Terça-Feira, 12 de Abril de 2016 - 14:25 (Colaboradores)

L
LIVRE

LENHA NA FOGUEIRA: ESTRADA DE FERRO

Outra vez? O maior roubo foi praticando quando o governo federal, pressionado pelas transportadoras rodoviárias, resolveu erradicar a Estrada de Ferro cujos trens faziam a linha Porto Velho/Guajará.


Imprimir página

Tão roubando descaradamente as peças da Estrada de Ferro Madeira Mamoré!


Outra vez? O maior roubo foi praticando quando o governo federal, pressionado pelas transportadoras rodoviárias, resolveu erradicar a Estrada de Ferro cujos trens faziam a linha Porto Velho/Guajará.


Os delinqüentes do patrimônio publico, conseguiram levar um vagão de trem inteirinho, que foi localizado numa mansão em Brasília, isso sem falar nos Sinos das Locomotivas todos em bronze que desapareceram do nada.


Por incrível que possa parecer, depois do governador Jorge Teixeira que conseguiu reativar a viagem de trem até Santo Antônio e dava o maior valor para o acervo que ainda restava.


A Madeira Mamoré em Porto Velho foi novamente reativada quando o Oswaldo Piana foi governador, aí a viagem de “trenzinho” se estendeu até a Vila do Teotônio. Além disso Piana criou a praça Madeira Mamoré nivelando quase em sua totalidade, o pátio de manobras à rua Farquar, é isso que ainda existe. Depois disso só promessa e desvio de dinheiro.


Trem com passageiros e autoridades em ponte sobre afluente do rio Madeira, por ocasião de inauguração de trecho da Ferrovia. Cerca de 1909-1910.  Negativo flexível tipo film-pack, gelatina.

Andaram falando que haviam revitalizado parte da obra feita pelo Piana e até colocaram placa dizendo com o valor em MILHÕES de REAIS que foi aplicado na revitalização. Tudo conversa pra boi dormir.


Encomendaram um Projeto à equipe responsável pela obra das Docas de Belém (PA), uma obra muito bonita e tudo parecia que ia acontecer, uma passarela que ia do Cai N'água até a Vila de Santo Antônio.


Aí mudou o prefeito e o prefeito que entrou achou de encomendar o projeto do projeto e veio a enchente de 2014 e acabou com tudo que foi sonho. Melhor para eles que não precisaram prestar contas do não foi feito, mas, recebeu recursos.


Não se pode dizer que as zuzinas têm culpa no cartório porque a de Santo Antônio assumiu e até quase termina a revitalização da Oficina. Justamente o local que hoje os irresponsáveis estão saqueando. Roubando as peças para vender no ferro velho.


De quem será a culpa desse pessoal estar roubando a Madeira Mamoré? Claro que do governo. Agora ninguém sabe de qual governo, pois o Estado diz que o acervo não é de sua responsabilidade, a prefeitura diz que também não recebeu o que deveria receber para tomar conta e o tal de IPHAN não sabe pra que existe, diz que também não é deu sua alçada cuidar da segurança do Patrimônio.


Sendo assim, vão se cansar de falar em audiência pública e não vão resolver nada, pois os discursos ficam a merce do vento, sem saber para onde se dirigir.


O Manuel Português é quem está pra ter um troço agarrado numa daquelas peças na tentativa de impedir que os ladrões as leve para os ferros velhos.


E assim a cada “banzeiro” do Madeirão, vai mais um pedaço do barranco. Em breve não estaremos nos reportando as peças roubas. Estaremos sim, lamentando, o desmoronamento dos GALPÕES que serviram de armazém durante muitos anos.


O Plano Inclinado que deveria ser o primeiro a ser tombado, está prestes a desaparecer nas profundezas do Madeira. O Triângulo já foi, só quem deve escapar do desbarrancamento é o prédio do Relógio, mesmo assim, se não cuidarem, também vai desmoronar pois chove mais dentro do que fora.


A Associação dos Ferroviários até que tenta, mais não tem força para exigir que o governo preserve nosso maior patrimônio histórico.


O Ministério Público Federal deveria sugerir que todo o patrimônio da Madeira Mamoré voltasse a ser de responsabilidade do governo federal, pois hoje, nem a prefeitura de Porto Velho e nem o governo estadual têm recursos para mantê-lo.

Fonte: Zé Katraca

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias