Sexta-Feira, 16 de Setembro de 2016 - 09:19 (Pecuaria)

L
LIVRE

LEILÃO RESERVA EXPOGENÉTICA DESTACA QUALIDADE DE CARNE NO NELORE

A proposta foi oferecer reprodutores de reserva com chancela do Programa Embrapa Geneplus, mas todos se destacaram em provas de ultrassonografia de carcaça conduzidas pela DGT Brasil.


Imprimir página

O pecuarista Shiro Nishimura (Fazenda Araponga – Jaciara/MT) e a empresa AC Proteína (Fazenda Catarina – Barra do Garças/MT) promoveram há poucas semanas, em Uberaba (MG), o Leilão Reserva ExpoGenética, evento que marca uma nova era na raça Nelore. Com transmissão pelo Canal Terra Viva, foram negociados 63 touros Nelore PO e pacotes de sêmen dos reprodutores Bibliógrafo da AC Agro e Bloqueio da AC Agro, em coleta nas Alta Genetics e CRI Genética.  A média geral ficou em R$ 13.100,00.

A proposta foi oferecer reprodutores de reserva com chancela do Programa Embrapa Geneplus, mas todos se destacaram em provas de ultrassonografia de carcaça conduzidas pela DGT Brasil.  Essas propriedades fazem parte de um seleto grupo que busca a excelência do Nelore em qualidade de carne, principalmente em relação ao marmoreio. No decorrer das vendas, foram apresentados raçadores com escore acima de 4% para tal caraterística, quando a média necessária ao mercado gourmet é 3,5%.

Estes indicadores chamaram a atenção de 26 compradores de São Paulo, Paraná, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará entre outros estados, dos quais muitos desenvolvem trabalhos semelhantes. É o caso Fazenda N Kara, sediada em Juara (MT), um dos maiores investidores.

Há três anos, o proprietário Newton Kara José incorporou a ultrassonografia de carcaça na seleção do gado e os resultados surpreenderam. “Nossas novilhas alcançaram a média de 51,17 cm² para Área de Olho de Lombo (AOL), 3 mm Espessura de Gordura Subcutânea (EGS) e 2.60% para marmoreio (MAR) na última prova. Estamos empenhados em multiplicar essas caraterísticas, o que nos levou a comprar no leilão. Conhecemos o trabalho dos promotores por intermédio da DGT Brasil e estamos com ótimas expectativas para os animais que adquirimos”, diz Márcio Mendes Lopes, gerente da Fazenda N’ Kara.

Segundo ele, o assunto não é outro em sua região, a não ser qualidade de carne no Nelore, algo incomum até pouco tempo. “Creio que o zebuíno que transformou o Brasil no maior exportador de carne bovina alcançará nichos de maior valor agregado”, ressalta.

Nelore marmorizado – Das 212 milhões de cabeças bovinas que existem no País (IBGE), estima-se que 85% sejam da raça Nelore.  Em um universo como este, é difícil garimpar linhagens em potencial para marmoreio, mas não impossível. A partir da ultrassonografia de carcaça, a AC Proteína acabou descobrindo uma variedade de animais com escores acima da média, fruto de investimentos maciços em racial, precocidade, fertilidade, ganho de peso, habilidade maternal e conformação frigorífica. “O marmoreio é o que dará diferença de preço na carne”, comenta Rodrigo Delgado, gerente da AC Proteína.

O mesmo aconteceu com Shiro Nishimura, que se impressionou com a descoberta de uma grande concentração de animais em seu rebanho com escores para marmoreio entre 4% e 6%. “Ferramentas como o Programa Embrapa Geneplus e a ultrassonografia de carcaça colocarão o Nelore em um patamar diferenciado.  Aos poucos, estamos conseguindo quebrar paradigmas ao demostrar que o Nelore é sim capaz de oferecer uma carne macia e mais saborosa”, finaliza o pecuarista.

Fonte: Robson Rodrigues - Pec Press

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias