Quarta-Feira, 01 de Agosto de 2018 - 09:42 (Colaboradores)

L
LIVRE

LENHA NA FOGUEIRA: ARRAIAL FLOR DO MARACUJÁ

Sem sombra de dúvida, o Arraial Flor do Maracujá é um dos maiores eventos de Porto Velho e do estado de Rondônia.


Imprimir página

Sem sombra de dúvida, o Arraial Flor do Maracujá é um dos maiores eventos de Porto Velho e do estado de Rondônia.

A prova foi a frequência do público na noite de segunda feira 30, estimada em 10 Mil pessoas. Segundo dirigentes da empresa dona das arquibancadas. Cada lance de arquibancada abriga 2.500 pessoas sentadas, com espaçamento entre pessoas, oficial da ABNT.

Como tanto a arquibancada do lado direito como a do lado esquerdo estavam parcialmente lotadas, podemos dizer que tinham 5 Mil pessoas sentados. Acontece que muitas famílias vão ao Flor do Maracujá apenas degustar as comidas típicas ou levar os filhos para brincar no Parque de Diversão. Olhando de cima do Camarote dava pra ver que a área das barracas e parque, também concentrava muita gente. E era segunda feira.

O bom do Flor do Maracujá deste ano, é que as apresentações têm terminado antes da meia-noite, a exceção foi a primeira noite que terminou de madrugada.

A partir de amanhã quinta feira, as apresentações dos grupos folclóricos passam a terminar no máximo a meia-noite e meia. Tá bom até demais, pois, assim o público tem oportunidade de curtir por mais tempo, os shows das Banda de Forró que vão até duas horas.

Orientando sobre como procurar a iguaria culinária desejada, sem ter que ficar procurando muito; Bora Lá:

As barracas a esquerda de quem entra pelo portão principal tem como especialidade, a venda de pastel, churrasco do tipo “Grego”; o nosso churrasquinho, cachorro quente e salgadinhos além de sanduíches.

As barracas do meio comercializam as verdadeiras iguarias da época junina como munguzá, milho cozido, curau, pamonha, bolo de macaxeira, bolo de milho ou fubá, tacaca, vatapá, caruru, galinha picante e sucos naturais.

As barracas que ficam a direita, as consideradas grandes barracas, abrigam os restaurantes especializados em Picanha, Pato no Tucupi, Caldeirada de Peixe etc. O prato mais consumido nessas barracas é a Picanha que custa entre R$ 60 e 80 para três pessoas.

Uma das coisas que deve ser observada, é quanto a sonorização, os decibéis estão muito acima do recomendado o que, com certeza, perturba a vizinhança. O som não precisa ser tão alto. Vamos obedecer as normas gente boa da Federon.

Quanto aos grupos, estão fazendo boas apresentações. Para quem recebeu a mixaria de R$ 6 MIL no caso das Quadrilhas e R$ 7 MIL no caso dos Bumbás a beleza das indumentárias provam que os dirigentes dos grupos, realmente investiram em suas apresentações. O nível está alto. Muito Bom!

Se minha opinião valesse como voto decisivo, como se eu fosse julgador. A classificação até a noite de segunda feira 30, seria assim: Quadrilha que mais se destacou pela ordem: Rosa Divina, Tradição, Forte Príncipe e Palheiral.

Os temas mais bem desenvolvidos foram o da Rosa Divina sobre as festas do “beiradão” de Porto Velho, ou melhor dos distritos ao longo do Rio Madeira. Foi espetacular.

E a Forte Príncipe da dona Laura, que dançou homenageando o Povo Cigano. Espetáculo de desenvolvimento. Não coloco a Forte Príncipe em primeiro porque em minha opinião faltou mais “garra”, não sei se porque eles optaram para tocar as músicas ciganas no ritmo original, quando o ideal seria no ritmo da nossa quadrilha. Só por isso.

Entre os grupos de bois bumbás, disparado o melhor até segunda feira, foi o Tira Teima do meu amigo Sardinha. O Tira Teima do Ulisses Guimarães só pecou, por não ter colocado a quantidade de tribos exigida pelo regulamento da festa.

Nesta quarta feira 1º de agosto, vão se apresentar: Quadrilha Mirim Rosa Divina, Boi Bumbá Mirim Mancha Negra, Boi Bumba Adulto Estela de Fogo e a Quadrilha Adulta Rosas de Ouro.

Fonte: 015 - Silvio Santos / NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias