁREA o que o impediu de ver se o Jô usou o braço ou não.

Enfim, quem pagou o pato foi o meu VASCO!

Fonte: 010 - Silvio Santos

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias