Domingo, 21 de Agosto de 2016 - 19:45 (Colaboradores)

L
LIVRE

LENHA NA FOGUEIRA: A VERDADEIRA FINA FLOR DO SAMBA NA FESTA DO POETA

A festa em comemoração aos 65 anos de nascimento do poeta da cidade Ernesto Bento de Melo, reuniu na noite de sexta feira 19, no Mercado Cultural, a verdadeira Fina Flor do Samba de Porto Velho e Manaus.


Imprimir página

Porto Velho vive a expectativa da abertura da 2ª Portoagro, a feira de negócio e tecnologia rurais sustentáveis de Porto Velho que será aberta no próximo dia 24 na Cidade da Cultura – Parque dos Tanques.


A diferença entre a Portoagro e as feiras agropecuárias que acontecem no interior do estado é que a de Porto Velho, tem como principal atração a transferência de tecnologia, melhoramento genético de bovinos e alevinos, técnica de manejo, mercado exterior e cadeia produtiva do café.


O objetivo do evento segundo seus organizadores é o produtor rural. Daí não constar da programação show com artistas nacionais. “Porto Velho não pode investir em espetáculos cujo valor do cachê é muito alto. O dinheiro que se pagaria por um show desses, deve ficar circulando na cidade e não ir para outro estado”, disse o presidente da Associação dos Produtores Rurais de Rondônia (APRRO) Adélio Barofaldi.     


Está correto o presidente da APRRO, na Portoagro os shows serão realizados com artistas locais, essa é a diferença. Louvamos a iniciativa dos coordenadores da Feira em valorizar nossos artistas.


Já está praticamente tudo montado no Parque dos Tanques para o inicio da Portoagro. A Comissão Organizadora providenciou junto a Semtran um esquema onde os ônibus de todas as linhas passe obrigatoriamente pelo Parque dos Tanques durante os dias da Feira, ou seja, de 24 a 28 deste mês. Inclusive após as 22 horas. A gastronomia também será destaque na Feira de Porto Velho, com a atração “Pirarucu Rondon” o prato oficial da cidade, que foi criado recentemente.


Ta todo mundo envolvido na realização da 2ª Portoagro. Governo do estado, governo municipal, Assembléia Legislativa, Fiero, Sebrae, Fecomércio, banco da Amazônia, banco do Brasil e Caixa Econômica.


Então meus amigos, vamos nos programar para viver nosso momento country a partir da próxima quarta feira dia 24. Vamos prestigiar a 2ª Portoagro.


Enquanto a Portoagro não chega vamos curtir as últimas apresentações folclóricas em Porto Velho neste ano de 2016. O último arraial está acontecendo na campo de futebol do bairro Esperança da Comunidade é o Arraial Comunidade no Sertão que só termina domingo que vem dia 28.


Se não mudaram o calendário de apresentação, quem participa do Comunidade na noite deste domingo são os grupos: Boi Mirim Brilhantinho, quadrilha Flor da Primavera e quadrilha Juabp. Fernando Rocha talvez por estar preocupado com sua campanha a vereador, não distribuiu a programação correta. Bota a diretoria da Associação pra trabalhar Fernandão.


Sinceramente a festa em comemoração aos 65 anos do Ernesto Melo foi das melhores em se falando de atração musical. O “velho” deu um banho, ao colocar no palco armado em frente ao Mercado Cultural a verdadeira Fina Flor do Samba regional.  Mesmo sem contar com a presença do Júnior Rodrigues de Manaus e do Bainha de Porto Velho os shows foram de primeira qualidade.


O grupo de chorinho que veio de Manaus foi espetacular ainda mais quando o nosso querido Walber do Cavaco do Bandolim e outros instrumentos, achou de também fazer parte da rodada de “Choro” aí ele e o Rubinho proporcionaram aos presentes, um dos melhores momentos da festa. Foi o dueto de cavaquinhos em solo de chorinhos como “Carioquinha”, “Pedacinhos do Céu” entre outros. Para completar, ainda tivemos a oportunidade de nos deleitar com as interpretações do Doutor Edson Melo (irmão do Ernesto que mora em Manaus) para clássicos de Ary Barroso, Athaulfo Alves e Noel Rosa entre outros.


Parabéns Ernesto Melo!


A verdadeira fina flor do samba na festa do poeta

A festa em comemoração aos 65 anos de nascimento do poeta da cidade Ernesto Bento de  Melo, reuniu na noite de sexta feira 19, no Mercado Cultural, a verdadeira Fina Flor do Samba de Porto Velho e Manaus. Fazia tempo que o calçadão “Manelão” não recebia tanta gente como a registrada naquela noite. “Isso me deixa muito feliz”, agradeceu Ernesto emocionado.

O poeta pegou todo mundo de surpresa ao anunciar que naquela noite, também estava festejando 25 anos de casado com dona Erenir “A mulher que amo e que é a minha vida”, e cantou para sua esposa a valsa de sua autoria que conta a história do casal. Daí pra frente foi só comemoração ao ritmo de muito samba, poesia e até bolero.

William Coimbr abriu a participação dos cantores convidados e relembrou sucessos de AGP, chamou o Warney que mesclou sambas de raiz com pagodes clássicos. Com seu chapeuzinho de “malandro” sobe ao palco Orismilde conhecido mesmo como “Kabeça” aí mesmo não estando com a voz cem por cento, deslanchou numa viagem espetacular pelo mundo do samba clássico. A cozinha (banda) formada por Enio Melo (violão), Walber do Cavaco (cavaquinho) Chico Lobo (pandeiro), Beto Ramos (reco-reco e ganzá) e Áureo (surdo) ainda contou com a participação especial do músico manauara Onércio 7 Cordas.

Ernesto Melo fez questão de anunciar a próxima atração: vem aí o compositor Cara de Paca, Boca de Cuiu Cuiu, Coxa de Frango, Zekatraca e para os mais íntimos Silvio Santos. Nesse meio tempo Silvio preparou uma surpresa e convidou ao palco nada-mais-nada-menos que um dos poetas mais considerados de Rondônia Antônio Cândido que declamou alguns poemas de sua lavra, que contam, assim como as letras das músicas do Ernesto a história de Porto Velho, em seguida Silvio cantou composições de sua autoria preparando o público para a participação do José Luiz Machado de Assis – Torrado que inclusive ofereceu ao casal Ernesto e Erenir músicas românticas como “Sonho”.

O Poeta da Cidade voltou ao palco para anunciar a participação especial do Grupo “Cordas de Manaus” que tem como crooner Edson Melo aliás o médico irmão de Ernesto que reside em Manaus e é também apaixonado por música. Paulinho da Flauta, Onércio 7 Cordas e Rubinho do Cavaco contando com a participação dos músicos da Fina Flor do Samba iniciaram com o chorinho “Brasileirinho”. Edson Melo assumiu e presenteou os presentes com uma seqüência de composições assinadas por Athaulfo Alves, Ary Barroso e Noel Rosa. A cada intervalo os “Chorões” voltavam a mostrar outros chorinhos. Já entrosado com os músicos de Manaus o Walber do Cavaco passou a fazer dueto de cavaquinho com Rubinho. O público não se cansava de aplaudir os solos dos dois cavaquinistas que entregavam de bandeja para o Paulinho da flauta dar continuidade a música.

Foi realmente maravilhosa a festa dos 65 anos do Ernesto Melo. Para encerrar, o público sob o comando do “maestro” Edson cantou parabéns pra você enquanto o “Velho” Ernesto soprava a vela do bolo. Parabéns Poeta da Cidade que essa data se multiplique por mais cem anos.

Porto Velho, meu dengo, desde que me entendo, tu és o meu caso de amor... 

Fonte: Zé Katraca

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias