Sexta-Feira, 29 de Janeiro de 2016 - 09:45 (Colaboradores)

L
LIVRE

LENHA NA FOGUEIRA: CARNALESTE

Procuramos o fundador do CarnaLeste Sidney Mendonça da Silva e a atual presidente do cordão Michele Souza Santos e os mesmos, justificaram a ausência do bloco nos desfile do dia 9 de fevereiro, em virtude das taxas, cujos recolhimentos antecipados são obrigatórios.


Imprimir página

Até que enfim acabou a novela da Programação dos Desfiles dos Blocos de Trio Elétrico. A Funcultural distribui na tarde da última quarta-feira 27, matéria com a tabela dos desfiles.


É claro que permaneceu a sugestão do Comando da Polícia Militar de realizar os desfiles no período do carnaval oficial. Abriram exceção para os desfiles dos blocos do dia 30 de janeiro, no caso o Até Que a Noite Vire Dia e Vai e Volta este último de inicio, programado para o dia 29 de janeiro juntamente com o Areal Folia. Aliás, o Areal Folia vai desfilar no dia 5 de fevereiro, mesmo dia do Bloco Us Dy Phora.


Lamentamos apenas, a não inclusão na programação do CarnaLeste que de inicio, estava previsto para acontecer na terça-feira dia 9 de fevereiro.


O vice presidente da Funcultural Rafael Altomar declarou a nossa reportagem, que a prefeitura disponibilizou aos produtores do CarnaLeste um Trio Elétrico para puxar o bloco. “Para nossa surpresa o Sidney nos informou que em virtude de problemas familiares, não terá condição de colocar o bloco na rua”.


Procuramos o fundador do CarnaLeste Sidney Mendonça da Silva e a atual presidente do cordão Michele Souza Santos e os mesmos, justificaram a ausência do bloco nos desfile do dia 9 de fevereiro, em virtude das taxas, cujos recolhimentos antecipados são obrigatórios. 


A presidente Michele também pontuou algumas despesas que não tem como ficar de fora. “Temos que locar Banheiros Químicos, Grades de Proteção, Segurança e até Ambulância, isso não é barato” lembra Michele completando.


“Não vendemos abada ou camiseta, o CarnaLeste é aberto a todo folião, não interessa qual fantasia está usando, somos uma entidade democrática que não cobra nada do folião, mas, tem que pagar as taxas da prefeitura, bombeiros e outras entidades para poder obter a licença para desfilar”.


Sidney lembrou que o CarnaLeste é Lei Municipal aprovada e sancionada pelo prefeito e mesmo assim, não consegue a liberação das taxas. “Proporcionamos a população que reside na Zona Leste um carnaval dos mais organizados e mais animados e nem assim, conseguimos a isenção das taxas”.


Sidney e a presidente Michele afirmam que não desistirão de ainda este ano colocar o bloco na rua: “Estamos na busca de apoio do empresariado local para colocarmos o bloco, nem que seja como Carnaval Fora de Época”.


Lamentamos a suspensão do CarnaLeste. A Zona Leste é um dos setores da cidade de Porto Velho que concentra grande parte da população da cidade e por isso merecia ser olhada com mais carinho por nossas autoridades municipais.


Vale lembrar que a prefeitura de Porto Velho apoiou este ano a Marcha da Diversidade Sexual que muitos chamam de “Parada Gay da Zona Leste” e não se registrou nenhum ato de violência com grandes conseqüências. Lembramos que nos últimos desfiles do CarnaLeste também aconteceu tudo na paz e a população prestigiou em grande número.


O CarnaLeste não é apenas Lazer e Cultura é acima de tudo uma questão de Ação Social. Todos sabemos da vulnerabilidade da população jovem daquela área, por isso, a prefeitura através da Secretaria de Ação Social deveria incentivar a realização do carnaval na Zona Leste. Por uma questão de respeito àquela gente!

Fonte: Zé Katraca

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias

Http://www.Auto-doc.pt