Terça-Feira, 28 de Maio de 2013 - 21:46 (Colaboradores)

JUSTIÇA MANDA SOLTAR EX-PREFEITO E EX-SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DE GUAJARÁ-MIRIM

A dupla deixou a Casa de Detenção nos primeiros minutos do sábado, 25, mas continuam sendo investigados. Eles estão proibidos de se ausentar da sede do Foro local sem ordem da Justiça e podem atém mesmo ter os passaportes suspensos pelas autoridades federais.


Imprimir página

Guajará-Mirim, Meio Oeste de Rondônia - Dos 19 presos nas ‘Operações 8666 e Pau-Brasil’ da Polícia Federal, apenas o ex-prefeito José Atalíbio Pegorine e o ex-secretário de Educação Edison Miguel Oreyaia foram soltos por decisão da Justiça rondoniense.

A dupla deixou a Casa de Detenção nos primeiros minutos do sábado, 25, mas continuam sendo investigados. Eles estão proibidos de se ausentar da sede do Foro local sem ordem da Justiça e podem atém mesmo ter os passaportes suspensos pelas autoridades federais.

No contraponto ao barulho feito durante as prisões nesta parte da Amazônia Nacional, a soltura do ex-prefeito e do ex-titular da Educação, segundo fontes fidedignas, ‘teria girado em torno dos acusados em não oferecer à sociedade nem obstarem o trabalho da PF, nem da Justiça’.

SUPREMO PODE - Os advogados dos outros envolvidos no desvio de recursos da União de quase R$ 2 milhões na construção de uma creche [Avenida Antônio Luiz de Macedo, bairro Fátima] e reformas em um posto de saúde [Carlos Chagas, bairro de classe média Tamandaré], ‘com a negativa das ações impetradas, tentam levar o caso para Brasília, onde pretendem reverter a situação’.

AINDA ENGAIOLADOS - Encabeçam o rosário dos que ainda continuam presos, o ex-presidente da Câmara Municipal, vereador reeleito Dr. Célio Targino de Melo, do partido do governador Ivo Narciso Cassol e Paulo Maluf [PP], Germano Eveson de Oliveira [O Arquiteto], Paulo Roberto Bueno [ex-Controlador da Prefeitura], Décio Keher Marques [ex-Chefe de Gabinete], Antônio Marcos de Souza Silva [Chico da Kaktu’s], José Cavalcante Neto, Josias Guanacoma Cavalcante [Peta] e o José Moura da Silva.

De acordo com fontes do Juízo Estadual e da Polícia Federal, continuam presos na Capital Porto Velho, Edmar Ferreira de Sena [principal sócio da Empresa RECICLARON], João Batista Coelho de Oliveira, Clayton Bispo Escobar [de descendência boliviana] e o advogado Igor dos Santos Cavalcante – ex-chefe-Geral por quatro anos do Departamento Jurídico da Câmara na gestão de Célio Targino].

Presos no Presídio Federal, na Capital, segundo as informações da Justiça e da PF, desde a deflagração das ‘Operações 8666 e Pau-Brasil’, respectivamente, Francisco Cavalcante Guanacoma [vulgo Dico] e o delegado de Polícia Civil, Júlio Cesar Árabe da Silva. Além do policial civil, Fábio Lopes Ribeiro, apontados como integrantes-chaves do esquema de fraudes em licitações e desvio de dinheiro da União.

Sobre a ‘Operação Pau-Brasil’, realizada em Nova Mamoré, alguns dos envolvidos na ‘Operação 8666’ também alcançados por fraudes em licitações dirigidas por servidores da Unidade de Apoio do INCRA [Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária].  São eles: Manoel Sátiro Ferreira Coelho e Nivine Duran Sena Albuquerque.

Também envolvidos no esquema, na ex-vila de Nova Mamoré, dentro da ‘Operação Pau-Brasil’, a exemplo da ‘Operação 8666’, em Guajará-Mirim, estão José Cavalcante Neto, João Batista Coelho de Oliveira e Francisco Cavalcante Guanacoma [vulgo Dico]. Todos eles, segundo coleta de informações independentes, ‘tem negócios nos dois lados da fronteira bi-nacional’.

Xico Nery é Produtor Executivo de Rádio, Jornal, TV, Repórter Fotográfico e CONTATO de Agências de Noticias nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos

Fonte: Xico Nery-News Rondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias