Quinta-Feira, 02 de Agosto de 2018 - 10:27 (Colaboradores)

L
LIVRE

LENHA NA FOGUEIRA: A FESTA FOLCLÓRICA DO ESTADO DE RONDÔNIA

A festa folclórica do estado de Rondônia que está acontecendo na Cidade da Cultura, desde a última sexta feira 27, continua bombando.


Imprimir página

A festa folclórica do estado de Rondônia que está acontecendo na Cidade da Cultura, desde a última sexta feira 27, continua bombando.

Terça feira dia 31, apesar dos atrasos dos grupos mirins Unidos do Palheiral do município de Candeias do Jamari e o boi mirim Veludinho, o público não arredou o pé, talvez devido a propaganda que assolou as dependências do Parque do Tanques atual Cidade da Cultura, sobre a apresentação do Boi Bumbá Marronzinho.

Que o grupo da Vila Tupi vinha com os brincantes do boi Flor do Campo de Guajará Mirim, que os itens também era todos da Pérola do Mamoré e isso e aquilo. Terminou que o boi do Estevam que agora conta com a colaboração irrestrita da Rose, da Sol e do Paulo Menda que já foi Lira (todos de Guajará) apenas contou com alguns integrantes do Boi da dona Georgina como foi o caso dos músicos da Banda. Cunha Poranga, Sinhazinha, Rainha da Batucada, Rainha do Folclore, Pajé são todos de Porto Velho, Assim como os mascarados, bicho folharal e os doutores mais os vaqueiros e rapazes.

A única coisa que não tinha nada a ver com o Marronzinho era as toadas, todas dos Bois de Parintins uma vergonha para os nossos compositores. Tanto que o levantador de toadas do Boi Vencedor Fábio Góis fez comentário durante a transmissão da RedeTV cobrando a falta de respeito dos dirigentes do Marronzinho por não valorizarem nosso compositores.

Alguns comentaram que Amo como Galego, Augusto Queixada, Seu Chagas que já faleceram, estavam se revirando em seus túmulos com tamanha falta de respeito para com a nossa Cultura Popular. A Cultura Popular de Porto Velho.

O pior disso tudo, foi que a Liga dos Bois de Porto Velho – GUARNECER exigiu da direção da Federon, que tirasse do Regulamento, a obrigação dos grupos se apresentarem com toadas próprias. Isso está proporcionando, ou proporcionou aos grupos de bois que se apresentaram até a noite de segunda feira e com certeza. na noite de ontem, a se apresentarem cantando toadas dos Bois de Parintins.

É preciso que os dirigentes da GUARNECER tome providencia para o próximo Flor do Maracujá e volte com o quesito “Toada Letra e Música”, que obriga os Bois a se apresentarem com pelo menos 70 por cento de composições próprias.

O Decreto do Governo do Estado de Rondônia que criou o Flor do Maracujá diz que o evento tem como objetivo, valorizar a cultura local. Do jeito que vai, estão cada vez mais valorizando a cultura de Parintins.

Bom, hoje o Flor do Maracujá vai apresentar três grandes grupos: o Bumbá Manhoso, as quadrilhas juninas Girassol das Três Marias e a JUABP.

Dependendo a apresentação do Boi Manhoso os expert’s em apresentações de bois bumbás, já podem fazer suas apostas sobre quais os grupos de bois, que no próximo ano irão se apresentar pelo Grupo de Acesso. Lembrando que este ano caem quatro para o Acesso.

Dois dos bois que já se apresentaram já podem se considerar no grupo de acesso, por falta de cumprimento do Regulamento são eles: Boi Teimoso e Boi Vencedor. Ainda faltam dois.

Dos nove grupos de bumbás apenas cinco permanecerão no Grupo Especial em 2019.

Já dançaram o Teimoso, Vencedor, Tira Teima, Marronzinho, Estrela de Fogo e hoje dança o Manhoso. Amanhã dança o Az de Ouro e sábado o Diamante Negro e o Corre Campo. Vai ser o maior chororô se um desses considerados grande não conseguir ficar no grupo especial.

O bicho tá pegando no Flor do Maracujá e o público é quem festeja as grandes apresentações. Os grandes estão na arena. Vai lá que é de graça!

Minha apresentação será no sábado. Agenda aí!

Fonte: 015 - Silvio Santos / NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias